Valvulopatias Tricúspides


Neste artigo, você vai aprender tudo a respeito das valvulopatias tricúspides, que nada mais são que doenças que podem atingir o coração na região das válvulas, fazendo com que o órgão não seja capaz de funcionar perfeitamente.

Valvulopatias Tricúspides

Além de aprender sobre quais são elas e suas características, saiba também a respeito da importância de um diagnóstico precoce e certeiro, e quais são as formas de tratamento disponíveis.

O que são valvulopatias

As valvulopatias são doenças relacionadas à problemas com as válvulas do coração. Quando acometem os pacientes, fazem com que o funcionamento do órgão não aconteça normalmente, causando problemas para todo o organismo.

Mas o que são válvulas e o que elas fazem? Nosso coração possui 4 válvulas distintas, que abrem e fechem de acordo com as batidas do órgão. São as válvulas que garantem que o sangue seja bombeado de forma correta para todo o restante do corpo. Cada uma delas possui um nome. São eles:

  • Válvula Tricúspide
  • Válvula Mitral
  • Válvula Pulmonar
  • Válvula Aórtica

 

O nome das valvulopatias mudam de acordo com a válvula na qual o problema está localizado e, de forma geral, podem ocorrer de duas formas distintas: Insuficiência e estenose.

A insuficiência cardíaca é bastante conhecida, e ocorre quando a válvula afetada não se fecha como deveria, ocasionando um refluxo sanguíneo. A estenose, por sua vez, ocorre quando o contrário acomete a válvula; isto é, ela não se abre como deveria, impedindo que o sangue passe por ela e seja bombeado para os demais órgãos.

Todas estas doenças, inclusive as valvulopatias tricúspides, podem acontecer em pacientes de diversas idades e estados de saúde, mas são mais comuns em pessoas idosas, que nasceram com problemas congênitos, ou ainda devido a complicações de outras doenças, como por exemplo o lúpus.

Os sintomas apresentados pelos pacientes costumam ser variados, mas muitas vezes eles apresentam sopros no coração, inchaço, dor no peito, dificuldade de respirar, falta de ar ou fadiga.

Porém, alguns dos pacientes não apresentam sintomas e nem possuem as características que citamos acima. Por isso, faz-se necessário um acompanhamento constante com médicos, e pelo menos um check-up anual para garantir que tudo está conforme deveria.

Na maioria das vezes, os pacientes que possuem alguma valvulopatia precisam manter um tratamento constante, já que a doença geralmente piora com o passar dos anos. Em casos mais graves e não diagnosticados, pacientes que sofrem de valvulopatias podem vir a ter insuficiência cardíaca, coágulos sanguíneos, derrames e, em casos mais graves, paradas cardíacas seguidas de morte súbita.

O diagnóstico das valvulopatias tricúspides ou outras doenças do coração só pode ser realizado através de consultas médicas e exames solicitados por um cardiologista. É este profissional que também indicará qual é o melhor tratamento para garantir uma melhor qualidade de vida ao paciente, de acordo com a sua condição física geral.

As valvulopatias tricúspides, outras doenças das válvulas e seus tratamentos

Conforme explicado anteriormente, as valvulopatias recebem a nomenclatura de acordo com o local onde o problema está. As valvulopatias tricúspides, portanto, se referem àquelas que ocorrem na válvula tricúspide.

A válvula tricúspide está entre a aurícula direita, responsável por permitir a passagem do fluxo sanguíneo, e o ventrículo. A valvulopatia acontece quando o paciente sofre de alguma infecção ou outras condições, como por exemplo a endocardite, a febre reumática ou até a hipertensão arterial pulmonar.

Muitos pacientes demoram até procurar ajuda médica porque os sintomas são muito variados, e podem representar qualquer outro problema. De forma geral, eles chegam ao consultório do cardiologista reclamando de inchaço e dores nas pernas, aumento de peso, dor de barriga e cansaço.

Alguns até desconfiam de problemas relacionados ao coração, pois podem ter sintomas como palpitações, dores no peito e uma sensação de falta de ar que acompanha o dia todo.

Quando o diagnóstico é realizado de forma rápida, o tratamento de válvulas tricúspides consiste no uso de medicamentos especiais, antibióticos e até diuréticos. Mas em casos mais graves ou nos quais o tratamento com medicação não está dando um retorno muito positivo, podem ser necessárias cirurgias de reparação da válvula ou até de substituição.

O reparo é sempre a maneira preferida pelos médicos, já que o procedimento é mais simples e garante mais sucesso. Durante a cirurgia, o cirurgião corrige o problema esticando ou encurtando a válvula.

Mas nem todos os pacientes podem ter suas válvulas reparadas, já que por vezes apresentam lesões mais profundas, e nesses casos a cirurgia de substituição é a mais indicada. Nessa situação, o cirurgião troca a válvula por uma artificial, que é suturada e passa a fazer o papel da que estava com problemas.

Algumas vezes, este tipo de cirurgia pode ser feito de forma minimamente invasiva, isto é, sem que seja necessário abrir todo o tórax do paciente. Mas em alguns casos a cirurgia tradicional é a mais indicada.

Após a cirurgia, o paciente ficará sob observação dos médicos e receberá acompanhamento constante para verificar sua recuperação.