Os árcades épicos


Houve, durante o Arcadismo, duas manifestações de árcades que elaboraram, além da poesia neoclássica, também a poesia épica: Basílio da Gama e frei Santa Rita Durão. Há uma explicação bem clara para esse fenômeno principalmente com relação à obra de Basílio da Gama. Ele havia estudado em colégio jesuíta no Brasil, foi para Portugal na época de perseguição pombalina aos jesuítas e acusado de jesuitofilia.

Portanto, com a finalidade de se livrar das acusações do marquês de Pombal, escreveu poema dedicado ao político e criou na figura do jesuíta, que permeia a obra, uma espécie de mau-caráter, instigador de lutas, situações ligadas a tudo quanto não se identificasse com a igreja. A obra de frei Santa Rita Durão é posterior à de Basílio e foi publicada em pleno reinado de D. Maria I, a louca; no entanto, reflete ainda a política pombalina: defesa do território, expansão econômica e fortalecimento do poder regente; ou seja, o herói deve lealdade ao rei, servindo-o e auxiliando-o como colonizador, desbravador e defensor da terra. Além do que, põe-se também a catequizar os indígenas, convertendo-os ao catolicismo.

árcades épicos

Como já sabemos, o Arcadismo despontou em pleno Século das Luzes, o século XVIII, um momento extremamente importante para as ciências e as artes em geral, ocasião em que o homem, livrando-se do julgo do Tribunal da Santa Inquisição, tenta trazer de volta bens intelectuais tão caros quanto a razão e o equilíbrio. É o Iluminismo, que caracteriza a mentalidade racional do século XVIII e valoriza a Ciência, a pesquisa, a crítica aos métodos e valores sociais e religiosos.

Basílio da Gama

Basílio da Gama nasceu em Minas Gerais, no ano de 1741, mais precisamente na cidade de São José do Rio das Mores, que atualmente é conhecida como Tiradentes. Veio a falecer no ano de 1795, em Lisboa. A obra de Basílio da Gama não é vasta: O Uruguai, publicado em 1769, Quitúbia, publicado em 1791, Epitalâmio às núpcias da Sra. da. Maria Amália, publicado em 1769.

Quando Jose Basílio da Gama estudava no Colégio dos Jesuítas do Rio de Janeiro, a Ordem foi expulsa do Brasil pelo Marquês do Pombal; o poeta foi para a Europa, esteve em Roma e participou da Arcádia Romana, mas quando voltou a Portugal foi acusado de jesuitófilo. Julgado, foi enviado para Angola a fim de cumprir exílio naquele país da África. Esperto e sabedor da intensa egolatria do Marquês de Pombal, escreveu para a filha dele. Maria Amélia, um longo epitalâmio (poema para louvar, celebras as núpcias de alguém).

Comovido, o Marquês mandou busca-lo no exílio, dando-lhe o título de nobreza. Na obra O Uruguai, é narrado uma guerra: no Rio Grande do Sul existiam sete povoados que eram administrados pelos jesuítas espanhóis em comunhão perfeita com os índios guaranis. Ao sul do Uruguai, nas proximidades de sua capital, Montevidéu, havia uma colônia chamada Sacramento, administrada por jesuítas portugueses.

Com o objetivo de resolver a inversão de domínios, em 1750, os dois países assinaram o famoso Tratado de Madri; divididas as terras, Portugal deveria passar para a Espanha a colônia de Sacramento e a Espanha passaria para Portugal, sob forma da lei contida no tratado, as sete colônias denominadas Sete Povos das Missões. Sete povos das Missões tinha, então, cerca de 30 mil habitantes e 72 jesuítas. Ficou a cargo do comandante português Gomes Freire de Andrade a demarcação dos limites dos sete povoados, mas quando se aproxima das comunidades, é atacado pelos índios, diz-se que instigados pelos jesuítas.

Gomes Freire comunica à Espanha sobre os acontecimentos e forma-se então, um exército luso-espanhol a cargo de Gomes Freire de Andrade e de Catâneo. Tal exército provoca extensa mortandade de indígenas. Ao lei o poema, observa-se que Basílio da Gama culpa os padres de incitarem os guaranis contra o exército; na figura do padre Balda, os jesuítas são tomados como vilões, o que muito agradou, por certo, ao Marquês de Pombal.

Os trechos principais do poema de Basílio da Gama

O episódio mais conhecido do poema é o trecho A morte de Lindóia. Muito embora O Uruguai seja um poema épico, há que se observar nele:

A. Seu maior valor está em trazer ao leitor um magnifico lirismo.

B. Há recuso ao modelo camoniano: o poema tem decassílabos brancos, não está disposto em estrofes em oitava-rima e se divide apenas em cinco cantos sem divisões de estrofe.

Após viver em uma situação irregular em relação ao casamento que a igreja admite com algumas mulheres, o personagem principal da história elegeu Paraguaçu para ser sua esposa. Levou-a então para a França, no entanto, suas ex-mulheres seguiram o navio a nado, o que culminou na morte de uma delas, chamada de Moema, que morreu afogada. Ele então casou-se com Paraguaçu diante de reis franceses, que foram também seus padrinhos.