GNU


GNu é um complexo operacional modelo Unix cujo propósito desde a sua criação é apresentar um complexo operacional completo e plenamente constituído por software livre, ou seja, que honra a autonomia dos usuários. Foi instituído, em 1984, por Richard Stallman, e sua Licença Pública Geral e filosofia constroem o centro original de Free Software Foundation.

Desde 1984, Stallman e diversos outros programadores que apoiaram a causa, começaram criando as principais peças de um complexo operacional, como editores de texto, compilador de linguagem C, etc.

Em 1992 o complexo operacional já estava quase cheio, porém sobrava o centro do complexo operacional. O conjunto formado por Stallman estava gerando um centro denominado Hurd. Mas, em 1992, Linus Torvalds, um jovem finlandês, resolveu alterar a licença de seu centro para uma Licença livre comportável com a GPL do GNU. Esse centro tinha a capacidade de utilizar todos os elementos do complexo operacional GNU, o que possibilitou que, pela primeira vez desde o encerramento do código com complexo operacional Unix fosse permitido efetuar um complexo completo integralmente livre.

GNU

Esse centro recebeu o nome de Linux, junção de Linus e Unix.

Nomenclatura

A denominação GNU foi eleita, pois obedece a certas condições; primeiramente, é uma abreviação recorrente para “GNU is Not Unix”, além disso, porque é uma expressão real e, por fim, é agradável de falar.

A expressão “livre” em “software livre” está se referindo a autonomia, não ao custo. A pessoa pode ou não bancar para adquirir o software do programa GNU. De todo jeito, uma vez que você adquiriu o software, você possui quatro autonomias exclusivas para utilizá-lo: a autonomia de concretizá-lo como desejar; a autonomia de reproduzi-lo e oferecê-lo a seus colegas e amigos; a autonomia de muda o prospecto como preferir, por ter total acesso ao código-fonte; a autonomia de compartilhar versões melhores e, dessa forma, auxiliar a erguer a comunidade.

Se por um acaso você decidir distribuir software do programa GNU, você pode cobrar uma tarifa pela ação de transmitir uma replica, ou simplesmente oferecer cópias gratuitas.

Distribuições

Esses tipos de distribuição são oficialmente aceitos pelo programa GNU. Todos eles são projetados com versões do Kernel Linuz sem firmware possuidor ou blob:

– Blag: apoiada no Fedora;

– Dragora: compartilhamento independente apoiado no significado de simplicidade;

– Dyne:bolic: direcionado para a elaboração de vídeo e áudio;

– Guix: compartilhamento GNU/Linux formada em volta do gerenciador funcional de produtos GNU Guix;

– GnewSense: apoiada no Ubuntu e no Debian;

– Musix: designada a construção de áudio;

– Parabola: apoiada no Arch Linux;

– Trisquel, destinado para pequenas e micro empresas, centros educacionais e usuários domésticos;

– Ututo: compartilhamento apoiado no Gentoo.

Projetos de Software GNU

Relação de certos programas reproduzidos pelo plano GNU:

· Autotools – Autoconf, Automake e Libtool.

· Clisp – ferramentas de acervo para lisp.

· Bash – interpretador de ordens.

· Coreutils – coletânea de mecanismo básico GNU.

· Binutils – montador, linker e mecanismos relacionados.

· Bazaar – complexo interativo de preservação de versões de software.

· Classpath – bibliotecas para programa Java.

· Bison – gerador de parser esboçado para substituir o yacc.

· DotGNU – substituto livre para o Microsoft .NET.

· Ed –pequeno editor de texto.

· COBOL for gcc – plano para fabricar um compilador de Cobol.

· G++ – compilador de C++

· Emacs – editor de texto extensível e auto-documentado.

· GDB – depurador de utilidades.

· GCC – compilador otimizado para diversas linguagens de programação, principalmente linguagem C.

· GIMP – programa de edição de imagens.

· GFortran – compilador Fortran

· GNU fcrypt – código automática e transparente.

· glibc – biblioteca para linguagem C.

· Gnash – reprodutor Média Flash.

· GNAT – grupo completo para compilação de ADA 95.

· GMP – grupo de cálculo com exatidão múltiplo.

· GNOME – ambiente de gráfico para complexos do modelo Unix.

· GNU Hurd – micronúcleo e um grupo de servidores que funcionam da mesma maneira que o centro Unix.

· GNU Health – software para a saúde.

· GNU Octave – computação – matématica.

· GNU MDK – um grupo de ferramentas para a programação em MIX.

· GNUnet – rede desconcentrada de comunicações pessoais, criada para tolerar à censura.

· Gnumeric – programa de edição de folhas de cálculo.

O programa GNU também auxilia o crescimento de diversos pacotes, como por exemplo:

· CVS – complexo de comando de versões para código fonte.

· DDD – ferramentas gráficas para localizar e eliminar os erros.