Resumo Utz Certified


O UTZ Certified, ou Certificado UTZ, é usado como uma etiqueta na agricultura sustentável, com o objetivo de indicar o cumprimento de alguns requisitos. Por isso, é também um programa que dispõe quais são as boas práticas da agricultura. No seu código, envolve as condições sociais e de vida dos produtores, e o meio ambiente dos seus lugares, assim como a gestão das fazendas produtivas.

Resumo Utz Certified

O UTZ foi fundado por Nick Bocklandt, um produtor de café belga da Guatemala, e Ward de Groote, um holandês que trabalhava tostando café. Outro cofundador foi a organização de agricultura sustentável Solidariedad. A entidade apoiou financeiramente o projeto e ajudou na aplicação do programa sobre terrenos. O impulso foi essencial para o UTZ a se tornar um selo global.

O certificado foi lançado em 2002, com o nome de Utz Kapeh, que em inglês significa Bom Café. A Fundação Utz Kapeh mudou oficialmente o logotipo e o nome (para UTZ Certified) em 7 de março de 2007.

Para ter o certificado, os produtores são obrigados a seguir à risca as normas básicas de segurança e qualidade desde o início. Conforme vão passando os anos, os pontos de controle adicionais são implementados.

Código de Conduta

O objetivo do UTZ Certified desde o início é aplicar métodos sustentáveis em larga escala no mercado mundial. A base do seu programa está contida no “Código de Conduta do Certificado UTZ”. Trata-se de um conjunto de critérios que indicam as práticas adequadas ao cultivo responsável. Os critérios abarcam as responsabilidades sociais e ambientais que ajudam a gestão agrícola eficiente.

O código de conduta é cumprido pelos grandes produtores de chá, café e cacau. Ele foi elaborado levando em consideração a experiência de muitos produtores diferentes. Em 2014 saiu uma versão do código, que teve sua base na “ILO Conventions”, que considerou também como base a experiência de muitos agricultores que utilizam o código.

Antes de serem aceitas as regras oficiais, foi necessário um grande processo de desenvolvimento do código. Envolveram-se stakeholders diretamente, que aceitaram amplamente as regras. Isso foi necessário porque o código deveria ser aplicado nas produções de todos os agricultores.

Além das disposições gerais, existem também os requisitos adicionais, que se enquadram em segmentos específicos do mercado. Por exemplo, há módulos de implementação só para o café, outros só para o chá, etc. Isso significa que o sistema de certificação se baseia na ideia de que haverá uma melhora continua do modelo adotado.

Produtos

Desde 2014, o certificado é o maior programa voltado ao cultivo sustentável de caco e café em todo o mundo. No mesmo ano, o primeiro informe geral sobre as produções, que demonstra o impacto do Certified UTZ, foi lançado. Ele demonstrou, através de dados externos e estudos recolhidos, que as produções de café, chá e cacau tiveram melhoras significativas.

Os rendimentos foram superiores e houve melhores cultivos, em termos de qualidade, em relação às culturas tradicionais. Demonstrou-se que, se implementado o Código de Conduta UTZ, os produtores melhoram seus conhecimentos e adotam as melhores práticas agrícolas sustentáveis.

O informe deixou claro que uma produção de café, cacau ou chá tem seu valor aumentado com a certificação. Ela faz com que aumente o número de compradores, visto que deixa claro que o produto segue uma norma reconhecida internacionalmente na produção sustentável. O UTZ já abarca as produções de:

• Café: O Certificado possui o maior programa de sustentabilidade do mundo para a produção de café. Segundo um dado de 2012, 9% da produção mundial utiliza o UTZ Certified.
• Chá: O programa amplo da UTZ para a produção de chá teve início em 2007, e tende a ampliar sua cobertura nos próximos anos.
• Avelãs: Atualmente há um projeto piloto para a produção de avelã. Está sendo testado na Turquia, para explorar as possibilidades de cultivo sustentável.
• Cacau: O programa para a produção do cacau começou em 10 de outubro de 2007. Grandes marcas deram apoio, como Cargill, Mars, Nestlé, Heinz Benelux, Ahold e ECOM. O objetivo da cooperação foi criar um sistema de certificação e rastreamento do cacau sustentável. Outros órgãos que incentivaram a iniciativa desde o início foi a Oxfam e a Solidaridad. Os primeiros produtos de cacau que têm o Certificado UTZ chegaram ao mercado em 2009. Em apenas 5 anos o programa de sustentabilidade para o cacau se tornou o maior do mundo. Há mais de 336.300 produtores com a certificação, em 16 países diferentes. Em 2012, dados indicaram que 13% do cacau produzido no mundo estava certificado pela UTZ.

Uma das maiores vantagens é que o preço mínimo para a negociação não é estipulado. Ele é determinado através de um processo de negociação entre vendedor e comprador. O UTZ Certified não interfere nas negociações de preço porque o enfoque está nas boas práticas agrícolas, para que os agricultores possam melhorar em termos de qualidade e quantidade sua produção. E, assim, podem aumentar o seu lucro.