Isaac Newton


O físico inglês Isaac Newton nasceu em 25 de dezembro de 1642, no condado de Lincolnshire, na Inglaterra. No entanto, na época seu país usava o calendário Juliano, que marcava 4 de janeiro de 1643. Ele veio ao mundo no mesmo ano em que morreu Galileu Galilei, outro famoso estudioso da física.

Isaac Newton

De uma família com tradição no ensino formal, aos 18 anos Newton foi aceito na universidade Trinity College, de Cambridge. Na época, o currículo oficial das faculdades ainda era baseado na tradição Aristotélica. Mas a Europa passava por mudanças profundas, que alteravam a maneira com a qual os estudiosos viam o conhecimento.

Newton tanto adquiriu o conhecimento formal, quanto se interessou por estudos alternativos. Entre as áreas que abordou estão à filosofia mecânica, a história e a fonética. Ele até propôs a criação de uma língua filosófica universal. Teve contato com as obras dos grandes cientistas pós- medievais que vieram antes dele, como Galileu, Descartes e Kepler, e dos filósofos naturais de sua época.

Newton também se interessava por teologia. Ele estudava os livros sagrados e aprofundou-se, principalmente, na cronologia dos profetas bíblicos. Possuía ainda um lado ocultista, com interesses em alquimia e esoterismo.

Todas as suas áreas de interesses moldaram a ciência newtoniana, ainda que hoje só se discuta uma parte dela, referente à física.

O isolamento de Newton

Em 1665 a Inglaterra foi atingida por uma violenta peste, que assassinou entre 70 e 100 mil pessoas. Londres perdeu um quinto de sua população. A Trinity College foi fechada e, em razão disso, Newton voltou para a sua terra natal em Linconlshire. Entre 1665 e 1667 ele esteve isolado na fazenda dos seus pais, imerso em estudos. Realizou diversos questionamentos sobre a matemática, a mecânica, a ótica e a teoria da gravitação.

Ao final esses anos, a sua universidade foi reaberta e ele se tornou professor de matemática na instituição. Seu primeiro artigo científico, um estudo sobre ótica, foi publicado no ano de 1672. Nele, Newton se posiciona sobre a natureza da luz e o estudo das cores. Suas opiniões foram duramente atacadas. O físico, que já era uma pessoa reclusa, passa a se isolar ainda mais depois das críticas. O afastamento dificultava inclusive a publicação de novos trabalhos.

Ao mesmo tempo em que isso acontecia, grande parte do meio acadêmico, principalmente da Inglaterra, começava a considerar o sistema heliostático. Kepler e Galileu resolveram muitos problemas desse modelo. Mas ele ainda não possuía uma dinâmica sólida que pudesse explicá-lo. Faltava uma equação que fosse ao mesmo tempo simples e eficiente. Ela precisaria demonstrar como os planetas orbitavam ao redor do sol e relacionar isso com as quedas dos corpos na Terra.

O único livro de Newton, Princípios Matemáticos da Filosofia Natural, só pôde sair graças a uma aposta, e que não foi dele. O astrônomo Edmond Halley aceitara o desafio que propuseram outros cientistas: descobrir por que as órbitas dos planetas eram elípticas.

Querendo vencer a aposta, Halley perguntou a seu amigo Isaac Newton se ele tinha alguma ideia. Newton respondeu que já tinha feito os cálculos e descoberto há muito tempo. Infelizmente, não se lembrava de onde deixara o papel com as anotações.

Mais tarde, ao receber as anotações, Halley convenceu Newton a publicar a sua explicação. A primeira impressão do seu “Philosophie Naturalis Principia Mathematica” foi publicado em 1687. Dividido em três volumes, a obra usava uma linguagem geométrica para tratar dos movimentos dos corpos. O livro também trazia um sistema dinâmico para o mundo, com novas concepções para a força, inércia e gravidade, e novos conceitos de espaço e tempo.

As leis de Newton

As Leis de Newton procuram explicar o comportamento estático e dinâmico dos corpos. A primeira lei é a da Inércia, que diz que:

  • Um corpo em repouso permanecerá em repouso a menos que uma força resultante não nula atinja-lhe.
  • Um corpo em movimento retilíneo uniforme terá sempre a mesma velocidade a menos que uma força resultante atinja-lhe.

A segunda lei de afirma que para mudar o estado de movimento de um objeto é preciso exercer uma força que dependerá da massa que ele possui. O resultante das forças é igual produto da massa vezes aceleração, que pode ser representado por:

Fr = m.a

A terceira e mais famosa lei de Newton, é da Lei da Ação e Reação. Ela expõe que toda ação gera uma reação de igual intensidade no sentido contrário. Por exemplo, se alguém exercer uma força de 100 newtons em uma parede (empurrando ela), a parede exercerá uma força de 100 newtons contra a mão dele. Se ele aumentar a quantia de newtons, a força que receberá da parede também aumentará. Funciona como dois vetores, em que o da direita vai para a esquerda e o da esquerda para a direita.