Resumo Walter Shewhart


Walter Shewhart foi o responsável do controle estatístico de qualidade. Ele criou técnicas inovadoras para avaliar e aprimorar a qualidade de serviços e produtos, que são utilizadas até hoje. O também conhecido “Pai do Controle de Qualidade” nasceu em 18 de março de 1891, no estado Illinois nos Estados Unidos da América.

Resumo Walter Shewhart

Graduou-se pela Universidade de Illinois e aos 26 anos obteve o seu doutorado em física pela Universidade da Califórnia. Começou o seu trabalho como engenheiro em 1918 na empresa Western Eletric. Em seguida, pediu transferência para a companhia Bell Telephones Laboratories onde permaneceu até 1956 e desenvolveu análises estatísticas.

Durante o seu trabalho na Bell, atuou como consultor do governo indiano, no departamento de guerra dos EUA e também na Organização das Nações Unidas. Em paralelo, o guru da qualidade licenciou em grandes universidades como a de Harvard, Rutgers e Princenton.

Shewhart alcançou tantos prestígios devido às contribuições oferecidas para manusear a qualidade de serviços e técnicas de estatísticas tanto que foi nomeado como membro honorário da Statistical Association de Calcutá na Índia e na Royal Statistical Society da Inglaterra, entre outras associações.

Mas foi na companhia Bell que Shewhart começou a demonstrar o seu trabalho. Em 16 de março de 1924, o funcionário propôs que os seus superiores usassem uma Carta de Controle que de maneira simples poderia controlar todos os processos da empresa. O documento era de apenas uma página e era ocupada por um diagrama conhecido até hoje como Carta de Controle. Abaixo dessa folha havia os princípios e fundamentos básicos da gestão de qualidade que são estudados atualmente.

A contribuição de Shewahart no controle de qualidade

A carta desenvolvida que contribuiu para a gestão de qualidade da empresa em que Shewhart trabalhava foi feita a mão. Foi desenvolvido junto a ela, o conceito de Intervalos de Tolerância que identifica quando um processo de uma empresa está sob controle.

Na época, o físico trouxe a discussão sobre a relevância da redução da variação em um processo de manufatura. Também se compreendeu que o ajuste contínuo de um processo acarretava no aumento dessa variação e assim diminuía a qualidade de gestão.

Surgiu dessa maneira a teoria das Cartas de Controle que são introduzidas para garantir a gestão de qualidade de uma indústria. Elas trazem consigo, os conceitos de causas de variação, causas comuns e causas aleatórias que tem como objetivo obter um controle estatístico dos processos da indústria.

Como estatístico, Shewhart defendia também que era importante manter o processo sob um controle de estatísticas, pois este ajudaria a prever melhor os resultados e como consequência ficaria mais acessível de administrá-lo economicamente.

A proposta desenvolvida pelo estudioso apareceu como revolucionaria para a época, já que a gestão de qualidade da indústria limitava-se a conferência final dos produtos a partir da contagem de remoção de peças defeituosas. Assim, a teoria de Shewhart evitou que itens defeituosos de peças fossem produzidos, melhorando assim a qualidade e desenvolvimento das indústrias.

O trabalho desenvolvido por Shewhart obteve tanto sucesso que em 1938 chamou a atenção do físico Edwards Deming, que se inspirou e criou o ciclo PDCA ou também conhecido como Ciclo de Shewhart. Esse ciclo é uma teoria importante que grandes empresas utilizam para o planejamento e gestão.

Os dois trabalharam juntos durante anos e desenvolveram também um trabalho sobre produtividade na Segunda Guerra Mundial. Além de Deming, outros estatísticos desenvolveram os trabalhos junto a Shewhart nas décadas de 40 e 50 como Jennet e Grant.

Reconhecido pelo seu trabalho, a American Society for Quality (na qual Shewhart colaborou na fundação) concede todos os anos a Medalha Shewhart para autores que desenvolvem trabalhos que se destacam na teoria, princípios e técnicas do controle de qualidade.

Outras contribuições de Shewhart

Shewart além de contribuir para a gestão de qualidade colaborou para o desenvolvimento de métodos estatísticos. Na teoria estabelecida pelo autor, discute-se o planejamento de definições operacionais e especificas de relatórios de pesquisa sobre estatística. Para ele as características dos dados devem comunicar em termos estatísticos. Acreditava que os dados apresentados deveriam ser evidentes para demonstrar clareza dos resultados.

Colaborou também para os conceitos de média e variância dentro das disciplinas de estatística. Como físico, reforçou que as leis físicas estavam encaixadas dentro dos contextos estatísticos, discutindo as regras das grandes constantes. Através da estatística, Shewhart obteu diversas contribuições para as leis físicas.

O estudioso publicou o livro Controle Econômico de Qualidade da Produção de Manufatura em 1931 em que apresentou os princípios básicos do controle de qualidade que foram aprofundados posteriormente em 1939 no livro Método estatístico do ponto de vista do controle de qualidade.

Shewart teve um grande papel para contribuição da Indústria e a Estatística. Ele desenvolveu melhorias na gestão de processos e da alta qualidade na indústria. Hoje seu nome ainda é lembrado e tem sido usado como referência para grandes estudos.