Prismas, Lentes Delgadas e Espessas no estudo da Óptica Geométrica


Prismas, Lentes Delgadas

Óptica Geométrica
Óptica geométrica é a parte da Física que estuda a luz e os fenômenos a ela associados.

Prisma
Um prisma é um sólido geométrico, formado por uma face, ou base, superior e uma face inferior, paralelas e congruentes, ligadas por arestas. Além disso, as laterais de um prisma são paralelogramos.
No contexto da óptica geométrica, é chamado prisma todo elemento óptico transparente, com superfícies retas e polidas, capaz de refratar a luz nele incidida.
Para estudos, normalmente, se usa o prisma de formato de pirâmide com base quadrangular e lados triangulares, para se separar a luz branca nas sete cores monocromáticas do espectro visível.
Com isso, também se percebe que, quando a luz branca incide sobre a superfície do prisma, sua velocidade se altera. Como cada cor da luz branca tem um índice de refração e ângulos diferentes, chegam à outra extremidade do prisma de forma separadas.

Lentes
Lente é um objeto transparente, que refrata os raios luminosos duas vezes: uma ao atravessar a lente e outra ao sair. Isso quer dizer que, dependendo do tipo de lente, o comportamento dos raios luminosos que refratarem nela será diferente.
Elas são dispositivos ópticos que funcionam pela refração da luz, muito comuns no nosso dia a dia, como nos óculos para correção de problemas de visão, em lupas para ampliar partículas, em câmeras fotográficas e filmadoras e em telescópios.

Lentes Delgadas
As lentes delgadas são aquelas em que as distâncias do objeto, da imagem e dos raios de curvatura são maiores do que a espessura da própria lente.

Lentes espessas

Como as lentes delgadas são aquelas em que a espessura é pequena comparada com a distância objeto e a distância imagem, as lentes espessas são aquelas em que isso não ocorre.

Portanto, nas lentes delgadas, as bordas são mais finas. Já as lentes espessas, como o próprio nome condena, possuem suas bordas mais grossas.