Demências com corpos de Lewy


A Demência dos corpos de Lewy, também chamada de DCL, é uma doença progressiva neurodegenerativa que é causada pela acumulação nas células cerebrais, que são conhecidas de corpos de Lewy, de proteínas consideradas anormais. Essa doença é caracterizada como sendo o terceiro tipo de demência mais comum, com cerca de 10% de todos os diagnósticos, logo atrás de demência vascular, com 25% dos casos, e o mal de Alzheimer, com 55% dos casos.

Ela foi descoberta no ano de 1912, pelo doutor Frederick H. Lewy, e seu sobrenome acabou por nomear este tipo de doença. Apesar de ser uma doença diferente, os sintomas da demência dos corpos de Lewy são bem parecidos com a do mal de Alzheimer e ao mal de Parkinson, e por este motivo, muitas vezes o diagnóstico pode ser confundindo com algum deles antes que sejam feitos exames mais específicos de confirmação.

Demências

As causas da demência com corpos de Lewy, os estágios da doença e os principais sintomas

Atualmente, a demência com corpos de Lewy acabou se tornando uma distinta entidade nosológica, a qual muitos pesquisadores consideram por ser a principal causa de demência degenerativa, ficando atrás apenas do mal de Alzheimer.

Em geral, esse tipo de demência inclui a ocorrência de recorrentes alucinações visuais, sinais de Parkinsonianismo, progressivo declínio das capacidades cognitivas, ocorrência de alucinações na audição, delírios, etc.

A neuropatologia desta doença é causada pela presenta desses corpos em áreas subcorticais e regiões corticais do encéfalo.

Os principais sintomas da demência com corpos de Lewy variam, e se agravam com o passar dos anos. Entre eles estão: problemas na interpretação de informações visuais, alucinações auditivas, alucinações visuais, declínio da capacidade de raciocínio e de memória, delírios, distúrbios do sono, confusões mentais, aumento significativo de desorientação e Parkinsonismo. Esta última é caracterizada por problemas no equilíbrio, mudanças na força, lentidão, perdas de expressão facial, mudanças na tonalidade da voz, ocorrência de tremores, postura mais arqueada, músculos rígidos e rigidez corporal.

A demência com corpos de Lewy apresenta três estágios. O primeiro dele dura entre 3 e 7 anos. Ele se caracteriza por alguns episódios de tremor, por esquecimento leve, falta de iniciativa durante o dia a dia e rápidos períodos de delírios.

O segundo estágio da demência se caracteriza pelo aparecimento de delírios, tais como pessimismo exagerado e paranoia, pelo declínio de funções cognitivas, como linguagem, memória e orientação de espaço e de tempo e ainda por alucinações visuais e auditivas. Outro aspecto da demência com corpos de Lewy é o aumento de acidentes pequenos e casa, como quedas.

O terceiro estágio da demência com corpos de Lewy é considerada a fase mais avançada da doença, com um aumento da intensidade das alucinações, dos delírios, de confusões mentais e de agitação, bem como aumento da frequência de ocorrência.

Como é feito o diagnóstico e como são administrados os tratamentos para a demência com corpos de Lewy

A identificação da doença de demência com corpos de Lewy é feita através de um exame psicotécnico e clínico. A confirmação total é feita pela realização de uma biópsia cerebral, na maioria dos casos identificadas depois da morte do indivíduo.

Não existe um tratamento específico e muito menos uma cura da demência com corpos de Lewy, e também não há como impedir o avanço dessa maneira de degeneração. Um medicamento pode ajudar na diminuição dos problemas de sono, dos episódios de alucinações e na baixa de atenção e de memória.

Parte do tratamento é a estimulação do idoso, com exercícios mentais e físicos diariamente. Além disso, é essencial se alimentar de forma saudável, incluindo muitos legumes e frutas na alimentação. Deve-se evitar o consumo de bebidas alcoólicas e o fumo.

Vale ressaltar que deve-se utilizar com moderação os neurolépticos, já que este tipo de medicamento aumenta os sintomas cognitivos e motores.

Um dos casos mais recentes conhecidos é do autor Robin Williams, que foi diagnosticado com a demência de corpos de Lewy logo após a sua morte. O ator foi encontrado em sua casa inconsciente, no dia 11 de agosto do ano de 2014. A causa da morte foi asfixia causada por enforcamento. Médicos acreditam que as alucinações e as paranoias causadas pela demência teriam influenciado fortemente sua ansiedade, depressão e suicídio. O ator vinha lutando contra uma severa depressão.

É muito importante se estudar mais profundamente sobre a demência com corpos de Lewy, para que haja uma compreensão melhor da doença, para a diferenciação da mesma com a doença do mal de Alzheimer e para uma divulgação maior do conceito dela.

Sabe-se que os indivíduos que possuem esse tipo de demência com corpos de Lewy apresentam um significativo processo de inflamação em seus cérebros. E é justamente essa inflamação no cérebro que está envolvida na degeneração dos neurônios e na perda de funções do mesmo.