Óxidos ácidos ou Anidridos


Os compostos óxidos têm uma formação protagonizada por apenas dois elementos químicos (binários), sendo que desses, o oxigênio é sempre o mais eletronegativo.

Nos óxidos, a ligação entre o oxigênio e o outro elemento que ele leva consigo pode ser: iônica, quando o oxigênio está conectado a um metal de baixa eletronegatividade (alcalinos e alcalino-terrosos), que distribuem os elétrons para o oxigênio; ou covalente, em que o oxigênio traz ao seu lado um elemento de grande eletronegatividade.

Óxidos ácidos

Os tipos de óxidos e os compostos ácidos

A classificação dos óxidos se dá de acordo com o tipo de comportamento que cada um deles apresenta quando entra em contato com ácidos, bases ou água. Assim, existem seis tipos de óxidos: ácidos, anfóteros, básicos, peróxidos, neutros e duplos ou mistos.

Os óxidos ácidos, também conhecidos como anidridos, são aqueles que reagem com a água e originam um ácido como produto. É dessa reação que se dá o início da chuva ácida – isso acontece quando os óxidos de enxofre e de nitrogênio, por exemplo, são lançados na atmosfera e entram em contato direto com a chuva. Já quando o óxido ácido tem reação com uma base, ele gera água e sal.

Esses compostos binários, na maioria das vezes, são covalentes (ou moleculares), ou seja, como já foi dito acima, quando o oxigênio está conectado a outro elemento químico de alta eletronegatividade (ametais). São solúveis em água e, quando formados por metais, possuem números de oxidação (carga elétrica) bastante elevados.

Alguns exemplos de óxidos ácidos são: CO2, SO2, SO3, P2O5, Cl2O6, NO2, N2O4 e N2O5. Agora, veja abaixo algumas das reações de uns deles com água e bases:

– Óxido + Água → Ácido

SO2(g) + H2O(l) → H2SO3 (aq)
SO3 (g) + H2O(l) → H2SO4 (aq)
CO2(g) + H2O(l) → H2CO3(aq)
CrO3(g) + H2O(l) → H2CrO4(aq)
P2O5(g) + H2O(l) → 2 HPO3(aq)
P2O5(g) + 2 H2O(l) → H4P2O7(aq)
P2O5(g) + 3 H2O(l) → 2 H3PO4(aq)
Cl2O6(g) + H2O(l) → HClO3(aq) + HClO4(aq)
N2O4(g) + 3 H2O(l) → HNO2(aq) + HNO3(aq)

– Óxido + Base → Sal + Água

SO3 (g)+ 2 NaOH(aq) → 1 Na2SO4 (aq) + 1 H2O
CrO3(g) + 2 NaOH(aq) → 1 Na2CrO4 (aq) + 1 H2O

Como citado anteriormente, os óxidos ácidos também levam o nome de Anidridos, palavra que vem do grego “anhydros” e significa “sem água”. Essa denominação surgiu porque esses compostos podem ser alcançados por meio da desidratação dos ácidos oxigenados.

– Ácido → Água + Anidrido

H2CO3 → H2O + CO2
H2SO4 → H2O + SO3

As propriedades e aplicações dos óxidos ácidos

Esses compostos binários, com frequência, se mostram presentes em nosso cotidiano. E têm alguns representantes de óxidos ácidos que são muito “famosos”:

– Gás carbônico ou dióxido de carbono (CO2)

Usado na composição dos refrigerantes e das águas minerais com gás, isso porque ele se torna solúvel em água quando fica sujeito a altas pressões. Em seu estado sólido (conhecido como gelo-seco), abaixo de 78º C, ele tem a capacidade de se sublimar (passar logo para o estado gasoso), carregando com ele as moléculas de água e criando uma névoa branca bastante densa – recurso cênico que é uma aposta comum em shows, festas, filmes, entre outros.

Esse anidrido tem grande concentração na atmosfera, por conta da respiração humana e da queima de combustíveis fósseis (como carvão, álcool e os derivados do petróleo). Essa concentração na atmosfera tem aumentado cada vez mais, fazendo com que o gás carbônico (CO2) seja um dos grandes responsáveis pela chuva ácida e um dos fatores que mais agravam o efeito estufa e o aquecimento global.

– Óxidos de enxofre (SO2 e SO3)

Liberados também na queima de combustíveis fósseis (como, por exemplo, o óleo diesel e a gasolina), que contêm impurezas de enxofre. Esses compostos, assim como o gás carbônico, estão presentes na atmosfera e têm origem natural (em erupções vulcânicas e na decomposição de vegetais e animais) ou artificial (lançados na atmosfera durante a queima de combustíveis fósseis).

Como esse tipo de óxido tem reação com a água que gera os ácidos, ele também é bem perigoso para o meio ambiente. Isso porque são os principais causadores das tão temidas chuvas ácidas, já citadas acima, que são capazes de devastar árvores e contaminar as águas de rios e lagos, assim como matar peixes e corroer construções e monumentos.

– Tetróxidos de dinitrogênio ou anidrido nitroso-nítrico (N2O4)

O ponto de ebulição desse composto, que é bastante tóxico e letal, é igual a 22º C. Ele tem uma coloração bem amarelada e é bastante volátil. Formado na atmosfera graças à oxidação do nitrogênio, esse óxido pode se mostrar em estado líquido – na forma de um dímero do dióxido de mononitrogênio ou óxido nítrico (NO2). Quando atinge uma temperatura mais alta do que a de seu ponto de ebulição, ele assume a forma do NO2 (N2O4 ↔ NO2).