Resumo História de passarinho


A história envolve a relação de um homem com o passarinho que encontrou na rua. O início da narrativa já deixa claro que esse homem já não mora na casa onde a história se passa. Inclusive, a autora afirma que ele sumiu depois de enlouquecer.

Resumo História de passarinho

A mulher desse homem, que era ruivo, sente a falta dele, e diz que costumava ser um santo. As pessoas que convivem com a família também o consideravam um homem bom. No entanto, não entendiam por que ele abandoou a casa, a esposa, o único filho que tinha com ela e seu emprego no cartório. Continue lendo o resumo História do Passarinho para saber como foi o encontro com o pássaro.

O encontro do animal

A esposa achava que certamente seu marido enlouquecera. A única certeza que ela tinha era o fato de ele ter encontrado um passarinho e isso estar ligado a sua partida. A história toda começou com um passarinho, cuja espécie, se pintassilgo ou canário, ela desconhecia. Ele aparecera com o passarinho na casa, e logo foi questionado pelo filho, o caçoando sobre o pequeno animal.

Mas o pai gostava de acariciar o passarinho através das grades da gaiola. Ele era apenas um filhote arrepiado, com uma escassa plumagem amarelo-pálida, e com penas na cor cinza-claro. O pai responde que encontrou o passarinho na rua, e provavelmente ele teria caído de um ninho. O filho esnoba do pai dizendo que ele não conhece nenhuma marca, nem de carro, nem de cigarro e nem “de passarinho”.

O homem realmente não era conhecedor de muitas coisas, mas ele sabia que queria estar em outro lugar naquele momento. Qualquer ambiente era melhor do que estar ali. Na medida em que o passarinho crescia, o homem ruivo percebia que o bichinho tinha muita coisa em comum com ele.

No entanto, nem todos gostavam do passarinho como o homem ruivo. Sua esposa, por exemplo, reclamava do canto dele. O filho pedia para o pai soltar o passarinho, pois, segundo ele, era um bicho muito chato. Mas o pai adorava o canto do animalzinho. Todo dia, antes de ir para trabalhar, ele ficava durante um tempo ouvindo o animal soltar seu canto, como se pudesse ficar assim para sempre.

Em seguida acariciava o passarinho com o dedo para se despedir. O bicho ficava triste e desejava sair da grade sempre que isso acontecia. Mas se cansava logo, e ficava com o bico machucado e o peito ofegante por se atirar na grade da gaiola. O homem ruivo o consolava, dizendo que não poderia ir para fora, pois já era tarde demais. Leia o final do resumo História do Passarinho a seguir.

O sumiço

Enquanto o homem consolava o pássaro, sua mulher reclamava de todas as coisas que desejara ter e seu marido não pudera dar. Reclamava do homem com o qual casara, pois ele não tinha utilidade nenhuma. Disse que não sabia o que pensava quando se casou com o “velho”.

Depois que a mulher acabava sua reclamação, que durava normalmente 50 minutos, o homem parava de ler (gostava muito de ler) e voltava a acariciar o passarinho. O animalzinho ficava tão tranquilo que era possível pegá-lo facilmente nas mãos.

Depois de reclamar, a mulher se esquecia do assunto e ia para a cozinha. Costumava chamar o homem ruivo para tomar café após isso. Um dia, ele saiu e acabou deixando a portinhola da gaiola aberta. Quando voltou à noite, com o pano preto que usava para cobri-la, ela estava vazia. O homem ficou desconcertado, e se sentou na escada de pedra da casa. Ficou ali durante toda a madrugada, olhando fixamente para a escuridão.

De manhã, o gato do vizinho se aproximou dele se espreguiçando feliz. Ele notou que por entre seu pelo caiu uma pequena pena amarela-acizentada. O homem pegou a pena que o vento soltou do corpo do gato e a observou. Ficou em silêncio. Seu filho viu a cena e começou a rir, chamando o passarinho de burro. Fez galhofa com o animal, pois, segundo ele, escapou da gaiola, mas acabou na boca do bichano.

O homem, de maneira calma e sem pressa, pegou a pena do passarinho e colocou no bolso. Em seguida, se levantou e saiu dali com uma expressão esquisita. Seu filho até parou de rir. Depois, ele contou para a mãe a toda a história, dizendo que o pai até parecia estar contente com o fato de o passarinho ter sido comido.

Ele repetiu essa história novamente, quando os vizinhos formaram uma roda para saber o que acontecera. O menino percebeu de repente que seu pai era bastante alto, e nunca tinha parado para pensar nisso. Mas isso ele não contou para os vizinhos, nem o fato de ter estranhado o seu andar preciso e forte. Esse é o final da História do Passarinho.