Tempos Primitivos e Derivados

A língua portuguesa é realmente complexa e formada por uma série de regras. Mas não se preocupe: com a prática, todas elas são bem entendíveis.

Tempos verbais

Os tempos verbais nada mais são do que tempos que são formados uns na sequência do outro. Dessa forma, é possível criar uma divisão entre eles: tempos primitivos e tempos derivados.

Os tempos primitivos, como o seu próprio nome já diz, são tempos preexistentes e podem ser caracterizados pelo presente do indicativo, pelo pretérito perfeito do indicativo, e por fim, pelo infinitivo impessoal. Já os tempos derivados, por sua vez, são aqueles que são formados a partir dos primitivos.

 Tempos Primitivos

Os tempos primitivos

• Presente do indicativo

O presente do indicativo é característico nos verbos que terminam em ar, er ou ir.

Vamos então para alguns exemplos.

O verbo amar, que termina em “ar”, pode compor uma série de termos primitivos sempre que essas duas letras são substituídas por outras, como o é o caso de “amo, ama, amamos, amas, amam, amais”.

Outro exemplo é com o verbo vender. Ao retirar o “er” do final do verbo podemos compor as seguintes palavras: “vendemos, vende, vendi, vendes, vendem, vendeis”.

Por fim, vamos também para um exemplo com os verbos terminados em “ir”. Ao retirar o final do verbo permitir, podemos encontrar as palavras: “permites, permitimos, permito, permite, permitis, permitirem”.

Todas as composições do presente do indicativo, como seu próprio nome já diz, seguem no presente.

• Pretérito perfeito do indicativo

Já no pretérito perfeito do indicativo, todos os tempos primitivos fazem parte do pretérito.

Assim, vamos para os exemplos com as mesmas palavras do presente.

Para o verbo amar, criamos as palavras: amamos, amou, amei, amaste, amastes, amaram.

Já para o verbo vender, é possível criar as palavras vendemos, vendeu, vendi, vendeste(s), venderam.

Por fim, o verbo permitir é capaz de gerar as palavras: permitiram, permiti, permitiu, permitimos, permitistes.

• Infinitivo impessoal

O infinitivo pessoal, por sua vez, é o uso do verbo já com o seu próprio nome, que no caso seriam amar, vender e permitir, como em sua origem.

Os tempos derivados

Os tempos derivados, por sua vez, possuem uma variação ainda maior de opções.

Conheça-os:

• Tempos derivados do presente

1. Para os tempos derivados do presente, o primeiro utilizado é o presente do subjuntivo.

Para que você possa entender, vamos utilizar um verbo como exemplo.

A derivação nesse caso ocorre com o verbo falar: ao realizar sua conjugação, o verbo se transforma em: eu fale, tu fales, ele fale, nós falemos, vós faleis e eles falem.

1.1. Imperativo Afirmativo

Vamos fazer a conjugação do verbo comer.

Come tu/Come ele ou ela/Comamos nós/comei vós/comam eles ou elas.

Outro exemplo seria com o próprio verbo falar: fala tu, fale ela/ele, falemos nós, falai vós, falem eles ou elas.

1.2 Imperativo Negativo

Uma característica presente no imperativo negativo é que o verbo não conta com a primeira pessoa.

A conjugação do verbo negativo falar, por exemplo, já dá início na segunda pessoa: não fales tu, não fale ela/ele, não falemos nós, não faleis vós, não falem elas ou eles.

• Derivados do Pretérito Perfeito do indicativo

2. Pretérito do indicativo mais-que-perfeito

2.1 Pretérito imperfeito do subjetivo

A conjugação do tempo verbal do pretérito imperfeito é bem conhecida.

2.2 Futuro do Subjuntivo

O futuro do subjuntivo já confere mais com a nossa realidade, ou seja, é mais utilizado nos moldes da língua culta atualmente.
Vamos utilizar como exemplo o verbo comer.

Eu comer, tu comeres, ela comer, nós comermos, vós comerdes, elas comerem.

• Derivados do Infinitivo Impessoal

3. Futuro do presente do indicativo

Vamos utilizar para esse como base o verbo falar: eu falarei, tu falarás, ela/ele falará, nós falaremos, vós falareis, eles falarão.

3.1 Futuro do pretérito do indicativo

Exemplo com o verbo comer: comeria, comerias, ele/ela comeria, nós comeríamos, vós comeríeis, eles comeriam.

3.2 Pretérito Imperfeito do indicativo

O exemplo agora será com o verbo cumprir.

Eu cumpria, tu cumprias, ela/ele cumpria, nós cumpríamos, vós cumpríeis, eles cumpriam.

• Gerúndio

O gerúndio faz parte dos tempos derivados e é certamente um daqueles que mais temos dúvidas no momento de uso.

Porém, sua conjugação é simples: o verbo falar, por exemplo, se transforma em falando. Enquanto isso, dançar se transforma em dançando, cumprir em cumprindo e assim por diante.

• Particípio

A conjugação do particípio nos tempos derivados também é simples.

O verbo falar no caso fica caracterizado como falado, e o comer, por exemplo, como comido.

—-

Sabemos que os tempos verbais são realmente complicados, e pegá-los exige muita dedicação, prática e principalmente leitura, para encontrar cada um desses tempos e conjugações em meio a textos e livros.

Mas aqui vai uma dica: para realizar a formação de tempos verbais derivados, observe sempre com atenção o seu tempo primitivo correspondente.