Pensamento Crítico


O pensamento crítico começou com os filósofos gregos, na antiguidade clássica. Alguns filósofos como Sócrates, Platão e Aristóteles estavam certos que é possível utilizar o pensamento aceitando certos princípios racionais ou lógicos, de forma a alcançar a verdade, ou pelo menos prevenir as formas incorretas de pensar.

Esse tipo de pensamento baseia-se em estudar o aspecto dos raciocínios, em particular as afirmações que a sociedade acredita ser verdadeiras no âmbito da vida cotidiana. Essa analise pode ser feita através de observação, experiência, raciocínio ou método científico. O pensamento crítico precisa de clareza, precisão, igualdade e evidências, já que pretende evitar as impressões específicas. Nesse sentido, está ligado com o cepticismo e com a revelação de enganos.

Pensamento Crítico

Todos os seres humanos contam com diversas crenças que ajuda a formar uma visão de mundo em que vive. Esse método de crenças é muito complexo, pois muitas crenças que conhecemos são retiradas de outras através de um pensamento errado. Por isso, o pensamento crítico deseja ser uma prática que permite analisar, criar e avaliar esquemas de crenças.

Durante o processo do pensamento crítico, recorda o conhecimento e a inteligência para atingir uma posição justa sobre um determinado assunto. Entre as etapas que se devem seguir, os especialistas mostram que é necessário escolher a atitude de um pensador crítico; identificar os preconceitos mentais; definir argumentos; analisar as fontes de informação; e avaliar os argumentos.

É importante ressaltar que o pensamento crítico não provoca pensar de forma negativa nem com capacidade para encontrar defeitos e falhas. Muito menos apoia-se em mudar a forma de pensar das pessoas ou trocar as emoções e sentimentos.

O objetivo do pensamento crítico é impedir as pressões sócias que provoca a padronização e o conformismo, além de definir a qualidade das crenças e a maneira como controlar as crenças que estamos expostos.

Como desenvolver o pensamento crítico

Para começar a desenvolver o pensamento crítico é importante adquirir três aspectos diferentes: curiosidade, compreensão e lógica. Porém, é importante ressaltar que, além dessas qualidades, o pensamento crítico é uma atividade que deve ser realizada frequentemente até alcançar a perfeição.

– Curiosidade: fazer perguntas; não contentar-se com soluções fáceis e procurar mais conhecimento, são as características das pessoas curiosas;

– Compreensão: compreender o cenário de um problema é notável para tornar-se um pensador crítico. Se você destacar um aspecto pequeno, é provável que não consiga avaliar de maneira eficiente;

– Lógica: utiliza exercícios que desafiem a mente para incentivar o raciocínio lógico como, por exemplo, sudoku, palavras cruzadas e desafios que abrange o raciocínio.

A partir do momento que essas três características são trabalhadas, é provável que o pensamento crítico chegue mais rápido a sua mente. Pensar de forma crítica é uma atividade demorada e que requer dedicação e esforço, deixe de lado suas crenças e comece a analisar as situações da melhor maneira possível.

A importância do pensamento crítico

À medida que somos expostos as dificuldades do mundo, a influencia externas no aprendizado fica cada vez maios, uma vez que a experiência pessoal das pessoas é restrita e a aplicação do raciocínio a priori fica limitada aos fenômenos que se conhece com mais profundidade.

Na sociedade atual, conhecida como “sociedade da informação”, as pessoas são expostas diariamente por uma quantidade enorme de informações, das mais diversas fontes com diferentes qualidades e credibilidades. Se por um lado essa grande quantidade de informações proporciona o desenvolvimento cultural das pessoas, algo que seria impossível alguns anos atrás, por outro lado pode provocar a ignorância. Parece uma contradição, mais isso acontece porque dentre todas essas informações, existem aquelas que são verdadeiras e aquelas que são falsas.

E o pensamento crítico existe para resolver essa questão, ajudando a identificar a qualidade das informações que se tem acesso e permitir descobrir quais são as verdadeiras autoridades externas. O seu uso ainda é bem pequeno, devido a facilidade com que os boatos se espalham pela sociedade através das crenças.

Escola de Frankfurt

A Escola de Frankfurt foi fundada na primeira metade do século XX, a partir da união de um grupo de estudiosos que se juntavam com o propósito de produzir a Teoria Crítica.

Também conhecido como Instituto de Pesquisas Sociais, o espaço formulou uma critica baseada na sociedade, questionando o s moldes gerias das coisas que aconteciam na civilização atual, enquanto a sociedade vivia um período de instabilidade e com muitos problemas políticos e econômicos.

O grupo envolvido na produção foi impulsionado pelo teórico Theodor Adorno, que estimulou a participação de muitos outros, como: Walter Benjamin, Marcuse, Otto Apel, Max Horkheimer, Jürgen Habermas, Leo Lowenthal, entre outros.

O principal ponto para a criação da Escola de Frankfurt foi a frustração com a Revolução de Bolchevique, que acarretou na formação do grupo que trabalhava de forma nômade até chegarem aos Estados Unidos, onde aumentaram o campo de estudo apoiado na cultura norte-americana.

A Escola de Frankfurt apresenta as seguintes características:

– Repulsa pelo revolucionarismo material junto com as ações culturais;

– Reinterpretação do marxismo e do mundo através da teoria marxista;

– Critica a alienação e imperialismo vindos da cultura ocidental que impedia as classes menos favorecidas;

– Desenvolvimento do senso crítico e de medidas para impulsionar a quebra dos valores sociais.