Resumo Tarsila do Amaral


Tarsila do Amaral foi uma desenhista e pintora brasileira com fama nacional e internacional. Além disso, é uma das maiores representantes do movimento modernista em nosso país. Neste artigo, conheça um resumo da biografia de Tarsila do Amaral, assim como suas principais obras e algumas curiosidades.

Resumo Tarsila do Amaral

Resumo Tarsila do Amaral – biografia

Tarsila do Amaral nasceu no interior do estado de São Paulo, mais especificadamente, na cidade de Capivari. A pintora foi fruto da união de duas famílias ricas e tradicionais da cidade – motivo pelo qual desde a infância foi apresentada aos bons costumes e, especialmente, a boas escolas.

Na adolescência, Tarsila iniciou os estudos no Colégio Sion, porém, os finalizou em uma escola espanhola localizada em Barcelona. Quando ainda estava no colégio brasileiro, em 1901, foi quando pintou o seu primeiro quadro, conhecido como “Sagrado Coração de Jesus”.

No ano de 1906 a pintora se casou com André Teixeira Pinto, um de seus primos com o qual mais tarde teve uma filha. O casamento durou algo como 10 anos. Após se separar, Tarsila do Amaral decidiu estudar aquilo que mais lhe interessava: artes plásticas. Não à toa, em 1916 iniciou os estudos de modelagem de esculturas no ateliê de um radicado escultor sueco, William Zadig.

Em 1917 Tarsila do Amaral se dedicou a aulas com Pedro Alexandrino, um renomado decorador, professor e pintor. Nesta fase, suas principais obras eram de naturezas-mortas. Também neste mesmo período, Tarsila conheceu Anita Malfatti.

No ano de 1920 Tarsila do Amaral iniciou os estudos na Academia Julian, uma escola de artes plásticas parisiense. Com o pouco do que já sabia, ela participou em 1922 do Salão Oficial dos Artistas da França.

Neste mesmo ano Tarsila do Amaral retornou ao território brasileiro, onde ao lado de Anita Malfatti, Oswaldo de Andrade, Mário de Andrade e Menotti Del Picchia formou o “Grupo dos Cinco”. O grupo, por sua vez, foi o de maior destaque na Semana de Arte Moderna brasileira.

Já em 1923 Tarsila do Amaral voltou novamente ao continente europeu, onde mergulhou com tudo no movimento modernista da Europa. Foi entre os anos de 1920 e 30 que Tarsila do Amaral desenvolveu suas obras de maior importância, entre elas Operários (de 1933) e Abaporu (de 1928).

No finalzinho da década de 20 dois movimentos foram criados por Tarsila do Amaral: Antropofágico e Pau-Brasil. O objetivo dela era fazer com que a arte europeia deixasse de ser desprezada pelos artistas brasileiros para servir de inspiração no desenvolvimento de uma estética própria.

Em 1926 Tarsila se casou novamente, desta vez, com Oswald de Andrade. O casal se separou quatro anos depois.

Entre 1936 e 1952 a artista também atuou como colunista em um dos maiores grupos midiáticos brasileiros, o Diários Associados. Tarsila do Amaral foi a óbito em janeiro do ano de 1973. Porém, suas obras e influências artísticas perduram e fazem com que ela seja considerada uma das maiores figuras artísticas do país de todos os tempos.

Estilo de Tarsila do Amaral

As pinturas e desenhos de Tarsila do Amaral tinham como principais características:

  • Influência do cubismo, ou seja, eram marcadas pela utilização exagerada de formatos geométricos;
  • Estética diferenciada e fora dos padrões – influenciada pelo movimento surrealista;
  • Uso de tonalidades marcantes e vivas (como laranja, vermelho e verde);
  • Seus desenhos e pinturas tinham como principais influências as paisagens e meio ambiente brasileiro, temas do dia a dia e algumas temáticas sociais.

Resumo Tarsila do Amaral – principais obras e curiosidades

Ao todo, Tarsila do Amaral desenvolveu mais de 250 obras entre quadros e esculturas. Entre as principais delas destacam-se:

  • Pátio Com Coração de Jesus (obra do ano de 1921);
  • Chapéu Azul (de 1922);
  • Retratos de Mário e de Oswald de Andrade, ambos datados de 1922;
  • Figura Azul (1923);
  • Rio de Janeiro (1923);
  • Natureza Morta com relógios (1923);
  • Morro da Favela (1924);
  • São Paulo – Gazo (1924);
  • Palmeiras (1925);
  • Paisagem com Touro (1925);
  • Vendedor de Frutas (1925);
  • Coração de Jesus (1926);
  • Religião Brasileira (1927);
  • O Lago (1928);
  • Cartão Postal (1928);
  • O Ovo ou Urutu (1928);
  • Retrato do Padre Bento (obra marcante de 1931);
  • Segunda Classe (1933);
  • Procissão (1941);
  • Primavera (1946);
  • Porto I (1953);
  • A Metrópole (1958);
  • Religião Brasileira IV (obra de 1970).

Curiosidades sobre Tarsila do Amaral:

  • Apesar de ter passado muito tempo fora do país, Tarsila do Amaral amava demais o Brasil. Não à toa, suas principais obras eram “abrasileiradas”, dotadas de tons da natureza, características do homem rude, aspectos da cultura popular brasileira e paisagens exclusivas de nosso país;
  • No acervo pessoal de Tarsila do Amaral estavam obras de Picasso, Anita Malfatti, De Chirico, Léger, Almeida Junior, Gleizes, Ingres, Delaunay, Lhote e Modigliani;
  • A estreia de Tarsila do Amaral em Paris foi com 17 telas com temática essencialmente brasileira. Já no Brasil, sua primeira exposição foi no Rio de Janeiro, com 35 obras de sua autoria no Palace Hotel.