Estilos Artísticos: Estilos Artísticos: Expressionismo, Cubismo, Futurismo, Dadaísmo e Surrealismo


EXPRESSIONISMO: Estilo artístico no qual a comunicação direta do sentimento ou emoção é o objetivo fundamental. As obras expressionistas tendem a refletir sentimentos de desespero e ansiedade, e estados mentais atormentados ou exaltados. Nelas, as imagens do mundo real são transformadas para corresponder a esses sentimentos ou estados mentais através do colorido, subjetivo e muitas vezes intenso, da distorção da forma, das linhas fortes e do contraste dramático.

Estilos Artísticos

O Expressionismo é associado à arte alemã e dos países do norte da Europa no final do século XIX e no século XX. As tendências expressionistas foram sobretudo importantes na pintura (Van Gogh, Munch, Ensor, Kandinsky) e no cinema (Murnau, Fritz Lang), encontrando também representantes na música (Arnold Schõnberg, Alban Berg) e na literatura (Strindberg, Brecht).

Os pintores, liderados por Boccioni, produziam quadros e esculturas representando não propriamente as coisas, mas o movimento das coisas, através de repetições de formas, ênfase em linhas de força e dissolução da divisão clara entre os objetos e o espaço. Os futuristas foram os primeiros a utilizar ruídos na produção da música. Criaram também um teatro crítico e humorístico em pílulas: o “teatro sintético futurista”, com peças em 3 atos que chegavam a durar menos de 5 minutos.

CUBISMO: Nome que se dá à teoria e às obras de um grupo de pintores que, trabalhando em Paris a partir de 1906, foram liderados por Picasso e Braque. Influenciados pela escultura primitiva (sobretudo as máscaras africanas) e por Cézanne, criaram uma pintura que conduziu à destruição da perspectiva, com a multiplicação das perspectivas num mesmo quadro, e à reorganização das formas do mundo no espaço da tela. Os cubistas pintavam objetos familiares, facilmente identificáveis, mas não os pintavam como eles os viam, e sim como os entendiam estruturalmente. Eles reorganizavam os mais simples constituintes formais dos objetos numa composição geométrica de planos inter- relacionados, representado simultaneamente diversos aspectos do objeto. Alguns escritores importantes foram influenciados pelo cubismo (Apollinaire, na França; Oswald de Andrade, no Brasil).

FUTURISMO: Movimento artístico iniciado na Itália, em 1909, pelo poeta Filippo Tommaso Marinetti. Em reação violenta contra a tradição, exaltou os aspectos dinâmicos da vida contemporânea: a velocidade e a mecanização. Os poetas procuraram produzir uma escrita nova, sem a pontuação e as relações sintáticas habituais, eliminando dos textos todos os aspectos da forma e do significado tradicional.

DADAÍSMO ou DADA: Movimento antiburguês de arte e literatura que se espalhou pela Europa depois da Primeira Grande Guerra. Rejeitava os valores morais e estéticos tradicionais, levando essa rejeição até ao absurdo e ao niilismo (negação total de qualquer valor), mas a sua defesa da liberdade e da criação na arte abriram o caminho para novos modos de expressão, como o surrealismo e a pop-art. Originou-se em 1916, em Zurique, através da atividade de um grupo de artistas de várias nacionalidades: Tristan Tzara, Kurt Schwitters, Francis Picabia. Um dos grandes nomes da arte deste século esteve ligado ao dada: Mareei Duchamp. A atividade dada, colocando em questão e rejeitando todos os valores e preconceitos tradicionais, colocou em questão (e muitas vezes rejeitou) o próprio conceito de arte.

SURREALISMO: Originando-se em Paris, em 1924, sobretudo graças à atividade de André Breton, o Surrealismo tem vários pontos de ligação com o dada. Formulado numa época em que a psicanálise ganhava terreno, o Surrealismo procurou liberar no ato criativo os poderes de elaboração imaginária do inconsciente e, assim, transcender a realidade tal como ela é concebida pela compreensão cotidiana. No plano da literatura, os surrealistas criaram a chamada “escrita automática”, em que o texto é produzido por associações livres, sem a intervenção da mente racional. Na pintura, procuraram representar imagens do inconsciente e do sonho. Além de André Breton, destacaram-se como escritores surrealistas Paul Éluard, Louis Aragon e Antonin Artaud. Na pintura, entre muitos outros, temos a figura popular de Salvador Dali. No cinema, Luís Bunuel.