Asteroides


O espaço está repleto de diferentes tipos de corpos celestiais que orbitam ao redor de planetas e galáxias. Entre estrelas, cometas e outros tantos corpos estão os asteroides, objetos que são rochosos e possuem composição metálica.

Asteroides

Com diferentes tamanhos, os asteroides orbitam principalmente ao redor do Sol e, mesmo que alguns sejam realmente grandes, não podem ser classificados como planetas, devido a ausência de alguns elementos em sua composição.

Entre as várias teorias sobre a origem dos asteroides as duas mais conhecidas e difundidas elencam a possibilidade de que:

Os asteroides são partes do corpo de planetas que não se fundiram a estes ficando livres para orbitar; ou

Os asteroides que estão ao redor do Sol formavam há milhares de anos um único planeta que, em uma colisão brutal, se desfragmentou em inúmeros pedaços.

Qual das teorias está certa, não se sabe. Porém, é claro, os asteroides são sempre estudados a fim de que novos e mais precisos detalhes sejam descobertos a seu respeito. Também vale citar que é comum a observação desses corpos, uma vez que existe um medo crescente de que um deles venha a se chocar com a Terra.

Veja neste artigo mais informações e detalhes a respeito da composição e dos tipos de asteroides que já são conhecidos pelo homem.

De que são formados os asteroides e quais os principais tipos?

Os asteroides começaram a ser estudados por volto do ano de 1772, por um matemático e por um astrônomo. Johann Titus e Johann Bode, foram os primeiros a destacar a possibilidade que entre os planetas de Júpiter e Marte haveria outro planeta.

Tal teoria, é claro, foi estudada a fundo por outros profissionais e curiosos da época. Em 1801, Piazzi, outro astrônomo do século XIX, após muita observação, descobriu que na mesma região existia outro corpo, considerado então como um cometa.

Este primeiro grande asteroide foi batizado como Ceres. Com cerca de 933 quilômetros de diâmetro, 1 Ceres possui cerca de um quarto de toda a massa conhecida nesta classe e hoje é classificado como planeta anão.

Outros asteroides que merecem destaque são: 2 Pallas e 10 Hygiea, sendo que ambos medem em torno de 400 a 525 quilômetros de diâmetro. O maior conhecido até o momento dentro do Sistema Solar é o Vesta. Sua dimensão é de incríveis 560 quilômetros de diâmetro.

Ao todo, estima-se que já existam mais de 500 mil asteroides catalogados pelos centros astronômicos de todo o mundo e subdivido em grupos.

Os tipos de asteroides

Existem algumas variações nos tipos de asteroides conhecidos. Classificados segundo sua natureza, ou seja, composição química, espectro e albedo, o coeficiente de reflexão, os asteroides podem se agrupar nos seguintes grupos:

Asteroides tipo C

O mais comum entre os grupos de asteroides, classifica cerca de 75% de todos os que já são conhecidos pelos homens. Sua composição química em muito se assemelha ao sol, porém não possui alguns dos mais importantes elementos da estrelam como hidrogênio, hélio e outros. Uma característica deste grupo é que os asteroides são bem escuros também.

Asteroides tipo S

O segundo maior grupo conhecido de asteroides é o tipo S e engloba cerca de 17% de todos que já foram estudados. Suas características próprias são que estes, diferentes do grupo anterior, são relativamente luminosos. Sua composição é basicamente de níquel-ferro metálico, sempre misturado a silicatos de magnésio.

Asteroides tipo M

Os demais asteroides existentes e estudados se enquadram basicamente nesta terceira categoria. A composição destes costuma ser de níquel-ferro puro.

Além destes três tipos de asteroides, existem grupos menores que são considerados até mesmo como raros. Esses são extremamente diferentes na composição, por exemplo, mas por serem poucos e diferentes entre si, torna-se impossível agrupá-los de modo satisfatório.

Curiosidades sobre os asteroides

  • Você sabia que todos os dias o planeta Terra é atingido por asteroides ou seus fragmentos? Por serem corpos celestiais pequenos, os habitantes do planeta costumam não perceber tais colisões, porém elas existem, e motivam os estudiosos a manterem-se pesquisando os corpos, a fim de prever acidentes com repercussão.
  • Infelizmente, nem sempre a história dessas colisões foi tão despercebida. Em 1909, um asteroide de maiores proporções explodiu na atmosfera da Terra gerando um rastro de destruição de 2 mil quilômetros quadrados na Sibéria.
  • Atualmente, existe uma gigantesca preocupação acerca do asteroide Apophis. Com cerca de 250 quilômetros de diâmetro, equivalendo a dois campos de futebol e pesando algo em torno de 45 milhões de toneladas, ele é o foco de teorias da conspiração que insistem em afirmar que a Terra será destruída, ou muito abalada, por seu choque. Pode-se dizer que filmes como 2012 e Armagedon foram criados baseados nesta hipótese que, de acordo com a maior parte dos cientistas, é nula.

Viu quanto informação foi dada acerca dos asteroides? Gostou do artigo? Lembre-se de referenciá-lo em sua pesquisa!