Conceitos e Características da Hibridação

Hibridação

Conceitos e Características da Hibridação

Hibridização, ou hibridação, significa mistura, combinação. Na química, é o processo de formação de orbitais eletrônicos híbridos. Isso porque, em alguns átomos, os orbitais dos subníveis atômicos s e p podem se misturar, para dar origem a orbitais híbridos sp, sp² e sp³.
Ao se “misturarem” orbitais, irão surgir orbitais novos, mas com características diferentes das anteriores. É nada mais que um reagrupamento nos níveis de energia e nos formatos dos orbitais atômicos da última camada.
Retomando a teoria das ligações covalentes, vê-se que elas ocorrem pela superposição de orbitais semipreenchidos com apenas um elétron. No entanto, algumas ligações seriam impossíveis de ocorrer por essa teoria. E aí que entra o estudo da hibridação, explicando a formação de algumas e a disposição geométrica de determinadas moléculas.
Vale destacar que os elementos químicos que hibridizam são o carbono, silício, enxofre. Oxigênio e o nitrogênio também hibridizam, mas sem ativação.
Outro conceito que se deve ter em mente é que o número de orbitais híbridos formados é igual ao número de orbitais atômicos que se “misturam”. Portanto, ao se interagir um orbital s com um orbital p, formam-se dois orbitais híbridos sp. Ao interagir um orbital s e três orbitais p, se formam quatro orbitais híbridos sp3.
Hibridização sp3
O átomo de carbono é tetravalente e as quatro valências são equivalentes. Por isso, quatro os orbitais 2s e 2p interagem originando quatro novos orbitais com diferentes direções, os orbitais híbridos sp3 (resultante de um orbital s e 3 orbitais p).
Os 4 orbitais híbridos estão incompletos, com apenas 1 elétron. Cada orbital pode emparelhar seu elétron com o elétron do hidrogênio, resultando em um orbital molecular ligação de “s” do hidrogênio com “sp3″ do carbono. É assim que se tem o CH4, com 4 orbitais moleculares do tipo cr (s-sp3) – sigma.