Resumo sobre Touch screen


A tecnologia touch screen, também chamada de tecnologia sensível ao toque, já é empregada em inúmeros equipamentos como celulares, tablets e jogos portáteis, entre outros. Ou seja, ela faz parte do nosso cotidiano mesmo que nem sempre notemos. Esse recurso tem a finalidade de identificar a pressão de um toque, bem como localizá-lo. O contato pode ser realizado com os dedos ou ainda com objetos especiais. O processo se dá em uma área de exibição e assim dispensa a utilização de outros periféricos de entrada como mouse e teclado. Para que o mecanismo funcione corretamente, a tela é sensível à pressão e permite que o usuário conduza várias ações. Assim sendo, ele consegue interagir de forma direta com os dados que aparece na tela, sejam imagens, numerais, palavras ou letras específicas.

Resumo sobre Touch screen

Outro exemplo usual dessa técnica está presente nos caixas eletrônicos de banco mais modernos, nos quais o cliente seleciona os procedimentos que desejar. Na própria tela de exibição, é possível não só escolher os serviços como também digitar as senhas individuais para o acesso. Do mesmo modo, alguns notebooks já contam com essa tecnologia e podem ser controlados apenas tocando na tela. No dia a dia, talvez o caso mais clássico do touch screen sejam os smartphones, sobretudo nos famosos Iphones, nos quais não há um teclado físico. Portanto, o aparelho todo é uma tela sensível ao toque.

Apesar de funcionarem de maneira semelhante, celulares e demais dispositivos por vezes usam métodos distintos para detectar quando alguém encosta na tela. Os três sistemas mais comuns atualmente são:

  • Sistema resistivo;
  • Sistema capacitativo;
  • Sistema de onda acústica superficial.

Entenda a seguir as diferenças básicas entre esses três modelos de touch screen, com suas vantagens e limitações.

As três categorias de touch screen

O sistema resistivo apresenta diversas camadas e é possivelmente a opção mais simples. Primeiro, tem-se o painel de vidro, isto é, o monitor em si. Ele é coberto por um revestimento de metal – a segunda camada – e ainda conta com uma camada resistiva. Essas duas últimas partes do sistema são separadas por um espaço bastante fino. Sendo assim, quando alguém toca na tela, a referida camada metálica (que é condutiva) e a resistiva entram em contato. Após a ação do indivíduo, o comando é traduzido e o aparelho cumprirá a função selecionada. Isso porque as placas se encontrarão onde ocorre o toque. O Nintendo DS, bem como alguns caixas eletrônicos usam essa tecnologia para os seus monitores. Um diferencial do sistema resistivo é que qualquer instrumento que efetue uma pressão pode ativar o touch screen. Em decorrência disso, há quem use canetas especiais para controlar os aparelhos. No entanto, por causa das duas placas presentes nesse tipo de item, apenas cerca de 75% da luminosidade do monitor é capaz de passar.

Já o sistema capacitativo utiliza uma camada que serve para armazenar a carga elétrica. Tal mecanismo encontra-se no painel de vidro do touch screen. No momento em que o usuário encosta no monitor, há uma alteração na quantidade de carga em um determinado ponto e assim o sistema consegue localizar o toque. Desse modo, o processo garante que o comando seja obedecido com eficiência. Os pontos positivos da técnica em questão são a sua versatilidade e a luminosidade da tela, que chega a 90%. A Apple lança mão desse recurso em seus celulares e outros produtos com telas sensíveis ao toque.

Por fim, no sistema de onda acústica superficial, as responsáveis pelo funcionamento são as ondas acústicas que passam na tela sensível ao toque. Quando a pessoa pressiona o monitor, uma parcela da onda é absorvida para em seguida registrar em que área o toque aconteceu. A localização se dá por meio de uma grade de coordenadas geradas pelas ondas. Portanto, não existe a necessidade de uma placa metálica como nos dois outros modelos. O sistema touch screen por ondas acústicas possibilita passar toda a luminosidade do tela, por isso alguns especialistas consideram esse o melhor método.

Continue a leitura para saber quais são as perspectivas para os monitores touch screen.

O futuro da tecnologia touch screen

Muitos estudos tentam projetar como os sistemas touch screen se desenvolverão em médio e longo prazos. Entre as possibilidades a serem exploradas é o aprimoramento dos multi-touch, isto é, das telas que reconhecem múltiplos comandos. Também esta sendo trabalhada a ideia de aproveitamento espacial para mediar interações e toques. Com isso, a meta é combinar as telas sensíveis ao toque com identificação de vozes, movimentos e inclusive certas emoções. Essa evoluções deverão mudar drasticamente a relação das pessoas com a tecnologia.

  • Grandes corporações ligadas à tecnologia buscam formas de melhorar os sistemas de touch screen
  • O objetivo é aliar as telas sensíveis ao toque com recursos de reconhecimento de voz, movimento e até emoções.