História da Mecânica: A Mecânica na Grécia Antiga


A mecânica é considerada um ramo da física, o qual foi dividido em diferentes partes para que sua compreensão fosse mais ampla. Considerada um dos ramos mais antigos da física, a mecânica começou a ser estudada ainda nas primeiras civilizações, quando o homem tinha a curiosidade em descobrir como funcionam os movimentos dos corpos. Em busca de aliviar o esforço físico da população antiga, alguns estudiosos começaram a estudar máquinas que pudessem ajudá-los.

Essas máquinas foram basicamente o primeiro marco que permitiu começar os estudos que se relacionam com a mecânica. Com o auxílio das máquinas os homens ficariam isentos dos esforços físicos, graças à potência dos recursos que passam a simplificar algumas das tarefas que deveriam fazer ao longo do dia, e que exigiam muito trabalho e esforço físico. Depois de um bom tempo foi a vez dos gregos buscarem respostas relacionadas aos movimentos que os corpos faziam.

A Mecânica na Grécia Antiga

Assim como para qualquer homem, os gregos se preocupavam com o movimento que acontecia de maneira evidente no Universo. Sua preocupação era entender como ocorria o movimento dos corpos, principalmente dos corpos celestes, e muitos pensadores gregos começaram a desenvolver sistemas que poderiam descrever esses movimentos, os quais classificaram como algo que fazia parte da natureza das coisas.

Muitos estudiosos gregos começaram a investir em pesquisas que pudessem ajudá-los a descobrir os fundamentos da movimentação que ocorria, mas muitos acabaram não encontrando o que desejavam para explicar a questão de maneira filosófica. Com o tempo, mais estudiosos gregos começaram a estudar a origem dos movimentos e tudo que os envolviam. Até que alguns passaram a estabelecer os primeiros princípios científicos da mecânica.

Quando a o movimento começou a ser “estudado”

Muitos nomes conhecidos da Grécia Antiga como Heráclito, Aristóteles, Arquimedes e até mesmo Platão foram cruciais para a descoberta da mecânica e tudo que a envolve. No caso de Platão, ele foi um dos responsáveis por lançar um modelo mais complexo que explicava toda a movimentação que ocorria entre os corpos celestes. O modelo explicava que o planeta Terra estaria tecnicamente imóvel e estaria envolvido por uma espécie de quatro capas esféricas e também por astros.

Com o tempo, Platão e outros filósofos gregos lançaram uma crença diante da geometria, que seria a responsável pela manifestação da divindade. Nessa crença, todos consideravam o movimento dos corpos celestes algo com trajetória perfeita onde os seus movimentos eram uniformes. Essa trajetória perfeita era representada, segundo os gregos, como um movimento circular, fazendo com que o mundo fosse basicamente uma curva perfeita, mas essas teorias foram mudadas.

Seguindo as teorias referentes à mecânica na Grécia Antiga, é necessário citar Aristóteles como um dos filósofos responsáveis pela teoria que nos dias atuais é classificada como mecânica. O filósofo começou a estabelecer um sistema do qual os movimentos acontecem por conta de atributos do “ser” que passa a se movimentar. De acordo com Aristóteles o “ser” que ele cita como responsável pela movimentação das “coisas” teria quatro características importantes.

Essas características seriam sua essência, sua qualidade, sua quantidade e também seu lugar. Por mais que Aristóteles tivesse defendido a tese de que a Terra era esférica, seus estudos não foram suficientes para entender completamente o movimento e consequentemente a teoria sobre a mecânica. Foi Arquimedes que realizou uma grande contribuição para que pudessem entender e desenvolver a mecânica. Por isso que ele é ainda considerado o “Pai da Mecânica”.

A Mecânica de Arquimedes

Seguido pelo físico Heron de Alexandria, Arquimedes foi responsável pela criação de um tipo de formalismo matemático que passou a introduzir na História os seus estudos sobre estática e também sobre a hidrostática. Suas descobertas foram fundamentais para a mecânica e tudo que a envolve, como é o caso da hidrostática, que lançou a lei do empuxo, a qual explica que os corpos passam a perder peso quando submersos, o que se relaciona com seu deslocamento.

Na mecânica da Grécia Antiga é possível encontrar princípios interessantes que permitiram desenvolver ideias relevantes para os dias atuais. Um exemplo são os sistemas de roldanas (ou polias, como também são conhecidas), que por sinal foram desenvolvidos por Arquimedes. Essas roldanas são extremamente úteis nos dias atuais, por permitirem levantar e arremessar pesos. Há outros simples mecanismos que fazem parte da mecânica, mas que foram lançados em outros momentos.

Arquimedes foi responsável por lançar teorias interessantes que mais tarde serviram de apoio para Heron e, anos depois, para cientistas como Galileu Galilei, que foi responsável por criar as mais variadas teorias e leis interessantes para a mecânica. Um exemplo é a lei de pêndulo, que foi responsável por criar fundamentos importantes sobre inércia e solucionou problemas relacionados à estática e afins, tornando-se indispensável para a mecânica.

Conforme o tempo passou mais teorias foram surgindo, o que fez com que a mecânica se tornasse uma das primeiras ciências exatas.