Satélites Sputnik


O ano de 1957, mais exatamente no dia 4 de outubro, foi lançado no espaço o primeiro satélite artificial, que marcava uma nova era para a história mundial. Com o nome de Sputnik (ou “satélite”), os russos – integrantes da União Soviética (URSS) – chegavam à frente do seu principal rival, os Estados Unidos, na “corrida espacial”, durante a Guerra Fria. Um pouco mais de dez anos depois, em 1969, os norte-americanos enviavam o primeiro homem à superfície da Lua.

O programa Sputnik produziu a primeira série de satélites artificiais para estudar o espaço e os seus efeitos, como a ausência de peso e a radiação sobre os organismos vivos e seres humanos. O Sputnik permitiu que a superfície da Terra fosse analisada de forma mais eficiente, com o intuito de preparar o primeiro voo espacial tripulado por humanos.

Sputnik

O principal responsável pelo projeto foi o cientista russo Serguei Pavlovitch Korolev. Os cinco principais objetivos do programa eram testar o satélite artificial em órbita da Terra; coletar informação sobre a densidade atmosférica, por meio do cálculo do tempo de vida em órbita; analisar efeitos das ondas de rádio através da atmosfera; verificar a pressurização dos satélites e testar métodos de rastreamento em órbita.

Satélites Sputnik

– Sputnik I

O Sputnik I foi o primeiro satélite lançado ao espaço pelos soviéticos. Seu funcionamento consistia em enviar um sinal de rádio que podia ser escutado por rádios amadores no mundo inteiro.

O satélite era feito de alumínio, tinha 83 kg e diâmetro de 58 centímetros. No seu interior havia dois rádios transmissores, baterias e quatro antenas que captavam os sinais de transmissão.

Funcionou por apenas 22 dias, até que as baterias transmissoras se esgotaram. Sua queda na Terra aconteceu seis meses depois. No entanto, em pouco tempo, o Sputnik I auxiliou diversos estudos sobre a astronomia, meteoritos, temperatura na órbita da Terra, dentre outros aspectos presentes no espaço.

Com o sucesso do lançamento do primeiro satélite, a União Soviética passou a intensificar os estudos em tecnologia aeroespacial, para concorrer diretamente com os Estados Unidos. A URSS passou a preparar o envio de mais nove missões espaciais.

– Sputnik II
Em novembro do mesmo ano de lançamento do primeiro satélite, os soviéticos enviaram ao espaço o Sputnik II. Esse satélite contava com um tripulante bem irreverente, a cadelinha Laika, o primeiro ser vivo a ir para o espaço.

Os dados de Laika eram monitorados diariamente, até a sua morte, dez dias depois. Não se sabe ao certo como a morte ocorreu, se foi por falta de oxigênio ou superaquecimento da cabine.

Essa missão permitiu a comprovação de que seres vivos podiam ser enviados ao espaço. Após novos testes e ajustes, ocorreu a viagem do primeiro astronauta ao espaço, em 1961. Seu nome: Yuri Gagarin, o autor da famosa frase “A Terra é azul”.

– Sputnik III

Utilizando uma nova versão de foguetes propulsores, foi lançado o Sputnik III, em 15 de maio de 1958, com peso de 1340 quilos.

O projeto consistia em um laboratório espacial, que tinha o objetivo de estudar e coletar informações sobre o campo magnético da Terra. Permaneceu em órbita por dois anos, tempo maior do que seus antecessores.

– Sputnik IV

Em 1960, foi lançado ao espaço, o Sputnik IV, o projeto preparatório para que o primeiro homem chegasse ao espaço. No entanto, seu envio foi um fracasso, por conta de problemas mecânicos com os retrofoguetes propulsores.

– Sputnik V

O último satélite do programa Sputnik enviou não apenas um, e sim, diversos animais à órbita da Terra: as cadelas Strelka e Belka, dois ratos, 40 camundongos e dezenas de espécies de plantas. A missão durou apenas um dia, mas foi bem sucedida, com a volta de todos os animais vivos.

Período pós-Sputnik
Após o fim dos lançamentos da série de satélites Sputnik, houve três missões nomeadas de Korabl-Sputnik 3, Korabl-Sputnik 4 e Korabl-Sputnik 5, e o lançamento de duas naves chamadas Vostok.

Em 12 de abril, Yuri Gagarin seria o primeiro homem a chegar à órbita espacial da Terra a bordo da Vostok-1, que possuía 4,4 m de comprimento, 2,4 m de diâmetro e pesava 4.725 quilos. A viagem durou uma hora e 48 minutos e consistiu em uma volta através da superfície da Terra a 315 km de altitude.

O voo da Vostok-1 foi pilotado automaticamente. Yuri Gagarin tinha apenas uma chave para assumir o controle em caso de necessidade. No entanto, a missão ocorreu tranquilamente, a não ser por uma queima na volta para a Terra. Mesmo com a negação do fato, durante anos, se sabe que Gagarin ejetou e desceu de paraquedas até chegar ao solo.

Nos anos seguintes, o astronauta russo se tornou uma celebridade mundial e iniciou uma empreitada pelo mundo promovendo a sua viagem e a tecnologia aeroespacial soviética. Na América passou por Cuba e pelo Brasil, onde foi recebido pelo presidente Jânio Quadros, com a “Ordem de Cruzeiro do Sul”.