Eletrosfera e Distribuição Eletrônica


Distribuição Eletrônica

Eletrosfera
A eletrosfera é a região periférica do núcleo de um átomo onde ficam os elétrons. Ela é maior do que núcleo do átomo em uma diferença que pode chegar a 100 mil vezes. A eletrosfera também é chamada de nuvem eletrônica ou densidade eletrônica.

A região é particionada e tem sete camadas que são representadas por letras maiúsculas do alfabeto. Da mais próxima do núcleo para a mais distante as camadas são:

– K (1º)
– L (2º)
– M (3º)
– N (4º)
– O (5º)
– P (6º)
– Q (7º)

Distribuição eletrônica
Também conhecida como principio da configuração eletrônica, a distribuição eletrônica corresponde ao esquema natural de disposição de elétrons nas eletrosfera. A distribuição é pensada de modo a enxergar o estado fundamental, ou estacionário, dos átomos.

Cada uma das sete camadas da eletrosfera, explicadas anteriormente, possuem uma capacidade máxima em que podem receber elétrons. A limitação de recebimentos é a seguinte:

– K > 2
– L > 8
– M > 18
– N > 32
– O > 32
– P > 18
– Q > 2

Cada camada possui, ainda, uma subcamada, local onde os elétrons efetivamente se organizam. As subcamadas também são letras, só que minúsculas: s, p, d e f. Cada uma pode receber um máximo de 2, 6, 10 e 14 elétrons, respectivamente.

A distribuição eletrônica é feita de acordo com o número atômico do elemento químico. Apesar de o número indicar a quantidade de prótons, em seu estado fundamental o elemento possui a mesma quantidade de prótons e elétrons.

No exercício de preenchimento das camadas da eletrosfera é utilizado o diagrama de Pauling, que facilita o entendimento de como os elétrons se distribuem:

– 1s
– 2s 2p
– 3s 3p 3d
– 4s 4p 4d 4f
– 5s 5p 5d 5f
– 6s 6p 6d
– 7s 7p

A sequência energética de preenchimento, então, se aplica dessa maneira:

1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d10 4p6 5s2 4d10 5p6 6s2 4f14 5d10 6p67s2 5f14 6d10 7p6