Verbo: Definições, Flexões e Aspecto Verbal


Conceitualmente, Verbo é uma palavra que indica ação, movimento, estado ou um fenômeno meteorológico. Estão presentes na maioria das orações, e são classificados em transitivos, intransitivos, impessoais e de ligação. Vejamos:

Verbos transitivos – Referem-se à ações voluntárias, propositais, realizadas por um ou mais indivíduos, e que causam um efeito sobre alguém ou alguma coisa. Eles exigem um complemento para que o sentido seja completo. Dividem-se em transitivo direto, quando não exige uma preposição depois do verbo, ou transitivo indireto, quando exige uma preposição depois do verbo. Podem ainda ser, em alguns casos, transitivo direto e indireto.

Verbos Intransitivos – Referem-se a ações que não causam efeito sobre outros indivíduos, como, por exemplo, voar, correr, nadar. Não necessitam, portanto, de complementos e seu sentido é completo.

Definições, Flexões e Aspecto Verbal

Verbos Impessoais: Referem-se à ações involuntárias, sobre as quais não temos controle, como, por exemplo, os que se referem a fenômenos naturais: anoitecer, nevar, garoar, etc.

Verbos de Ligação: Não se referem a nenhuma ação, apenas ligam o sujeito ao predicativo, como por exemplo: ser, estar, parecer, continuar, permanecer, ficar, viver, etc.

Quanto à classificação, os verbos podem ser da Primeira Conjugação (vogal temática A), da Segunda Conjugação (vogal temática E) ou ainda da Terceira Conjugação (vogal temática I).

Quanto à sua morfologia, ou seja, a sua forma e formação, os verbos são divididos em regulares, irregulares, anômalos, defectivos e abundantes. Vejamos:

Verbos Regulares: flexionam-se sempre de acordo com a conjugação a que pertencem (ex.: amar, vender, partir, etc).

Verbos Irregulares: sofrem modificações em relação à conjugação a que pertencem, podendo ser modificados tanto no radical, quanto nas terminações (ex.: resfolegar, caber, medir, etc.).

Verbos Anômalos: apesar de serem irregulares, o radical é completamente diferente em cada conjugação (ex.: ir, ser, ter, pôr).

Verbos Defectivos: não possuem uma ou mais formas conjugadas (ex.: precaver).

Verbos Abundantes: apresentam mais de uma forma de conjugação (ex.: encher, fixar).

FLEXÕES VERBAIS

Os verbos podem sofrer variações, de acordo com as flexões verbais. Essas flexões são das seguintes categorias: Número, Pessoa, Modo, Tempo e Voz. Vejamos:

Número e Pessoa

O verbo apresenta flexão de número quando indica em sua forma o singular ou o plural. No singular, quando se referem a uma única pessoa (eu vivo/ ela anda), e no plural, quando se referem a mais de uma pessoa (nós cantamos, eles vivem).

Assim, os verbos se flexionam em número (singular ou plural) e em pessoa (1ª, 2ªou 3ª).

Modo

O modo verbal indica a atitude do emissor em relação à ação que anuncia. Dividem-se em Indicativo, Subjuntivo e Imperativo, além das formas nominais: infinitivo, particípio e gerúndio.

Modo Indicativo: quando o emissor tem a certeza da ação, ou seja, o fato é, ou virá a ser realidade. Exemplo: “Trabalhei a tarde toda. Acordei cedo hoje”.

Modo Subjuntivo: quando o emissor não tem certeza da ação, ou seja, o fato é incerto ou duvidoso, existe a possibilidade que aconteça. Exemplos: “Pode ser que eu viaje nas férias. Se eu fosse ela, tomaria cuidado”.

Modo Imperativo: quando o emissor expressa uma ordem, conselho ou um pedido. Exemplo: “Não sejas tão indiferente!”.

Ainda quanto ao modo, temos as formas nominais:

Infinitivo: são aqueles terminados em R: comer, dormir, sorrir.

Particípios: são terminados em ado, ada, ido ou ida: amado, comida, comida, latido.

Gerúndio: são os terminados em ndo: dormindo, sorrindo, atendendo.

Tempo

O tempo aqui se refere ao momento da ação. Os verbos são encontrados em três tempos: presente, pretérito e futuro. Vejamos:

Presente: o fato ou ação acontece no momento em que se emissão. Exemplo: “A tarde está ensolarada hoje”.
Pretérito: o fato ou ação aconteceram antes, anteriormente à emissão: Exemplo: “A dama partiu ontem pela manhã”.
Futuro: o fato ou ação acontecerá depois, posteriormente à emissão: Exemplo: “A cidade estará enfeitada no feriado”.

Voz

A relação entre o sujeito e o verbo é o que determina a voz verbal. Ela pode ser ativa, passiva (analítica ou sintética) ou reflexiva.

Voz ativa: ocorre quando o sujeito é agente ativo da ação, quando ele a pratica. Exemplo: “O jovem atendeu ao chamado dos pais”.

Voz passiva: ocorre quando o sujeito é passivo, ou seja, sofre a ação. Exemplo: “O chamado dos pais foi atendido pelo jovem”. Nesse exemplo, a voz passiva é analítica. Existe também a voz passiva sintética, que se refere a alguma ação condensada, como no exemplo: “Aluga-se casa”.

Voz reflexiva: ocorre quando o sujeito é ativo e passivo, ou seja, pratica e sofre a ação. Exemplo: “O menino cortou-se com a tesoura”.

ASPECTO VERBAL

O aspecto verbal refere-se à ação em um momento definido ou na sua frequência. Pode ser:
Pontual: indica que a ação foi imediata, instantânea. Exemplo: olhei, colhi.

Cursivo (ou durativo): a ação está em desenvolvimento. Exemplo: Estava pensando, ia correndo.

Conclusivo: a ação é concluída, resultante. Exemplo: cantou, desistiu.

Permansivo: a ação é concluída permanentemente. Exemplo: aprendeu, decidiu.

Incoativo (ou inceptivo): a ação é inicial, começa algo. Exemplo: anoitecer, partir.

Interativo (ou frequentativo): a ação exprime repetição. Exemplo: saltitar, tenho dito.