Resumo Aluísio Azevedo


Aluísio Azevedo é considerado um dos maiores escritores da história do Brasil. Ele nasceu em 1857, em São Luís, no Maranhão. Foi também jornalista, caricaturista e diplomata. Além disso, foi um dos sócios-fundadores da Academia Brasileira de Letras.

Resumo Aluísio Azevedo

Aluísio Azevedo se formou como escritor através das suas influências do romantismo. No entanto, resolveu adotar uma estética realista-naturalista mais tarde. A mudança se deu principalmente por causa das influências europeias de Eça de Queirós e Émile Zola. Publicou seus primeiros trabalhos em folhetins ligados ao romantismo. Azevedo viveu durante 15 anos como escritor, publicando relatos naturalistas.

Resumo Aluísio Azevedo: Biografia

Aluísio Azevedo era filho de um vice-cônsul português chamado David Gonçalves de Azevedo. Seu irmão foi Artur Azevedo, que atuou como jornalista e dramaturgo. Juntos trabalharam em diversas peças teatrais.

Logo na infância Azevedo já demonstrava possuir dons artísticos, principalmente os relacionados ao desenho e a pintura. Em 1871 ele entrou no Liceu Maranhense, onde se dedicou ao estudo dessas artes. Com 19 anos partiu para o Rio de Janeiro, levado por seu irmão. Na capital do país ele cursou a Academia Imperial de Belas-Artes, através da qual se tornou cartunista colaborador de jornais como O Fígaro, Mequetrefe, A Semana Ilustrada e Zig-Zag.

Em 1879 o pai de Aluísio Azevedo morreu e, para sustentar a família, o escritor decide voltar para São Luís. Devido às dificuldades econômicas, ele abandonou momentaneamente o desenho. Passa então a se dedicar à literatura.

Seu primeiro romance foi “Uma Lágrima de Mulher”, publicado em 1880. A obra carrega um sentimentalismo romântico extremado. Um ano depois saiu “O Mulato”, livro tido como o primeiro do Movimento Naturalista do Brasil. A obra trazia um relato, em tons de denúncia, sobre o preconceito racial. Nessa época havia uma crescente efervescência abolicionista.

Em seu livro, Azevedo escancarou a questão racial e demonstrou ser um abolicionista convicto. A obra se tornou um sucesso na Corte, pois já a tinham como uma representante da escola naturalista. Mas a elite da província do Maranhão reagiu com hostilidade. A reação negativa de parte da sociedade se deveu ao fato de Azevedo ter criticado alguns maranhenses poderosos. Isso fez com que ele voltasse para o Rio de Janeiro.

O escritor produzir muitos romances, contos, crônicas e peças de teatro a partir de então. Em 1895, decide se tornar diplomata. Exerceu a profissão na Espanha, Inglaterra, Itália, Japão, Paraguai e Argentina. Nesse período deixou de se dedicar à produção literária. Sua atividade como diplomata o levou ao cargo de cônsul de primeira classe. Azevedo mudou-se para Buenos Aires, na Argentina, onde passou a viver com Pastora Lopez, tendo inclusive adotado seus filhos.

Aluísio Azevedo morreu em 21 de janeiro de 1913 na capital argentina. Seus restos mortais foram trazidos para o Brasil em 1918, e foram sepultados em São Luís.

Resumo Aluísio Azevedo: Obra

Os principais romances de Aluísio Azevedo se enquadram na estética naturalista: O Mulato (1881), Casa de Pensão (1884) e O Cortiço (1890). Sua influência principal foram os naturalistas europeus. Assim como o escritor francês Émile Zola, Azevedo gostava de relatar a mediocridade cotidiana.

Questões e problemas sociais, vividos pelos brasileiros na época, eram fontes de interesse de Azevedo. Entre seus temas prediletos estavam o preconceito de cor, vícios e adultério. Na sua obra mais conhecida e aclamada, O Cortiço, o autor demonstra as consequências do aumento populacional no Rio de Janeiro do final do século XIX. Nesse período surgiram na cidade alguns núcleos habitacionais onde muitos trabalhadores se aglomeravam. No seu livro o protagonista é o próprio cortiço.

A visão naturalista era contrária à estética romântica, que predominava na literatura até então. A forma de ver o mundo, captando os modos individuais e particulares, diferia da idealização do romantismo.

Além do naturalismo, a obra de Azevedo possui traços fatalistas. Há uma tentativa de representar uma realidade na qual os fracos são devorados pelos fortes. Mas apesar dos traços inconfundíveis das vertentes literárias da época, muitos estudiosos veem sua obra como irregular.

A produção total de Aluísio Azevedo possui também toques melodramáticos, muito ligados ao romantismo. Essa estética tinha forte apelo comercial para o grande público. Eram suas obras mais elaboradas que tinham um viés naturalista. O escritor, inclusive, é tido como o pioneiro da escola no Brasil.

Veja abaixo a lista de obras do autor:

Romances

  • Uma Lágrima de Mulher
  • O Mulato
  • Mistério da Tijuca ou Girândola de Amores
  • Memórias de um Condenado ou A Condessa Vésper
  • Filomena Borges
  • Casa de Pensão
  • O Homem
  • O Cortiço
  • O Coruja
  • A Mortalha de Alzira
  • O Livro de uma Sogra

Peças:

    • Casa de Orates
    • Os Doidos
    • Em Flagrante
    • Flor de Lis
    • Um Caso de Adultério
    • Caboclo
    • República
    • Venenos que Curam

Outros:

    • Aos Vinte Anos (contos)
    • Os Demônios (contos)
    • O Japão (manuscritos em estilo de crônicas)
    • O Touro Negro (crônicas e epistolário)