Estuário


O que é um estuário.

Um estuário é, por definição, uma zona alagada, na qual as águas doces de um rio e as águas salgadas do mar se misturam.

Um estuário pode ser estudado sob vários pontos de vista, caso consideremos as ciências da geografia, da geologia e da oceanografia. Segundo a geologia, um estuário é um vale alagado, que recebe sedimentos tanto fluviais quanto marinhos.

Sob o ponto de vista da oceanografia, um estuário é uma região semi fechada, onde há o encontro de águas fluviais e marítimas.

Estuário

Os estuários podem ser considerados como formações temporárias, uma vez que, por serem regiões delimitadas, recebem sedimentos. Esta ação, ao longo de milhares de anos, pode resultar em uma mudança na paisagem, tornando o estuário uma planície.

Um estuário também pode ser entendido como uma ambiente de transição das águas entre os rios e os mares.

O conceito de estuário pode ser confundido com o conceito de delta. Um delta de um rio se refere há vários canais de um rio que desembocam no mar. A partir do momento que há a mistura de água doce e salgada são considerados um estuário, mesmo que pequeno.

Um estuário pode ter origem a partir da movimentação de placas tectônicas na região. O depósito de sedimentos na desembocadura dos rios também pode originar um estuário.

São possíveis, ainda, quatro tipos de estuários, conforme a seguir: estuários de vales fluviais submersos, estuários do tipo fiordes, estuários originados por barragens naturais, estuários de delta fluvial.

O tamanho de um estuário é definido pelo alcance da água salobra em direção ao rio. Isto também pode variar devido a capacidade de vazão do rio.

Flora e fauna de um estuário.

Devido à mistura das águas doces e salobras, o estuário se revela um ecossistema extremamente rico, com alta produtividade. O movimento dar marés ajuda a prover o estuário de nutrientes do mar, economizando a energia dos seres vivos deste ecossistema para a procura de alimentos. Quando a maré baixa, a terra que fica exposta aquece e favorece a reciclagem de nutrientes, o que favorece o crescimento de microrganismos positivos para a flora.

Além disto, o depósito de folhas e outras vegetações, movimentado pelas marés, tornam o lugar rico em alimentos para os organismos que ali vivem. Por fim, o mar influencia nas temperaturas, de modo a evitar que haja extremos de temperatura.

Nos estuários, é possível encontrar uma grande variedade de peixes, crustáceos e outros animais que tem esta formação por habitat.

Dentre estes animais, podemos citar o peixe-boi, animal mamífero que se utiliza das terras lamacentas do estuário para cavar cavernas. Neste ecossistema, também são encontrados caranguejos, garças, gaivotas, biguás, pelicanos, pássaros mergulhadores, vieiras, cenouras do mar, peixe linguado, ceriantos e vários tipos de crustáceos.

No Brasil, a forma mais conhecida de estuário são os mangues tropicais, que podem ser encontrados em toda a costa litorânea do país. Nos mangues, podemos visualizar formações vegetais características deste ecossistema, com árvores com raízes aéreas, com o objetivo de facilitar a respiração destes vegetais.

Zonas de preservação ambiental.

Por se tratarem de ambientes com ecossistemas extremamente ricos, as regiões de estuário são, também, regiões extremamente frágeis, onde o equilíbrio ambiental é bastante sensível. As áreas de estuário, por serem isoladas, caso sofram alguma o perda ambiental, não irão conseguir recuperar-se. Ou seja, se há poluição e danos severos a este ecossistema, não é possível recuperá-lo.

Assim, todas as atividades que são realizadas no estuário e no entorno dele deve passar por um rigoroso processo de avaliação ambiental. Um exemplo é a pesca e a coleta de caranguejos. Para que seja preservada a vida neste ecossistema, as atividades de pesca e coleta de caranguejos precisam ser realizadas fora da época de reprodução, respeitando o período da desova destes animais.

Estuários em reservas naturais mais conhecidos.

Devido a sua fragilidade, o ideal é que os estuários sejam considerados reservas ambientais, com fins de preservar a flora e a fauna da região. No Brasil, assim como em outros países do mundo, algumas regiões de mangue foram consideradas reserva ambiental. Entretanto, devido ao crescimento das cidades localizadas na costa brasileira, importantes áreas deste ecossistema foram perdidas, como nas cidades de Recife e Florianópolis.

Porém, algumas reservas ambientais de estuários se tornaram referências na área. É o caso da Reserva Natural do Estuário do Sado, localizado em Setúbal e da Reserva Natural do Estuário do Tejo, localizado em Portugal. Estas reservas representam importantes locais para a preservação e estudo de ecossistemas, com fauna e flora existentes apenas nesta região do mundo. Além disto, na Reserva Natural do Estuário do Tejo, muitas aves utilizam a região como local de descanso e reprodução durante o período de migrações entre o continente africano e o continente europeu.

Assim, fica clara a importância deste ecossistema e a necessidade de preservação.