Resumo Aleijadinho


Antônio Francisco Lisboa, conhecido popularmente como Aleijadinho, é uma referência da arte barroca no Brasil e no mundo. Há uma série de polêmicas que cercam a credibilidade e existência do artista, isso por que pouco se sabe sobre a sua vida e trajetória.

Resumo Aleijadinho

Muitos dizem que o artista nordestino não existiu pelo fato de sua biografia ter sido publicada apenas quarenta anos após a sua morte. Na década de 90 houveram teorias de que a história do artista foi criada pelo governo Vargas para reforçar a identidade nacional. Pois seria a defesa de que um perfil de cidadão doente, mestiço e sofredor brasileiro pudesse superar as suas dificuldades.

Mas, também em função de muitos artistas não assinarem os trabalhos naquela época, a identificação fica bastante dificultosa. Sendo mito ou não, de alguma maneira a sua história está totalmente contada através das artes esculturais que encantam e fazem parte da história nacional.

Conheça um pouco sobre a biografia de Aleijadinho

Nas teorias biográficas mais conhecidas, Aleijadinho nasceu em Vila Rica, atual Ouro Preto em Minas Gerais. Não se sabe ao certo, mas acredita-se que ele nasceu entre os anos de 1730 e 1738.

Ele era filho de um mestre-de-obras e arquiteto português chamado Manuel Francisco Lisboa com uma escrava africana chamada Isabel. Ele iniciou as suas primeiras atividades artísticas logo na infância junto ao acompanhamento do trabalho de seu pai.

Aos 40 anos de idade, o artista desenvolveu uma doença degenerativa nas articulações que o impossibilitou de possuir os movimentos nos pés e nas mãos, daí o apelido de aleijadinho. Não se sabe ao certo qual doença degenerativa causou esses sintomas, porém estudos apontam que era lepra. A história conta que o artista tinha uma vida muito ativa e a doença não foi um motivo que o fez parar de trabalhar.

Segundo a história, o artista sempre solicitava uma ajuda para amarrar seus punhos para poder criar obras. Todo o esforço delineado com as limitações resultou nas construções de igrejas e altares em cidades ao redor do estado de Minas Gerais.

As principais obras de Aleijadinho e a sua contribuição no barroco

As obras de Aleijadinho são muito reconhecidas por estarem próximas ao evento do barroco, estilo artístico este que difundiu-se em um período histórico e movimento sociocultural onde o homem procurava entender como funcionava o homem, o mundo e Deus. São obras com traços da antiguidade clássica que se misturam com detalhes do rococó e gótico.

Nessa época, que é estabelecida pelo século XVIII, muitas construções religiosas começaram a ganhar espaço nas cidades de Minas Gerais. Era tendência a igreja católica construir grandes obras e construções majestosas com a alta fase do ouro brasileiro. Nesse mesmo período, o Aleijadinho começou a se destacar como projetista e escultor.

Para esculpir as suas grandes obras, Aleijadinho utilizou a pedra-sabão, famosa matéria-prima brasileira para esculturas. Todo o conjunto de sua obra é reconhecido a ponto de levar o artista a ser considerado o artista mineiro e brasileiro mais importante da fase do barroco.

O primeiro projeto realizado por Aleijadinho foi na cidade de Ouro Preto em 1752, quando fez um desenho para o chafariz a ser instalado no pátio do Palácios dos Governadores.

Antes de desenvolver um estágio grave da doença, todas obras de Aleijadinho foram ressaltadas pela harmonia e serenidade. Dentre os principais feitos da época está a Igreja de São Francisco de Assis, Igreja Nossa Senhora das Mercês e Perdões que ficam localizadas na cidade de Ouro Preto.

Porém como a doença se agravou entre os anos de 1807 e 1809 o artista começou a deixar suas obras de arte com um toque de expressionismo. Essa fase de Aleijadinho é marcada por esculturas como Os Doze Profetas e Os Passos da Paixão, que estão situadas na Igreja de Bom Jesus de Matosinhos na cidade de Congonhas em Minas Gerais. O santuário é reconhecido como um Patrimônio Cultural pela UNESCO.

O artista também ficou conhecido pela Ordem Terceira de São Francisco de Assis da Penitência que demorou mais de 20 anos para ser completada.

O artista possui um conjunto de obra de 66 imagens religiosas todas esculpidas em madeira e mais 12 realizadas com o trabalho de pedra-sabão, sendo assim um dos autores mais representativos da história do barroco brasileiro. Muitas de suas obras estão localizadas no estado de Minas Gerais, principalmente nas cidades de Sabará, São João Del Rei e Congonhas.

A história conta que Aleijadinho morreu pobre e doente aos 76 anos de idade em 18 de novembro 1814 na cidade de Ouro Preto. Aleijadinho até hoje é lembrado pela sua força de vontade e gosto pelo trabalho, pois mesmo enfrentando uma série de problemas físicos, continuou desenvolvendo os trabalhos de uma maneira inacreditável que são referência para o Brasil até os dias de hoje.