Equações Iônicas: Balanceamento e Reações com Peróxido de Hidrogênio


Equações Iônicas

As equações iônicas são números bastante abrangentes e que geram uma ampla variedade de possibilidades e trabalhos que podem ser realizados por meio da observação da transferência de elétrons, que passa a ser muito mais evidente e de fácil observação com o uso das equações iônicas.

No entanto, é importante que se destaque que, nas experiências e nos trabalhos com o uso das equações iônicas, são representados apenas os íons ou as substâncias que possuem uma participação ativa no processo de reação, sendo completamente descartados os íons ou as substâncias que permanecem passivas durante toda a reação, não sendo assim levadas em consideração neste trabalho.

Balanceamento das reações

Um dos problemas mais comuns no uso das equações iônicas no trabalho com reações químicas é referente ao balanceamento das reações, uma vez que é possível que se depare com reações de oxirredução sem que haja os dados das equações parciais que compõem esta redução.

Neste caso, é preciso que se leve em consideração alguns dados básicos, que são a variação de elétrons do enxofre, que perde oito elétrons ao sofrer a oxidação, tendo o sulfato de hidrogênio como seu agente redutor. Ao mesmo tempo, o Bromo, que é o agente oxidante, ganha um elétron.

Assim, será possível calcular a variação da redução e ganho de elétrons, de forma que se conheça as equações parciais de uma redução e a possível utilização das equações iônicas.

Reações com perióxido de hidrogênio

O perióxido de hidrogênio é um oxidante que tem sua ação muito facilmente reconhecida, uma vez que, no balanceamento, o oxigênio pode ser observado apenas com NOX -2.

No entanto, também não é raro que haja uma interpretação equivocada de que tenha acontecido uma auto oxirredução ao invés de ser notado o uso do perióxido de hidrogênio, uma vez que este oxidante pode ocasionar a formação de água e oxigênio.