Historia do Banco do Brasil


O Banco do Brasil é a mais antiga e proporcionalmente a mais conhecida instituição financeira do país. Sua fundação remonta ao século XIX e sua importância na história econômica do Brasil é fundamental. O banco estatal fica ao lado de outros como a Caixa Econômica Federal, o Banco da Amazônia, o Banco do Nordeste e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, mas divide com poucos os números altíssimos de ativos, patrimônio e lucro. Conheça um pouco mais sobre esse gigante entre os bancos brasileiros.

Historia do Banco do Brasil

Origem e história

Em 12 de outubro de 1808, D. João VI (até então, Príncipe-Regente, futuro Rei) fundou o Banco do Brasil com o objetivo de financiar a criação de indústrias manufatureiras no país. A ideia era que a importação de matérias primas e a exportação de produtos industrializados (sob isenção de impostos, diga-se de passagem) ajudaria a movimentar o comércio brasileiro. O banco iniciou suas atividades no ano seguinte, na rua Direita, Rio de Janeiro, com o capital de 1200 contos de réis em forma de ações. Além das vendas dos produtos monopolizados pela Coroa Portuguesa, como pau-brasil, marfim, urzela e diamantes, o banco também realizava depósitos, descontos e emissões para os acionistas endinheirados.

A partir de então, o banco entrou em uma crise sem volta depois do financiamento integral da construção da sede para a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, em 1819 e, principalmente, depois do desfalque causado pelo retorno da família real à Portugal, em 1821, já que Dom João VI e os seus realizaram um saque estrondoso para custear a viagem. No ano seguinte, com a Independência do Brasil proclamada por D. Pedro, a crise do banco se aprofundou e, sob pressão, ele foi fechado em 1833.

Em 1851, já no Segundo Reinado do Império do Brasil, Irineu Evangelista de Souza (que futuramente se tornaria Barão e Visconde de Mauá) criou um novo Banco do Brasil, agora com um capital de dez mil contos de réis, um valor exacerbado para a época. O retorno do banco se deu bem mais forte que seu início, graças a ligações estreitas com o mercado de capitais, motivo pelo qual as reuniões prévias e a assembleia constituinte foram realizadas no salão da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro.

Dois anos mais tarde, em 1853, uma fusão entre o Banco do Brasil e o Banco Comercial do Rio de Janeiro foi determinada pelo ministro Joaquim José Rodrigues Torres, visconde de Itaboraí, fazendo com que o banco se formasse como o que conhecemos hoje. Por esse motivo, ele é considerado o fundador oficial da instituição, atualmente. Então, o Banco do Brasil se tornou o único órgão emissor da moeda do país, o que perdurou até 1866, onde o direito de exclusividade foi cassado em meio a uma crise inflacionária.

Depois de 1888, com o fim da escravidão, o banco abriu as primeiras linhas de crédito rural para que fazendeiros recrutassem imigrantes europeus. Mais tarde, em 1893, ele se fundiu mais uma vez, agora com o Banco da República dos Estados Unidos do Brasil, passando-se a se chamar, então, Banco da República do Brasil. Em 1906, o nome original voltou oficialmente.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a instituição deu apoio aos brasileiros que lutavam na Itália através de alguns escritórios espalhados pelo país. Em 21 de abril de 1960, uma agência foi inaugurada em Brasília e a sede do Banco do Brasil se transferiu para lá de imediato. A expansão prosseguiu e, 11 anos depois, o banco já contava com 975 agências por todo o país e mais 14 no exterior, incluindo em Nova Iorque, onde suas ações passaram a ser negociadas na Bolsa de Valores.

Em 1985 foi criada a Fundação Banco do Brasil, com o fim de apoiar e patrocinar ações culturais, sociais e esportivas sem fins lucrativos. Na década seguinte, sua importância foi posta à prova mais uma vez na substituição da moeda (Cruzeiro por Real), sendo ele o banco responsável pela troca e distribuição do Real por todo o território nacional.

Hoje em dia

Atualmente, o Banco do Brasil segue sendo a maior instituição financeira do país. Alguns dados podem ser observados:

  • Além do Brasil, o banco está presente também em outros 21 países;
  • O número de agências em 2016 é de 5.429;
  • O atual presidente do banco é Paulo Caffarelli;
  • Sendo constituído de economia mista, tem como maior acionista a União brasileira, com 68,7% das ações;
  • Conta com, aproximadamente, 26 milhões de clientes;
  • Além de banco, também oferece serviços nas áreas de seguro, private equity e banco de varejo;

O Banco do Brasil tem forte presença no agronegócio e no investimento de pequenas e micro empresas. Possui também programas conceituados nas áreas da cultura, saúde, capitalização e previdência, além da criação do Banco Popular do Brasil (BPB), que oferece uma conta simplificada para pessoas de baixa renda. Seu valor de mercado é algo em torno de R$53,2 bilhões.