Funções da Arte e Semiótica

Semiótica

É muito comum que algumas pessoas acreditem que as obras de arte só têm função decorativa e não sabem como identificar qualquer significado que elas podem oferecer. Mas a arte vai muito além da estética, já que tem como finalidade ser instrumento da percepção e sensibilidade do artista.

O ser humano tem a natureza sensível, capaz de refletir, pensar, se emocionar e expressar todas essas emoções por diversas formas. O homem não quer apenas suprir suas necessidades básicas para sobreviver, como é comum entre os outros animais, mas transformar a sua própria realidade através de sua expressão sobre ela.

A arte na semiótica

A arte foi a forma encontrada pelo homem para reinventar a beleza, o prazer, mas também se indignar. Ela é um meio de levá-lo a observar com mais atenção o mundo e a sociedade ao redor, dando mais atenção as formas, cores e sutilezas imperceptíveis na agitação cotidiana.

Uma obra de arte contém os sentimentos do artista, que se apropria dos elementos naturais do meio e é capaz de expressas também o momento social, político, econômico e cultural da sociedade. Pode servir como manifestação ou mera representação, mas tem como resultado um despertar de sensações.

Essas sensações são amplas e cada um tem sua resposta diante dela, sendo dirigidas pelo contexto social em que foram produzidas e o propósito do artista sobre ela. Dentre as várias funções da arte está a de reintegração social de pessoas a margem da sociedade, oferecendo a oportunidade de ver o mundo de forma mais abrangente, tal como a função ambiental que traz o equilíbrio das formas.

A arte utiliza signos que dão sentido e significados a compreensão do homem. Esses signos podem ser verbais ou não verbais e são estudados pela semiótica. Ela busca entender como o ser humano reage a esses signos, inclusive a forma como se envolve com eles. Eles estão distribuídos em toda forma de arte, seja nas plásticas, teatrais, visuais, musicais etc.

Em geral, a arte tem três funções significativas: a pragmática, formal e naturalista. Na pragmática há a busca pela eficiência da mensagem, mais do que a estética e cuja finalidade está acima da sua finalidade artística. A função formal valoriza essencialmente a estética acima da mensagem que ela pode reproduzir, enquanto a naturalista busca a integralidade da arte, não se importando tanto com seu conteúdo.