Os conflitos pelo mundo – Oriente Médio


Os conflitos pelo mundo

Os conflitos pelo mundo –Oriente Médio

Os noticiários de TV, jornais e revistas sempre apresentam matérias sobre conflitos no Oriente Médio. Logo após a Primeira Guerra Mundial, o local já era considerado o maior produtor de petróleo do mundo, o que gerou a cobiça das maiores potências mundiais e aflorou as já existentes disputas étnicas, territoriais e religiosas.

Conhecido como “berço da civilização”, a região localizada entre a Europa, Ásia e a África, é cercada pelos mares Mediterrâneo, Vermelho, Negro, Arábico, Cáspio, assim como o Golfo Pérsico e o Oceano Índico. Embora a maior parte dos habitantes locais seja pertencente à religião muçulmana e a suas subdivisões de seitas, há ainda o cristianismo e o judaísmo muito presente, já que também tiveram lá suas origens.

Uma disputa sem fim

O Oriente Médio é formado pela Arábia Saudita, Catar, Emirados Árabes, Israel, Líbano, Síria, Qatar, Irã, Iraque, Chipre, Egito, Omã, Palestina, Turquia, Bahrain, Iêmen, Jordânia e Kuwait. São 17 países com mais de 260 milhões de habitantes e cuja principal religião é muçulmana e suas subdivisões como xiitas, sunitas, drusos entre outros.

As mais populares doutrinas religiosas do mundo tiveram origem no Oriente Médio e estão presentes na região, mas sem passividade e equilíbrio. A imposição religiosa até mesmo de subdivisões muçulmanas são a base de conflitos na região por séculos.

Porém, logo após a Primeira Guerra Mundial e o aumento do uso de combustíveis e outros derivados do petróleo, fizeram com que o Oriente Médio se tornasse polo de disputas entre potências. No começo do século XX se restringiam a Inglaterra e França, até chegar aos EUA e URSS.

O local é o maior produtor de petróleo do mundo e tem sua economia principal voltada para sua exportação. A grande arrecadação dessa riqueza tornam um pequeno grupo da população muito rico, em contraste com a imensa desigualdade social de uma população maciçamente empobrecida e sem as necessidades básicas.

Após a Segunda Guerra o Oriente Médio, as superpotências dominaram a maior parte da região, mas sem o cuidado de entender os problemas muito específicos da região, que incluía as minorias étnicas e religiosas. Foi o bastante para não conseguir controlar o nascimento e desenvolvimento do fundamentalismo islâmico, que se tornou uma ideologia tão forte que chegou ao poder na Revolução Iraniana e no talibã afegão.

Os principais conflitos

É quase impossível falar em conflitos no Oriente Médio sem se referir a Israel e Palestina. A briga crônica entre judeus e árabes. A partilha da Palestina realizada pela ONU, logo após a Segunda Guerra Mundial fez com que os judeus ficassem com pouco mais da metade do território, localizado entre o Vale do Rio Jordão e o Mar Mediterrâneo, enquanto os palestinos a Faixa de Gaza e a Cisjordânia.

Os árabes e suas lideranças no Oriente Médio foram contra e muitos enfrentamentos foram acirrados através de aliados de ambos. Embora Israel e os judeus tenham vencido as forças árabes e levaram milhares de palestinos a fuga, abrindo ainda mais o território e acirrando o ódio entre ambos.

Outros conflitos importantes no Oriente Médio foram a Guerra de Suez, Guerra dos Seis dias, Guerra de Yom Kippur, Guerra do Líbano, Revolução Fundamentalista no Irã, Conflito Irã e Iraque , Guerra do Golfo e a Primavera Árabe.