A carne verde


Um dos grandes motivos que leva muitas pessoas a se tornarem vegetarianas é a preocupação com os animais, que são praticamente criados para virar alimento. Mas o fator ainda mais preocupante são os maus tratos que esses animais recebem durante o período de engorda, já que estes são submetidos a uma alimentação restrita a grãos e permanecem, todo o tempo de suas vidas, confinados em pequenos espaços, que não os permitem muitos movimentos.

a-carne-verde

Dessa forma, as criações de carne são consideradas um verdadeiro problema ambiental, pois expõe os animais a condições precárias até o fim da vida, quando são mortos para o consumo humano. No entanto, essa realidade está mudando. Uma iniciativa da Amazônia e do Pantanal mostram indícios de uma criação mais sustentável, chamada carne verde.

O nome, que pode parecer estranho no começo, está relacionado a todas as medidas que são tomadas durante todo o processo de criação da carne, indicando que este cumpre fielmente todas as medidas sustentáveis necessárias para garantir o bem-estar dos animais e a preservação do meio ambiente.

Mas afinal, o que é a carne verde? Para que ela serve? Qual a diferença da carne verde para a carne convencional? Qual o seu custo? Continue lendo esse artigo para saber mais sobre o assunto.

Carne verde: o que é?

A carne verde é proveniente de um processo totalmente diferente do modelo tradicional, onde o gado recebe maus tratos por alimentação pobre e pouco espaço para se desenvolver. Pode-se dizer que a criação de carne verde é aquela que além de se preocupar com o bem-estar e a tranquilidade do animal, apresenta também uma preocupação com a natureza, usando recursos sustentáveis durante todo o processo, que começa no nascimento do novilho e termina na hora do seu abate.

A principal diferença entre a criação verde e a criação convencional é que na verde, os animais ficam soltos e se alimentam das vegetações nativas, enquanto que na criação convencional, os animais ficam confinados e recebem uma alimentação a base de grãos.

Mas existem outros fatores que influenciam a criação, a qual só é realmente considerada sustentável se atender a três critérios de maneira suficiente. São eles: social, ambiental e econômico.

No âmbito social, a criação de carne verde deve oferecer novas oportunidades para os pecuaristas da região, desde os de pequeno até os de grande porte.

No que diz respeito às questões ambientais, a carne verde deve garantir que não mais existam desmatamentos em nenhuma área, e ainda, que as áreas que já foram desmatadas anteriormente, sejam recuperadas e voltem a ter utilidade.

Na questão econômica, a criação de carne verde deve também dar um suporte aos pecuaristas, de modo que eles consigam aumentar a renda e melhorar os seus negócios, sem necessariamente precisar comprar novas terras e aumentar o seu território. Além disso, é importante que eles possam fazer o abate dos animais em um menor intervalo de tempo, o que aumenta a produtividade.

Vantagens de consumir a carne verde

Além de contribuir com o meio ambiente, a carne verde também traz uma satisfação maior para o paladar de quem a consome. De acordo com os pesquisadores, a carne verde promete ser muito mais macia e saborosa do que a carne proveniente das criações convencionais.

Essa diferença se dá pelo fato de que na criação sustentável, os animais são criados soltos e se alimentam das vegetações nativas, sem nenhum tipo de suplemento ou agrotóxico para acelerar a engorda. Dessa forma, por conta da engorda natural, a carne acaba ficando com um gosto mais leve.

O sabor também é influenciado pelas condições de vida dos animais, já que na criação sustentável, eles têm um bem-estar muito maior, por serem “mais livres”, sem serem submetidos ao estresse de viver confinado. O estresse do animal é um fator que influencia muito na qualidade da carne, que acaba ficando dura e sem gosto quando o animal vive em condições precárias.

Além do sabor, outra vantagem de consumir a carne verde é a saúde, pois como a carne é livre de agrotóxicos, suplementos e principalmente, do estresse do animal, ela se torna muito mais saudável, sem apresentar riscos para a saúde.

Carne verde: quanto custa?

Com uma série de vantagens, é claro que surge a dúvida: mas quanto custa? A carne verde, por ser composta por diversos fatores que se preocupam com o meio ambiente e também com o bem-estar dos animais, ela costuma custar um pouco mais caro do que as carnes convencionais, pois o processo é bem mais complexo e com uma qualidade muito maior.

Perto das carnes desconhecidas encontradas nos mercados, a carne verde pode custar até 90% a mais, o que significa quase o dobro do preço. Já se for comparada com as carnes de qualidade maior, que são reconhecidas pela marca e classificadas como premium, a carne verde é aproximadamente 30% mais cara.

A boa notícia é que muitas empresas de grande porte, como Mc Donalds, Walmart e Carrefour, já declararam que vão aderir à carne verde, como uma forma de oferecer o melhor para seus clientes e consumidores.