Antiguidade Oriental: Civilização Egípcia e Mesopotâmia


Quando falamos de Antiguidade Oriental, a primeira coisa que vem às nossas cabeças são os Faraós do Antigo Egito, além deles outros fatos que devem ser lembrados são: a agricultura de valores, a grande dependência dos rios Eufrates e Tigre e também os valores religiosos de cada um desses “governos”. Por isso, abaixo falaremos um pouco das Antigas Civilizações orientais que juntas ficaram conhecidas como Antiguidade Oriental.

civilizacao egipcia

Civilização Egípcia

Essa é a civilização mais antiga da qual sabemos a história e, assim como as outras civilizações mais antigas do mundo, ela nasceu em uma região fértil e também tem como característica a relação que o homem tinha com a natureza em declínio. A região conhecida como Crescente Fértil ficava perto de rios importantes como o Tigre, o Nilo e o Eufrates e serviu para fazer com que os homens que ali viviam acabassem se tornando mais sedentários que seus ancestrais.

A civilização egípcia era marcada pela construção de canais de irrigação e pela domesticação de animais, o que fazia com que eles não precisassem andar muito para encontrar água e alimento, mas que mostrou como intelectualmente a sociedade começava a criar uma infraestrutura. Com isso, sabemos que a agricultura começa a se tornar um fator importante para as civilizações que plantavam aos pés de suas casas tudo o que precisavam para viver.

Esse tipo de organização deu início ao que conhecemos hoje como comunidade e fez com que esse conceito se expandisse e que as comunidades amplas passassem a ser uma realidade.

No entanto, o maior destaque da civilização egípcia não foi o de sua comunidade e sim o de seu governo. Um Estado que comandava milhares de pessoas e que pela primeira vez na história se parecia com o conceito que conhecemos hoje de Estado. O Egito ficava situado na parte Nordeste do continente Africano, bem perto do Rio Nilo, do qual a comunidade usava os recursos hídricos. A percepção dos egípcios era tanta que eles analisaram como o rio se comportava e perceberam que se durante o sistema de cheias do Nilo eles conseguissem plantar na região, conseguiriam sustentar toda a sua comunidade sem maiores problemas, e foi exatamente isso que eles fizeram.

O Faraó também tem destaque importante na civilização egípcia, já que seu Estado centralizado nesta figura política conseguiu organizar trabalhadores a mando de suas ordens e de seu governo. Assim, o Faraó recrutava pessoas que iriam trabalhar nas demarcações de terras, construções de pirâmides e outros monumentos, entre outros.

Outra característica importante nessa civilização é que cada pessoa, chamado na época de camponês, possuía seu próprio pedaço de terra para cultivo de cevada, trigo, uva, legumes e até mesmo papiro, mas o Faraó exigia que um pedaço de cada produção da comunidade fosse reservada para ele.

No entanto, o destaque mesmo da cultura dessa civilização foi que, pela primeira vez na história, eles mostraram habilidades na física, matemática, geografia, astronomia, medicina e arquitetura e, mesmo que não contassem com o legado tecnológico que temos hoje a nosso favor, suas obras estão presentes até hoje e intrigam e impressionam quem quer que as conheça.

Mesopotâmia

Essa sociedade tem como principal característica sua localização, que ficava entre os rios Eufrates e Tigre e que se tornou uma das áreas de maior desenvolvimento para outras civilizações na Antiguidade. Isso acontecia pelo mesmo motivo que fez com que os egípcios se instalassem perto do Nilo, o fato de conseguirem usar suas cheias para a agricultura, assim como seus vazantes tornavam a região muito rica, com um solo altamente fertilizado.

Entre as civilizações que por ali se instalaram estavam os acádios, sumérios e assírios, que aumentavam seus centros urbanos e, com isso, acabam entrando em conflito e, pela primeira vez na história, mostram uma característica importante, a troca de costumes e valores que aconteciam não só por sua proximidade, mas também pelos seus intensos conflitos.

Essas civilizações nasceram graças ao deslocamento de populações da Ásia Central e de algumas regiões montanhosas e que fizeram da Mesopotâmia um gigante conjunto de cidades-estados, como antes eram conhecidos, Ur, Nipur, Lagash e Uruk. Como cada uma dessas cidades-estados possuíam sua própria religião e também sua política, os confrontos entre eles eram intensos e frequentes, principalmente porque todos queriam se estabilizar nas regiões onde o solo era mais fértil e assim pudessem plantar mais.

Um dos maiores legados dessa região foram uma rede comercial ampla criada e também códigos jurídicos, escolas, medicina, escrita, templos religiosos e a matemática, principalmente devido às somas e multiplicações que implicavam no grande comércio que ali se instalou.

Destaque maior teve a civilização amorita, que nasceu em 1900 a. C que tinha como centro de sua civilização a cidade conhecida como Babilônia Um dos principais reis desse império era o famoso Hamurábi, que ficou conhecido por criar um código de leis escritas que tinham mais de 280 artigos e o importante Código de Hamurábi que dizia “olho por olho e dente por dente”.