Definição, Classificação e Flexão dos Adjetivos


Pode até parecer pouco, mas a língua portuguesa é a 5ª mais falada em todo o mundo. Ela possui variações e não é difícil encontrar por aí pessoas de fora que lhe perguntem se você fala o Português Brasileiro ou o Português de Portugal. Só isso já seria o suficiente para dificultar a comunicação em nossa língua, mas a verdade é que o português é ainda mais complexo e isso faz dele uma matéria de pânico até mesmo para quem nasceu e cresceu no Brasil.

definicao classificacao e flexao dos adjetivos

Com suas peculiaridades, regras, exceções e classes gramaticais, o português parece ser muito mais complicado do que realmente é. No entanto, se você prestar atenção em nossas dicas e conseguir classificar cada palavra instintivamente, o português será mais fácil do que você sempre imaginou.

Adjetivo e sua definição

Entre as classes gramaticais mais usadas pelos nativos de nossa língua e até mesmo por quem se arrisca em pronunciar algumas palavras em nosso idioma está o Adjetivo. Podemos classificar como adjetivo qualquer palavra que indique ao substantivo uma qualidade, um estado, um defeito ou até mesmo uma condição.

Ele pode aparecer tanto antes, quanto depois do substantivo, isso não interfere em sua classificação, mas é preciso que ele indique algum dos pontos colocados acima. Vale ainda lembrar que o adjetivo sempre atuará como um adjunto adnominal ou como predicativo, já que sempre exercerá funções sintáticas em relação aos substantivos.

Classificação dos adjetivos

Assim como as outras classes gramaticais, os adjetivos também são classificados em simples, compostos, primitivos e derivados, como mostraremos abaixo.

1-Adjetivos simples: são aqueles que são formados apenas por um radical como as palavras ‘escuro’ e ‘claro’.

2-Adjetivos compostos: como o próprio nome já diz são aqueles em que o adjetivo é formado por dois radicais ou mais. Seguindo o exemplo acima, podemos chamar de adjetivos compostos as palavras azul-celeste ou verde-água.

3-Adjetivos derivados: são aqueles em que o adjetivo é, na verdade, um derivado de um verbo ou outro substantivo como em amada, glorioso ou bondoso.

4-Adjetivos Primitivos: são aqueles que acabam por dar origem a muitas outras palavras da língua portuguesa, sendo ela um substantivo, um adjetivo ou um verbo. Por exemplo, fácil é um adjetivo primitivo, pois ele dá origem as palavras facilitar e facilmente. Outro adjetivo primitivo é a palavra alegre, que dá origem a alegria, alegrar, alegoria e até mesmo alegremente.

Flexão em gênero, número e grau dos substantivos

Além disso, os adjetivos podem ser flexionados de acordo com o gênero (feminino e masculino) e são divididos em Biformes e Uniformes.

1-Uniformes: são aqueles adjetivos que concordam tanto com substantivos femininos, quanto masculino em sua forma única. Entre eles, podemos destacar o adjetivo feliz, que é usado para mulher feliz ou homem feliz. Outro exemplo é o adjetivo ruim, que também pode ser usado para ambos os gêneros sem alteração, como menino ruim e menina ruim.

2-Biformes: como o próprio nome já sugere, esses são os adjetivos que possuem duas formas que são usadas de acordo com o gênero do substantivo. Esses adjetivos se flexionam a fim de concordar com o substantivo, como no caso de mulher boa e homem bom ou até mesmo em o adjetivo bonito, que se transforma em menina bonita e menino bonito.

Flexão de número: já quando falamos da flexão em número, o adjetivo pode ser singular ou plural e isso dependerá do substantivo ao qual eles estão ligados. Por exemplo: quando falamos no singular de uma pessoa, usamos o adjetivo ruim para concordar, portanto Pessoa Ruim. Já quando usamos o substantivo no plural, flexionamos o adjetivo para que ele concorde, ou seja, no caso de pessoas o adjetivo vai para ruins.

Flexão de grau: quando falamos na flexão de grau, dizemos que o adjetivo se flexiona de acordo com a intensidade das qualidades ao qual se referem em relação ao substantivo. Eles podem ser separados em comparativos e superlativos, como veremos abaixo.

1-Adjetivos de grau comparativo: são aqueles adjetivos que se flexionam para designar superioridade, igualdade ou inferioridade, para assim se relacionarem com o substantivo. Por exemplo:

Sou tão inteligente quanto ele.
Sou mais bonita do que ela.
Ele é menos ansioso do que eu.

2-Adjetivos de grau superlativo: são aqueles nos quais a característica do substantivo é atribuída em intensidade máxima, sendo ele relativo ou absoluto. Dentro deles, os adjetivos ainda se subdividem em absoluto sintético, absoluto analítico e relativo de superioridade e relativo de inferioridade.

Absoluto analítico: Ele é muito inteligente.
Absoluto sintético: Ele é inteligentíssimo.
Relativo de superioridade analítico: Ele é o mais inteligente de todos.
Relativo de superioridade sintético: Essa casa é a maior de todas.
Relativo de inferioridade: Ele é o menos inteligente de todos.

Além disso, o adjetivo também pode ser pátrio, que é aquele que acaba por se referir a uma nacionalidade, cidade, continente, entre outros. Entre os exemplos estão canadenses, mexicanos, baianos, rio pretenses, entre tantos outros.