Circuitos e Efeitos da Corrente Elétrica: Eletrização por Atrito e Eletrização por Indução


Circuitos e Efeitos da Corrente Elétrica

Todos os corpos são formados por átomos, a unidade básica de matéria formada por um núcleo central de carga elétrica positiva e por uma nuvem com carga negativa que envolve esse centro.

O núcleo do átomo é composto por duas particulares elementares: os nêutrons, que possuem carga neutra, e os prótons, que apresentam carga positiva. Já a nuvem que se apresenta no entorno da unidade é composta de elétrons, de carga negativa.

Por conta de suas cargas elétricas, as partículas podem exercer uma força de atração ou de repulsão entre si:

– Elétrons e prótons são atraídos entre si;
– Prótons e prótons são repelidos entre si, assim como elétrons e elétrons;
– Nêutrons não são atraídos ou repelidos por prótons ou elétrons.

Na natureza, a maioria dos corpos se encontram eletricamente neutros – o número de prótons é igual ao de elétrons. No entanto, podemos retirar ou colocar elétrons (não é possível “movimentar” prótons ou nêutrons) em um determinado corpo por meio de certos processos de eletrização.

1 Eletrização por atrito
Dois corpos neutros e de materiais diferentes possuem propriedades distintas em relação à distância dos elétrons em relação ao núcleo. Por isso, quando esfregamos um corpo no outro, é provável que as cargas negativas de um migrem para o outro. Nesse caso, eles ficarão carregados com o mesmo “valor”, mas com sinais diferentes (um positivo e o outro negativo)

Esse tipo de eletrização acontece com mais facilidade em corpos isolantes de eletricidade, sendo um processo comum no dia a dia. É a experiência de esfregar uma régua plástica em seu cabelo e depois aproximá-la de pequenos pedaços de papel. Eles serão atraídos pela régua porque esta ficou carregada com o atrito.

2 Eletrização por Indução
Na eletrização por indução, não é necessário o contato entre os corpos, já que um deles pode induzir a distribuição de cargas no outro. Para isso, considere três condutores, sendo que dois deles estão neutros e próximos (mas não estão juntos) e um, carregado eletricamente.

Quando o corpo carregado (indutor) se aproxima dos corpos neutros (induzidos), observa-se uma separação de cargas. Se o indutor estiver carregado positivamente, o primeiro corpo neutro (mais próximo) passa a receber elétrons do segundo e, por consequência, fica com mais partículas positivas.

No final, os dois corpos neutros passam a ter cargas de sinais contrários: o primeiro fica carregado negativamente e o segundo, positivamente.