Convidar para ou convidar a?


Antes mesmo de começar este artigo gostaríamos que você desse uma olhadinha em duas frases muito parecidas – se não fosse por uma preposição:

“Convidamos você e seu cônjuge para comparecerem ao meu casamento que será em maio de 2018”.
“Convidamos você e seu cônjuge a comparecerem ao meu casamento que será em maio de 2018”.

Percebeu a diferença? Na realidade, ela é muito simples. Enquanto uma está convidando para o casamento seguido da preposição ‘a’, outro faz o mesmo convite, porém, com a preposição ‘para’. Mas afinal, qual dessas duas frases será a escrita de modo correto? Confira a resposta para essa e outras dúvidas envolvendo “convidar para” ou “convidar a” no decorrer deste artigo.

convidar-para-ou-convidar-a

Convidar para ou convidar a – qual está certo?

O caso de “convidar para” ou “convidar a” é mais um daqueles delimitados pela regência verbal da língua portuguesa.

Não à toa, o caso nos leva a seguinte dúvida: qual será a preposição correta no acompanhamento deste verbo?

O exemplo citado acima representa uma situação muito comum da língua portuguesa, presente no dia a dia de muitos de nós.
Pensando nisso, separamos neste artigo as principais características que demarcam o uso de uma ou outra preposição (elemento responsável pela ligação entre o verbo ‘visitar’ e o seu complemento).

Está preparado (a)? Então vamos lá.

O verbo ‘convidar’ pode assumir os mais variados sentidos – o que faz com que algumas vezes seja acompanhado da preposição ‘a’, e outras vezes, da preposição ‘para’.

Como no caso do exemplo que deu início a esse post, o seu sentido é de chamar, solicitar, convocar a presença de uma pessoa a determinado local ou ocasião. Neste sentido, o verbo deve ser regido exclusivamente pela preposição ‘para’.

Alguns exemplos do uso desta preposição com o verbo convidar são os seguintes:

-> Convidamos todos os estudantes PARA prestigiarem a solenidade de entrega de diplomas aos formandos do curso de Medicina;
-> Convidamos você e seu cônjuge PARA prestigiarem o nosso casamento, em maio de 2018;
-> Convidamos você e sua família PARA comparecerem à solenidade de início de atividades da nossa nova unidade;
-> Convidamos todos os atletas PARA participarem da abertura dos Jogos Olímpicos.

Porém, existem algumas situações em que a preposição ‘a’ é realmente a mais adequada (no lugar do para). Confira a seguir quais são elas.

Quando o ‘convidar a’ é utilizado no lugar do ‘para’

Quando o convidar é utilizado no sentido de requerer, pedir ou ordenar (mesmo que de modo cortês), a preposição mais recomendada a lhe acompanhar é a ‘a’.

Observe a seguir alguns exemplos de sua utilização:
-> Ele convidou todos os participantes A se retirarem após o conflito na festa;
-> Convido todos A se retirarem devido ao constrangimento da situação;
-> Convido todos À próxima etapa da festa.

Outra situação em que a preposição ‘a’ se torna a preferida é quando o verbo visitar é utilizado no sentido de despertar o interesse, atrair a vontade ou induzir a algo. Neste caso, vamos para alguns exemplos:

-> O discurso feito pelo padre convidou todos a refletirem sobre suas vidas;
-> As fortes palavras escolhidas pela sentença de condenação convidaram-no à observação de seus atos;
-> A alocução do radialista convidou os ouvintes à observação;
-> O discurso propagado pelo monge levou seus credores à meditação.

Há ainda a situação em que o verbo convidar é utilizado com o objetivo de provocar ou incitar algo de modo conveniente. Neste caso, a preposição que deve ser utilizada também é ‘a’.

Os exemplos são:

-> Seu comportamento convida à insegurança;
-> Sua atitude convida à incerteza;
-> Sua conduta convida à interrogação.

Sendo assim, concluímos que o ‘convidar para’ só é utilizado no sentido mais amplo do verbo convidar, que é chamar/convocar uma pessoa a comparecer em determinado local ou ocasião. Mas por outro lado, você deve ter notado o quanto o convidar ‘a’ também é utilizado de modo bem expressivo – já que ele é o único visto nos demais sentidos do verbo ‘convidar’.

Tanta disparidade entre uma situação e outra nos faz concluir que a língua portuguesa realmente é cheia de surpresas gramaticais.
Muito possivelmente, antes de se deparar com esse artigo, você já havia utilizado a palavra ‘convidar’ com uma preposição errada (e nós também!).

Vale lembrar que esse errinho de regência verbal é muito comum e, se por vezes utilizado de modo errôneo, dificilmente será percebido.
Mas na hora de prestar vestibular ou concurso é ideal sabê-lo corretamente.

Por fim, você sabia que existem outros casos básicos de regência verbal capazes de nos confundir? Pois é. A seguir, confira exemplos de alguns deles:

• Vou ‘para’ um lugar ou vou ‘a’ um lugar?
• Estou reclamando “de” algo ou simplesmente “algo”?
• Induzir “a”, induzir “em” ou induzir “verbo da ação”: qual está correto?