Estrôncio


O estrôncio é um elemento químico que conta com o número trinta e oito, ou seja, ele possui trinta e oito elétrons e trinta e oito prótons. Ele é encontrado na natureza em estado sólido e o seu número de massa corresponde a 86.

estoncio

O estrôncio foi identificado no ano de 1790 pelo cientista irlandês Adair Crawford, que também é considerado um dos pioneiros no estudo da calorimetria. O elemento químico recebeu o nome de “estrôncio” porque foi encontrado em uma cidade chamada Strontian, localizada na Escócia. O estrôncio foi isolado pela primeira vez no ano de 1808.

O responsável por esse feito foi o cientista britânico Humphry Davy, que também ficou famoso por seus estudos referentes ao óxido nitroso (popularmente conhecido como “gás hilariante”) e o dióxido de cloro.

O símbolo do estrôncio é o Sr e, na tabela periódica, ele faz parte do grupo 2 dos metais alcalinos terrosos, junto com o magnésio, bário, rádio, berílio e o cálcio.

As características do estrôncio

O estrôncio é um elemento químico pode ser encontrado na natureza na forma de carbonatos e sulfatos.

– Carbonatos: Correspondem a sais inorgânicos e são bastante comuns na Terra. O carbonato mais comum é o carbonato de cálcio, também conhecido como calcário.

– Sulfatos: Correspondem a partículas que são o resultado da combustão de combustíveis fósseis e biomassas. O sulfato mais comum é o sulfato de sódio.
O estrôncio é um metal que conta com as seguintes características:

– Possui coloração prateada e que demonstra brilho.

– Apresenta pouca maleabilidade.

– Apresenta elevada reatividade, reagindo, por exemplo, rapidamente quando é colocado em contato com a água, resultando assim na liberação de hidrogênio e gerando o hidróxido.

– É considerado um bom condutor de eletricidade.

– Deve ser conservado mergulhado em querosene por causa da sua elevada reatividade.

Além disso, o estrôncio é um elemento químico abundante na natureza e está presente em muitas rochas ígneas. Esse elemento conta também com quatro isótopos naturais estáveis e também dezesseis isótopos radioativos.

As formas estáveis do estrôncio não apresentam nenhum perigo tóxico para os seres humanos e, inclusive, assim como o cálcio, é um elemento constituinte de ossos e dentes, embora em quantidade bem menor que o cálcio.

Já as formas radioativas, por sua vez, contam com um elevado grau de periculosidade, pois é oriundo de testes e explosões nucleares. Devido a essas características, o contato prolongado com o estrôncio radioativo pode acarretar no surgimento do câncer.

As aplicações do estrôncio

Uma das grandes e mais conhecidas contribuições desse elemento químico é na constituição de cristais para tubos de raios catódicos dos aparelhos de televisão em cores.

Além disso, o estrôncio é largamente utilizado em outras áreas e segmentos, tais como:
– Produção de variadas ligas de metal

– Produção de ímãs

– Atividades de pirotecnia, especialmente quando é utilizado o sulfato ou o carbonato de estrôncio para a obtenção da cor avermelhada dos fogos de artifício.

– Refinação de açúcar, especialmente em meados do século XIX na Europa.

– Higiene bucal, já que alguns cremes dentais utilizam em sua constituição o cloreto de estrôncio.

Vale salientar também outras aplicações desse elemento químico. Sendo assim, um exemplo disso é sulfeto de estrôncio, que é utilizado na fabricação de tintas luminescentes. Há também titanato de estrôncio, que devido ao seu alto índice de refração, é usado para fabricar materiais ópticos. Já o nitrato de estrôncio, por sua vez, é aquele empregado em trabalhos de pirotecnia, na produção de fogos de artifício e de alguns tipos de sinalizadores.

Essa versatilidade para o uso do estrôncio em atividades pirotécnicas se deve ao fato de que os seus voláteis resultam em uma chama de cor avermelhada.

O estrôncio é encontrado à temperatura ambiente em estado sólido. Os locais do planeta Terra que denotam uma maior abundância de estrôncio são alguns territórios localizados nos Estados Unidos da América, na Alemanha, no México e no Reino Unido.

Além disso, outros compostos de estrôncio denotam bastante utilidade na fabricação de materiais de cerâmica, bem como produtos envidraçados. Vale destacar ainda que os seus compostos também são úteis à obtenção de determinados pigmentos para pintura e para a fabricação de lâmpadas fluorescentes.

Um famoso composto químico relacionado a esse elemento químico é o óxido de estrôncio, que pode ser identificado também pelo símbolo SrO.

O óxido de estrôncio é constituído pela reação que envolve o gás oxigênio e o estrôncio metálico. Grande parte dos tubos de aparelhos de televisão em cores é constituída por óxido de estrôncio.

Já o carbonato de estrôncio, que pode também ser representado pelo símbolo SrCO3, é utilizado para a refinação do metal zinco, já que ele possui capacidade de retirar o chumbo durante esse processo.

É importante também mencionar algumas características da estroncianita, que é um mineral que possui em sua constituição carbonato de estrôncio. A estroncianita é um mineral que pode contar com coloração branca, cinza ou em tons amarelados.

Durante boa parte do século XIX, a estroncianita foi um material importante para extrair o açúcar a partir do melaço, substância muito utilizada, por exemplo, na fermentação do álcool como matéria-prima para a fabricação de cachaça, rum, entre outros.