Resumo da Importância da água


É ela quem realiza a manutenção de todo o mundo: e não só dos humanos. Dependemos dela nos mais variados aspectos para garantir não só a nossa própria sobrevivência: a água é também a fonte de vida para os animais, vegetais, para as grandes indústrias e fábricas e assim por diante.

Por um lado, é claro que todos nós temos total consciência sobre a importância da água. Mas por outro, é comum notarmos nos noticiários do dia a dia o crescimento gradativo da poluição dos rios, o uso inadequado e desnecessário de água, a destruição de nascentes e outras.

A água é atualmente o único e também maior recurso natural de todos os tempos que é encontrado desde os primeiros relatos de civilização humana: seja como um componente bioquímico no organismo dos seres humanos e dos animais, como um recurso envolvido em tradições tanto religiosas quanto culturais ou de extrema importância para o desenvolvimento tanto agrícola quanto de indústrias em todas as partes do mundo.

Importância da água

E os dados comprovam a sua importância: 70% de toda a superfície da terra é constituída desse bem. Porém, de todo o bem, grande parte da água ainda é salgada, sendo 2,5% a porcentagem de água doce no mundo todo, sendo que 98% desse tipo de água ainda está escondida em formato subterrâneo. Sendo assim, é possível ainda fazer uma relação com a água própria para consumo: ela é praticamente mínima quando levada em consideração com toda a quantia de água presente no mundo.

A importância da água de diferenciadas formas

Atualmente, os recursos hídricos são de extrema importância para o crescimento gradativo e para o próprio mantimento de grande parte das atividades econômicas. Um exemplo claro disso é a própria produção agrícola, afinal, a água compõe cerca de 90% da estrutura física das plantas. Nos períodos em que ocorre a escassez de água, o crescimento dos vegetais é diminuído e isso pode acabar destruindo ecossistemas ou lavouras inteiras.

Se for preciso, podemos considerar ainda um exemplo mais pessoal: a situação que tomou conta da capital paulista. São Paulo, a maior cidade de toda a América Latina, é a cidade com maior desenvolvimento socioeconômico não só do país, como de todo o Sul do nosso continente. Hoje, a falta de racionamento e cuidados básicos fez com que o recurso natural, água, também começasse a faltar.

Na cidade de São Paulo os afetados não são só as fábricas, empresas e principalmente as indústrias, como também os próprios indivíduos: o consumo da água tem se tornado cada vez mais caro, e o reflexo pode ser visto nas próprias contas de água. Além disso, em períodos de escassez total e racionamento, algumas regiões da cidade apelam pelo controle de seu uso.

A água no mundo

No mundo, a água doce só é encontrada em lagos, reservatórios, lagos e rios, sendo esses os locais onde os seres humanos encontram água possível para o consumo, que chega a cerca de 0,26% de toda a água do mundo. Sendo assim, há uma grande necessidade para a conscientização de que é necessário economizar e preservar esse recurso natural, considerando que 10% de toda a utilização da água é voltada para o abastecimento do público, enquanto outros 23% são voltados para a indústria e os últimos 67% para a produção agrícola.

Seja consciente!

Muitos são os dados e demais estatísticas que comprovam que é necessário apostar no uso prudente e responsável da água, combatendo a poluição e acabando de vez com o desperdício, que pode prejudicar a vida de muitos.

Nos dias de hoje, um sexto de toda a população do mundo não tem mais acesso à água potável, ou seja, propícia para o consumo. Esse número é extremamente alarmante, já que corresponde a mais de um bilhão de indivíduos.

Em âmbito mundial, 40% de toda a população, sendo uma média de 3 bilhões de pessoas, vivem em situações precárias por conta da indisponibilidade dos serviços de saneamento básico, que infelizmente, já é considerado como possível unicamente em potências desenvolvidas.

Todos os dias, são cerca de 6 mil crianças que morrem de doenças causadas por conta da contaminação de água, falta de higiene básica e de saneamento. O número é realmente maltratante, assim como a poluição que torna a água de uso humano insalubre.

Até o ano de 2025, ou seja, em 10 anos, há a possibilidade de que duas a cada três pessoas sofram de greve de água ou escassez moderada desse recurso natural caso os padrões de consumo continuem os mesmos. Esse resultado faz parte de uma pesquisa realizada recentemente pela própria ONU.

Há quem diga que as grandes mudanças são ocasionadas por atitudes pequenas. Se você economizar no banho e seu vizinho economizar lavando a calçada, pode ser que uma grande empresa perceba o seu papel na sociedade e consequentemente, no racionamento desse recurso natural.