Barroco na Literatura


O Barroco foi um período do século XVI formado pelas primeiras manifestações literárias brasileiras que aconteceram no Brasil Colônia, totalmente influencias pelo barroco europeu. O movimento gerou uma visão nova de mundo por meio de lutas religiosas e forças complementares, como o espírito e a razão.

Todas as manifestações que abrangem formas artísticas, literárias e filosóficas, nos anos 1600 e 1700, são consideradas do movimento barroco.

Barroco na Literatura

O estilo barroco surgiu em virtude da crise Renascentista, movido pelas fortes diferenças religiosas e exigências do catolicismo e pelos obstáculos econômicos impostos pela queda do comércio com o Oriente.

Todo o refinamento encontrado na arte e na literatura barroca é reação dos conflitos opostos entre o terreno e o celestial, o homem e Deus, o pecado e o perdão, a religiosidade medieval e o paganismo renascentista. A arte barroca registra esse período de divisão entre as influências do Renascimento e a religião.

Os homens dessa época estavam entre o céu e a terra. Ao mesmo tempo que procuravam pela salvação queriam desfrutar dos prazeres materiais, o que gerava um conflito com os católicos conservadores da época.

O Barroco evidencia tudo que é mutável, que muda de aspecto e está sempre em movimento.

Uma das ideias desse movimento foi a tradução da Bíblia para os idiomas nacionais, proporcionando novas interpretações das escrituras, o que enfraquecida e dividia a Igreja. A resposta a essa ação foi o início da Contrarreforma, em 1563, com o objetivo de combater o protecionismo e recuperar os domínios perdidos pela Igreja. O Barroco reflete essa tensão entre fé e razão, espiritualismo e materialismo.

Essa variação céu/ inferno, dimensão carnal/espiritual vivida pelo homem daquela época é uma das principais características da literatura barroca. Os escritores barrocos exageram no jogo de palavras (cultismo) e no jogo de ideias (conceptismo).

Características do Barroco

– A arte da Contrarreforma

A ideologia do Barrocoé adquirida pela Contrarreforma, uma vez que, nessa época, a produção de igrejas, capelas, estátuas de santos e monumentos sepulcrais era muito grande. As obras precisavam convencer, conquistar e impor admiração aos fiéis.

– Conflito entre corpo e alma

Com a influência da Contrarreforma houve um conflito entre ideais de vida eterna e vida terrena e de espírito e carne. Do ponto de vista barroco, não existe a possibilidade de combinar esses opostos, ou vive a vida sensualmente, ou foge dos prazeres humanos e chega a eternidade. A angústia causada no artista com a ideia de trabalhar com os opostos, faz com ele ora festeje as delicias da vida, ora se ajoelhe diante de Deus.

– A passagem do tempo

O homem barroco tem consciência no que se refere a velocidade da vida, mas permanece na questão de viver a vida antes que termine, ou voltar ao passado e se entregar a eternidade.

Cultismo e conceptismo

O cultismo é o usos de uma linguagem culta e extravagante, cheia de jogos de palavras e figuras de linguagem, como a metáfora e a hipérbole. Já o conceptismo uso o jogo de ideias acompanhando um raciocínio lógico e nacionalista.

No conceptismo, a organização da frase respeita uma ordem com o objetivo de ensinar e convencer.

Figuras de Linguagem

As figuras de linguagem mais comuns nos textos barrocos são usadas na tentativa da realidade ser compreendida por meio dos sentidos. Algumas dessas figuras de linguagem, são:

– Metáfora: uma comparação escondida.

Antítese: reflete o contrate de ideias. Característica muito presente no homem barroco.

– Paradoxo: união de duas ideias opostas em um mesmo pensamento.

– Hipérbole: ideia de grandiosidade.

– Prosopopeia: personificação de seres inanimados.

Temas da Literatura Barroca

Alguns temas são mais frequentes nos textos de literatura barroca, entre eles estão: apelo a religião, erotismo, misticismo, arrependimento, castigo, cenas trágicas, o tempo como agente da morte, morte e fugacidade da vida.

Autores e Obras do Barroco

Gregório de Matos: Buscando a Cristo; Florilégio da Poesia Brasileira; A Cristo N. S. Crucificado.

– Bento Teixeira Pinto: Prosopopeia; Diálogos das Grandezas do Brasil; Relações do Naufrágio.

– Frei Manuel de Santa Maria Itaparica: Sobre as Vozes Tristes dos Sinos; Poema Avulsos; Canção Fúnebre; Eustáquios; Epigrama Latino.

– Manoel Botelho de Oliveira: Música do Parnaso.

– Padre Antônio Vieira: História do Futuro; Esperanças de Portugal; Sermão do Mandato, Sermão do Bom Ladrão, Sermão da Quinta Dominga da Quaresma; Sermão do Espírito Santo.

Na arquitetura, um dos grandes nomes do Barroco foi Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. Nas artes plásticas o Barroco se manifestou tarde no Brasil, após a descoberta do ouro em Minas Gerais que sucedeu a construção de igrejas de estilo barroco.