Características e Reprodução dos Vírus


Reprodução dos Vírus

Os vírus são partículas de proteína com um material genético, podendo ser RNA (ácido ribonucleico) ou DNA (ácido desoxirribonucleico). Eles são formas extremamente simples e só conseguem se desenvolver e multiplicar-se em tecidos e células vivas.

Eles são conhecidos principalmente pelas doenças que causam nos humanos, como a gripe, febre amarela, AIDS e sarampo. Os vírus, que em latim significam “veneno”, acabaram emprestando a nomenclatura para outras áreas, como a computação.

Características dos vírus
Apesar de serem organismos biológicos microscópicos, os vírus até possuem certa complexidade em seu funcionamento. São mais de 3,6 mil espécies que possuem entre as características mais comuns:

– São acelulares (não possuem células);
– Podem parasitar células;
– São capazes de infectar seres de todos os domínios (eucariontes, archea e bactérias);
– Podem ter genomas de fitas duplas ou simples;
– São de três tipos: adenovírus (formados por DNA), arbovírus (transmitidos por insetos) e retrovírus (formados por RNA);
– Alguns possuem enzimas (moléculas que aceleram reações químicas).

Reprodução dos Vírus
Como os vírus precisam, obrigatoriamente, parasitar células vivas, eles só se reproduzem em tais condições. Fora de organismos vivos eles não possuem processo metabólico nenhum.

Estando eles em um ambiente intracelular, começa a reprodução dos vírus. O processo é chamado de replicação viral e pode acontecer muito rapidamente, podendo levar apenas algumas horas.

Após infectarem as células eles interagem com o metabolismo celular e o subvertem, para que ele possa produzir cópias do organismo. O processo vai acontecendo repetidamente até que milhões de células sejam infectadas.
O processo varia entre as diferentes espécies de vírus, mas geralmente respeita um ciclo: Adsorção; Entrada; Desnudamento; Transcrição e Tradução; Replicação do genoma; Montagem e Liberação.

No caso dos retrovírus, há no processo de reprodução a replicação do DNA para o RNA. Nos humanos, por exemplo, isso faz com que o DNA produzido seja incorporado ao código genético. Por causa disso, doenças como a AIDS são tão difíceis de serem combatidas.