Resumo Guimarães Rosa


Autor de algumas das obras mais relevantes da literatura brasileira, como “Sagarana” (1946) e “Grande Sertão: Veredas” (1956), entre diversas outras, João Guimarães Rosa foi um escritor de Minas Gerais que nasceu em 27 de junho de 1908 e faleceu em 19 de novembro de 1967, reconhecido como um dos mais importantes do país em termos de literatura. Com seis anos, o escritor já estudava francês sozinho, além de holandês e alemão.

Resumo Guimarães Rosa

Dez anos depois, Guimarães Rosa entrou para a Faculdade de Medicina da Universidade de Minas Gerais e tornou-se médico em 1930 – informação importante para entender de que forma a carreira de médico influenciou na literatura do escritor. No mesmo ano, casou-se com Lígia Cabral Penna, com quem teve duas filhas. Nessa época, o autor já surgia na literatura, haja vista que seus primeiros contos foram publicados em 1929.

Você já conhece a biografia de um dos autores mais importantes da literatura brasileira? Veja nesse post o Resumo Guimarães Rosa, com as principais informações acerca da vida e das obras do escritor! Acompanhe abaixo:

Resumo Guimarães Rosa: Biografia

Nascido em Cordisburgo (MG), João Guimarães Rosa era chamado de “Joãozito” durante a infância. Antes de completar nove anos, mudou-se para Belo Horizonte para morar com os avós e, tempos depois, foi mandado para um internato em São João Del Rei, ao qual não se adaptou – odiava a comida do local. De volta à capital de Minas Gerais, em 1925 iniciou os estudos na faculdade de medicina e teve a sua estreia no mundo das letras em 1929, ainda enquanto era um estudante.

Com os contos “Makiné”, “Chronos Kai Anagke” (título grego que significa “Tempo e Destino”), “O mistério de Highmore Hall” e “Caçador de camurças”, todos premiados em um concurso, Guimarães Rosa entrou de vez para o cenário da literatura nacional. Tempos depois, se desencantou com a profissão e com as dificuldades da carreira de médico em sua região e abandonou as atividades na área da saúde pelos idos de 1931.

Na Revolução Constitucionalista de 1932, o médico e escritor atuou como voluntário na Força Pública. No ano seguinte, voltou a atuar como médico no 9º Batalhão de Infantaria e foi nessa época que Guimarães Rosa teve tempo para escrever mais e, também, para estudar diversas línguas estrangeiras, além de ter entrado em contato com diversas pessoas que tinham informações valiosas sobre o jaguncismo da região do São Francisco.

Porém, Guimarães Rosa não se considerava um médico e tinha a certeza de que não queria exercer mais a profissão no início da década de 1930 e, por isso, prestou um concurso para atuar no Ministério Exterior, no Rio de Janeiro, e passou. Antes, ainda, de completar trinta anos de idade, o escritor participou de outros concursos literários e venceu. Em 1936, foi premiado pela Academia Brasileira de Letras (ABL) pela obra “Magma”. Em 1937, começou a escrever os primeiros rascunhos que iriam compor “Sagarana”, um de seus livros mais reconhecidos.

Nos anos que seguiram, o autor continuou escrevendo sobre o que via nos locais em que passava e sobre o que escutava das pessoas com quem conversava. As décadas de 1930 e 1940 foram marcadas por períodos de guerra e o escritor mineiro escapou da morte diversas vezes. Durante essa época, mesmo ciente dos perigos, chegou a proteger judeus e facilitou a fuga deles enquanto eram perseguidos por nazistas. Em 1942, foi preso na Alemanha, em conjunto com outros brasileiros como o pintor Cícero Dias.

Resumo Guimarães Rosa: Regionalismo

O regionalismo presente na literatura brasileira começa a surgir na década de 1940, com Guimarães Rosa e outros autores do movimento, que escrevem sobre a realidade do país e as péssimas condições de vida da maioria das pessoas. É importante destacar o movimento literário em relação ao resumo da vida do autor porque ele está entre os principais nomes da corrente. Em 1946, o escritor lançou “Sagarana”, fruto de textos escritos em anos anteriores; e em 1956 foi polêmico ao lançar a obra “Grande Sertão: Veredas”, uma das mais importantes da história da literatura do Brasil.

Resumo Guimarães Rosa: Obras

  • “Magma”, compilado de poemas que não chegou a ser publicado;
  • “Sagarana” (1946), livro de contos que se tornou um dos mais importantes do autor;
  • “Com o vaqueiro Mariano” (1947);
  • “Corpo de Baile” (1956), que foi publicado em 3 partes (novelas);
  • “Grande Sertão: Veredas” (1956)*, o romance mais importante do escritor;
  • “Primeiras Estórias” (1962);
  • “Tutameia” (1967), que causou polêmica no meio literário;
  • “Estas estórias” (1969);
  • “Ave, palavra” (1970).

*Com “Grande Sertão: Veredas”, Guimarães Rosa desafia a crítica até os dias atuais e ganhou três prêmios nacionais: Prêmio Machado de Assis, do Instituto Nacional do Livro; Prêmio Carmem Dolores Barbosa, de São Paulo; e Prêmio Paula Brito, do Rio de Janeiro. A obra já foi abordada em diversas provas, exames, concursos e vestibulares.