Resumo A Nova Alma do Negócio


Esse é um resumo “A Nova Alma do Negócio”, de Tom Morris. O livro possui a tese segundo a qual a sabedoria antiga pode resolver as dificuldades que os profissionais encontram no mercado. O autor diz que o ser humano pode atingir excelência em sua busca pelo sucesso. Ele propõe uma reunião para adotar uma filosofia de abrangência coletiva.

Resumo A Nova Alma do Negócio

As questões do livro foram analisadas pelo autor ao longo da sua trajetória como profissional. A chave da obra está na questão: De que forma as empresas modernas podem utilizar a filosofia clássica?

Segundo o autor, ela contém segredos que elevam a produtividade e a moral das organizações de qualquer tamanho. As reflexões propostas por Tom Morris estão ligadas à filosofia de Aristóteles, Santo Agostinho, Sêneca, Confúcio, Ralph Waldo Emerson e outros.

Valores antigos podem ser o que as empresas estão buscando. Para atingir a excelência completa, elas devem ir atrás da unidade, beleza, bondade e verdade. Essas são, segundo Aristóteles, “as quatro virtudes atemporais”, que foram identificadas há cerca de 2,5 mil anos. O autor afirma e exemplifica que as organizações bem sucedidas valorizam a dignidade humana ao adotar conhecimentos da filosofia antiga.

O livro também mostra estratégias claras e bem definidas para atingir essas virtudes. Demonstra com exemplos como podemos adaptá-las para a vida pessoal e profissional. A obra defende uma ética de negócios inovadora e um local de trabalho que tenha franqueza para atingir resultados. Continue lendo nosso resumo A Nova Alma do Negócio.

Assunto da obra

A obra mostra que é possível combinar a excelência no trabalho com felicidade na vida pessoal. Segundo o autor, todos os humanos têm excelências que estão por trás de nossas ações. Isso envolve, por exemplo, as relações dentro da empresa com consumidores e fornecedores. Morris cita Aristóteles, que percebeu que cada pessoa traça caminhos diferentes ao longo da vida, sendo que todas elas querem uma coisa só: a felicidade.

A primeira parte do livro trada da Verdade. O autor aborda a dimensão intelectual do trabalho, dizendo que as ideias alimentam a mente tal como a água nutre o organismo. Isso significa que não precisamos apenas de água e boa comida, mas também de boas ideias para viver. Ele indica a diferença entre verdade e mentira, e a tentação de atingir os objetivos de maneira inescrupulosa, manipulando outras pessoas. E demonstra como a verdade pode ser facilmente aniquilada pelos desejos humanos.

Nesse capítulo, vemos como a felicidade depende da verdade. Todas as pessoas usam mentiras para atingir objetivos, mas os tamanhos das mentiras variam. Ao mesmo tempo, elas condenam a mentira, mesmo sabendo que é possível se beneficiar com elas. Essa é uma dos comportamentos mais corrosivos e desestabilizadores da vida humana.

Morris demonstra como o resultado nas nossas ações é efeito das nossas ideias. Em seguida, a obra aborda o valor da beleza para a vida humana, destacando a dimensão estética do trabalho. Para o autor, o espírito, cuja beleza também renova e alimenta a mente, deve ser libertado. E essa é a dimensão mais negligenciada da experiência humana. Estética e satisfação profissional estão diretamente ligadas, e por isso o alinhamento desses dois aspectos é essencial. Veja agora no Resumo A Nova Alma do Negócio um pouco mais sobre isso.

Bem estar no trabalho

As empresas precisam conciliar a estética com a surpresa do novo. Isso diminuirá a ansiedade dos trabalhadores e melhorará o resultado dos trabalhos. Morris demonstra a complexidade humana, e destaca como a mística é importante. Rituais em que a pessoa é envolvida totalmente são necessários, pois o homem não é apenas intelecto.

O autor demonstra a importância da arte no trabalho, pois isso aumenta o poder de concentração. Os colaboradores se sentem valorizados e se entregam com mais afinco. O resultado é o aumento da qualidade e do volume de produção, pois os trabalhadores passam a ver que a satisfação do emprego vai além do salário.

Nessa parte do livro Morris aborda a necessidade da bondade em uma dimensão moral, e quais são os desafios da ética. Aborda também uma regra que foi observada em religiões e culturas diferentes. Ele demonstra como a sabedoria permite o crescimento de grandes empresas. Afirma que virtude é primordial, e mostra como a corrupção e o poder, podem destruir uma empresa.

O último capítulo aborda a unidade no trabalho, com foco na espiritualidade. O autor demonstra quatro necessidades que todo ser humano com grande poder tem:

1. Singularidade como indivíduo.
2. União com algo maior.
3. Utilidade aos outros.
4. Compreensão da vida e do trabalho.

O autor mostra como os homens são partes de uma união, e nenhum vive sozinho. Ele afirma a importância da diversidade nos anos recentes. No final trata da necessidade de compressão, e no Epílogo fala como conseguir excelência corporativa. Com as dicas desse livro, é possível melhorar a vida no ambiente profissional.