Matéria orgânica


Você, certamente, já ouviu falar da assertiva: “na natureza nada se cria, tudo se transforma”, correto? É exatamente essa uma das funções da Matéria Orgânica: transformar. Ela nada mais é do que restos de vegetais (que podem ser galhos, folhas, casas e raízes) somados a restos de origem animal. Ambos juntos fazem parte integrante do solo.

Matéria orgânica

Quando essa matéria orgânica começa a entrar em estado de decomposição devido a forte ação dos micro-organismos, damos origem ao Humos. O Humos é um composto orgânico de coloração escura. Devido a sua alta taxa de nutrientes, ele é um elemento extremamente útil e necessário para o solo. É graças a presença do humos que conseguimos fertilizar as plantas.

Essa matéria Orgânica somada a minerais, água, ar e mais uma porção de seres minúsculos como as bactérias, os fungos, as minhocas, as formigas, acabam por transformar o solo num organismo vivo, capaz de ser plantado.

A terra que tem em sua composição a Matéria Orgânica atua como uma verdadeira esponja, cheias de canais por onde há a circulação de ar e de água. É por esses buracos que os nutrientes circulam, facilitando a absorção desses pelas plantas e raízes.

Matéria Orgânica X Agricultura

Para que a gente tenha a agricultura orgânica, uma vertente que vem crescendo com o consumo de alimentos sustentáveis e saudáveis, é necessário que tenhamos a matéria orgânica. Isso porque ela é feita de forma natural, sem agressão ao meio ambiente, sendo produzida de forma sustentável, produzindo alimentos mais sustentáveis ainda, livres de fertilizantes químicos que são prejudiciais à saúde e também ao solo.

Vemos que muitos dos agricultores de hoje em dia estão preocupados não somente em oferecer um alimento mais rico, nutricionalmente falando, mas também com a preservação da fauna e flora, com a conservação do solo bem como os recursos hídricos envolvidos no sistema de agricultura. Para preservar o solo e da saúde, bem como as próximas gerações, é necessário investir ainda mais em alternativas sustentáveis e orgânicas, como o plantio saudável através de uma agricultura com matéria orgânica.

Para se ter uma ideia dessa representatividade, o Brasil já ocupa uma colocação considerável no ranking de alimentos orgânicos. Para que você tenha certeza daquilo que compra, basta certificar-se que a empresa possui certificação orgânica. Aquelas que possuem, tem um selo certificando a qualidade da matéria prima. Seja no ramo alimentício ou cosmético, até na tecelagem: essa conscientização está cada vez mais forte e presente.

Composição da Matéria Orgânica

Falando de um modo generalizado, as moléculas orgânicas possuem em sua estrutura:

O carbono e o hidrogênio são ligados por ligações covalentes sendo que o C, de todos, é a matéria orgânica mais abundante, representando um total de 45-55% da massa. Para que a gente consiga quantificar a qualidade dessa matéria orgânica, é necessário que meçamos o carbono orgânico presente, onde ele deva representar pelo menos a metade da massa orgânica em uma amostra natural.

Ela pode ter sua origem de cunho artificial ou natural. Podemos nomear de matéria orgânica natural toda aquela gerada através de processos biológicos e organismos vivos, como excreção, morte, secreção e partes de indivíduos. Matérias fundamentais para a nossa existência como lipídeos, proteínas e carboidratos, são moléculas orgânicas de origem natural.

Por sua vez, a matéria orgânica artificial é toda aquela produzida por intervenção do homem e com elementos que não são encontrados na natureza, como plástico, princípio ativo de detergentes e anabolizantes.

Classificação da Matéria Orgânica

Por sua vez, ela pode ser classificada em:

• Autóctone: variando de acordo com o local em que ela fora produzida. Podemos chamá-la assim sempre que ela for proveniente de uma fonte dentro do próprio sistema. Matéria orgânica alóctone é aquela que fora produzida do lado de fora do sistema, mas que acabou sendo transportada para dentro dele.

• Viva/Morta: os seres vivos acabam representando uma matéria orgânica viva. Restos mortais e produtos de excreção representam matéria orgânica morta.

• Dissolvida/Particularizada: essa qualificação se dá para matérias encontradas no água. Por definição, podemos chamar de Particulada aquela em que o material fica retido numa membrana com porosidade. Por sua vez, a dissolvida passa por essa mesma membrana.

Matéria Orgânica no solo

Já no solo, podemos dividi-la em três classificações especiais:

  • Biomassa viva de micro-organismos
  • Resíduos frescos e/ou parcialmente decompostos
  • Húmus

Sua principal fonte de energia vem de origem vegetal. Através de um processo de cadeia trófica, as plantas mortas entram em decomposição, são consumidas por outros animais e, que por sinal, depositam esse resíduo de volta ao meio. A minhoca, por exemplo, é a principal responsável pela transposição vertical e horizontal da matéria orgânica pelo solo.

E aí? Será que você entendeu e tirou todas as suas dúvidas? Conta pra gente!