Moléculas Orgânicas em Meteoritos


Já aconteceu outras vezes e quando menos esperamos recebemos a notícia de que foram encontradas moléculas orgânicas em meteoritos que chegaram à Terra. Neste artigo você vai aprender tudo sobre o que são os meteoritos, o que significa a descoberta destas moléculas orgânicas e o que isso representa para a ciência.

Meteoritos

Tem muita gente que se confunde e chama os meteoritos de meteoros. Mas um é bem diferente do outro, não se trata da mesma nomenclatura para o mesmo objeto.

Moléculas Orgânicas

Meteorito é como são denominados os fragmentos formados por restos de cometas, asteroides e até planetas que conseguem alcançar a superfície do nosso planeta, a Terra e chegam ao chão. Os meteoros também são fragmentos, mas que não chegam a alcançar a Terra e são chamados popularmente de estrelas cadentes. Ou seja, provavelmente você já deve ter visto um meteoro por aí em alguma noite bastante estrelada.

Pois bem, voltando aos meteoritos, quando eles alcançam o planeta costumam alcançar altíssimas temperaturas, o que faz com que grande parte do que eles são, sejam consumidos e destruídos. Somente uma parte deles consegue ficar inteira e a maioria não possui muita alteração em sua composição de côndrulos, que são compostos de minerais e liga de ferro, níquel e também partículas de ferro. Ou seja, se o meteorito encontrado é bastante grande, significa que ele era ainda maior antes de alcançar a Terra.

Segundo os cientistas, há 3 diferentes tipos de meteoritos:

* Pétreos ou Rochosos
* Sideritos ou Metálicos
* Siderolitos

Os pétreos ou rochosos, como o nome já sugere, são formados basicamente por materiais rochosos, também chamados de pedras. Os sideritos ou metálicos são meteoritos formados por ligas metálicas ou ferro e níquel. E por último, os meteoritos do tipo siderolitos são aqueles constituídos por rocha e metal, ou seja, são mistos.

É bastante comum que meteoritos alcancem nosso planeta. Na verdade, estima-se que cerca de mil toneladas de detritos atinjam a Terra todos os anos. É sempre bastante complicado aferir de que parte do universo ele veio, mas algumas vezes é possível saber se é um pedaço da lua ou até de Marte, por exemplo. E o mais interessante é que, de vez em quando, os cientistas também conseguem encontrar moléculas orgânicas em meteoritos.

Os meteoritos que conseguem suportar a alta temperatura e chegam intactos ao solo são muito desejados por cientistas, pois podem trazer respostas muito importantes sobre a formação da Terra e da vida. Há também pessoas que colecionam meteoritos, pois são uma forma bastante interessante de ter contato com algo que veio de tão longe.

Existem meteoritos de todos os tamanhos e o maior deles já encontrado na Namíbia e foi denominado de Hoba West. Ele possui 2,7 metros de comprimento e aproximadamente 57 toneladas. No Brasil, também já foram encontrados meteoritos que chegaram à Terra há milhares de anos. Alguns deles podem ser encontrados em museus e muitos são estudados por diversas áreas da ciência, em todo o mundo.

Outra curiosidade interessante sobre os meteoritos é que, há uma estátua milenar de Buda, encontrada no Tibet, que foi esculpida em um meteorito metálico e por isso é extremamente pesada. A estátua deste Buda possui somente 24 centímetros e pesa mais de dez quilos. Por ser assim tão especial recebeu o nome de “Homem de ferro”.

Moléculas orgânicas nos meteoritos

Agora que você já sabe o que são meteoritos, do que eles são formados e como chegam a Terra, podemos falar sobre as moléculas orgânicas nos meteoritos, que algumas vezes foram descobertas por cientistas em alguns deles.
Primeiro é importante deixamos bem claro que não foram encontrados organismos vivos nos meteoritos, mas sim moléculas orgânicas. Estas moléculas são na verdade grandes cadeias de carbono e são as mesmas encontradas em todos os organismos vivos aqui da Terra, o que sugere que a vida pode existir fora do planeta ou que até seja possível que vida seja formada em algum momento.

Mas não significa necessariamente que existem seres extraterrestres realmente vivendo por aí, pois elas também se originam de processos vulcânicos. Ou seja, estas moléculas são muito importantes para que exista vida, mas não necessariamente significa que exista.

Há cientistas que defendem que estas moléculas orgânicas nos meteoritos são apenas contaminações de quando eles atingiram a Terra, mas outros defendem que eles realmente vieram de outros planetas. Por outro lado, algumas teorias defendem que foi desta forma que a vida começou por aqui. Ou seja, que meteoritos cheios de moléculas orgânicas atingiram o planeta e encontraram a situação perfeita para que a vida evoluísse e chegasse à forma como conhecemos hoje.
Resumindo, estas moléculas orgânicas em meteoritos ainda são uma grande incógnita e cientistas de diversas áreas e lugares do mundo se debruçam a estudá-los, dedicando suas vidas na compreensão de algo tão raro e tão único como a vida no planeta Terra.