Resumo sobre a República da Letônia


A República da Letônia (ou apenas Letônia), é um país europeu, sendo um dos três países bálticos, que além da Letônia, também compreendem a Estônia, com quem faz fronteira ao norte, e a Lituânia, com quem divide fronteiras no sul. Este país faz ainda fronteira com a Rússia e com a Bielorrússia ao sudeste, enquanto que tem litoral ao oeste, sendo banhada pelo Mar Báltico.

Resumo sobre a República da Letônia

Sua capital é a cidade de Riga, em um território cuja área de florestas cobre cerca de 50% da área total do país. Enquanto uma ex-república soviética, a Letônia acaba por ser um país de independência muito jovem, atingindo a emancipação política apenas em 1990, quando o bloco comunista estava ruindo no Leste Europeu e no mundo, de forma geral. O domínio soviético sobre a república deixou uma herança étnica: quase um quarto da população é composto por cidadãos russos. Mais recentemente, em 2004, a Letônia conseguiu se filiar à União Europeia (UE), e à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

História e Geografia

A História da Letônia e do povo letão é bastante antiga, e marcada por uma série de eventos pautados por conquistas e sofrimento. As primeiras habitações no território datam de cerca de 8.000 a.C. Os ancestrais do povo letão são as primitivas tribos bálticas que habitavam o local.

Durante a Idade Média, na Era Cristã, com a passagem do feudalismo para o capitalismo, a Letônia era tida como um importante entroncamento comercial, onde se desenvolveu uma pequena burguesia responsável pela venda de iguarias e outros insumos. Com o passar desta época, a Letônia foi ainda dominada pelos Cavaleiros Teutônicos e depois foi conquistada pelo Império Russo.

Durante o Século XX a Letônia chegou a experimentar um curto período de independência. De 1918 a 1934, o país se tornou a República Independente da Letônia, mas este período foi encerrado com o golpe de estado encabeçado por Karlis Ulmanis, que fechou o parlamento e fez com que o país mergulhasse em um regime ditatorial. Em 1940 o país foi anexado pela URSS e se tornou a República Socialista Soviética da Letônia, quando experimentou anos de execuções e outros tipos de abusos até sua independência definitiva em 1990 e posterior emancipação econômica que dura até atualidade.

No que diz respeito à geografia física do país, a Letônia fica localizada ao leste do Mar Báltico, posicionada a noroeste do bloco que se costuma chamar de Leste Europeu. O país possui um clima majoritariamente úmido, resultado da topografia do território letão, dos quais 98% das terras se localizam a mais de 200 metros de altitude.

A Letônia tem um território ocupado em quase metade por áreas florestais, cuja vegetação é composta majoritariamente por pinheiros. Outra característica interessante deste país é a presença de muitos pequenos rios e lagos. São mais de 12 mil rios, mas apenas 17 deles possuem mais de 90 km de extensão. Além dos rios, são mais ou menos 3 mil pequenos lagos. Os principais rios da Letônia são o Daugava, o Lielupe, o Gauja, o Venta e o Salaca. Apesar dos muitos rios, os demais recursos naturais da República da Letônia são escassos.

O clima deste país repleto de florestas mistas sarmáticas (segundo a WWF), tem um clima frio. São verões frescos e invernos bastante intensos. A temperatura máxima registrada na Letônia foi de 36,4°C, enquanto que a mínima foi de -43,1°C. São 64.589 km de área total no território letão.

Demografia e política

Em 2011, a população da República da Letônia era estimada em cerca de 2 milhões e 67 mil habitantes. Aproximadamente 62% da população é composta por habitantes letões, enquanto os russos ocupam em média 26% dos habitantes que vivem na Letônia. Outros povos, como os bielorrussos, os poloneses, os ucranianos e lituanos também fazem parte da população vivente do país. O idioma oficial do país é o letão, que faz parte das línguas bálticas indo-europeias. No entanto, a língua russa também é bastante falada no país, até mesmo pelos próprios habitantes letões.

A maior parte dos letões é cristã, dos quais 34% são luteranos, 24% católicos e 17% ortodoxos. Os demais habitantes são de outras vertentes religiosas ou ainda não possuem religião alguma. As maiores e mais populosas cidades da Letônia são Riga (capital federal), Daugavpils, Liepaja, Jelgava, Jurmala, Ventspils, Rezenke, Valmiera, Jekabpils e Ogre, em ordem decrescente.

O país possui apenas uma câmara legislativa, chamada de Saeima, onde trabalham 100 parlamentares. O país é comandado pelo primeiro-ministro, enquanto o presidente da república realiza um trabalho apenas cerimonial e simbólico como chefe de Estado. A questão étnica sempre foi incerta no país, e foi pautada por discussões ao longo do último século na câmara e no gabinete do ministro. Apenas em 1991 o parlamento aprovou as leis que garantiam a completa igualdade entre etnias, proibindo ainda qualquer tipo de preconceito ou descriminação baseadas por desigualdade étnica.