Características Gerais dos Filo Arthropoda e Classe Insecta


A variedade de artrópodes atesta seu sucesso na conquista dos mais variados ambientes da Terra. Representantes do filo Arthropoda. (A) Mosca (subfilo Uniramia, classe Insecta). (B) Gafanhoto (subfilo Uniramia, classe Insecta). (C) Aranha (subfilo Chelicerata, classe Arachnida). (D) Carrapato (subfilo Chelicerata, classe Arachnida). (E) Caranguejo (subfilo Crustácea). (F) Piolho-de- cobra (subfilo Uniramia, classe Diplopoda).

Características Gerais dos Filo

Características Gerais

Os Artrópodes (gr. arthron = articulação + podos = pé) constituem um grupo de animais muito bem adaptados a diversos habitais, com um número de espécies (mais de 800.000) maior que o de todos os outros filós somados. O corpo é geralmente segmentado, com simetria bilateral; os apêndices (patas, antenas, palpos, etc.) são articulados. São revestidos por exoesqueleto orgânico contendo quitina e trocado periodicamente. A musculatura é estriada (ação rápida). O tubo digestivo é completo.

As trocas gasosas da respiração são efetuadas por brânquias (crustáceos), traquéias (insetos, quilópodes, diplópodes), pulmões foliáceos e traquéias (aracnídeos) ou pela superfície do corpo (artrópodes primitivos e de pequenas dimensões). A circulação é aberta. A excreção •enfeita por glândulas verdes (crustáceos), túbulos de Malpighi (insetos, quilópodes, diplópodes), glândulas coxais (aracnídeos). O sistema nervoso é do tipo ganglionar, situado ventralmente; há uma grande variedade de órgãos dos sentidos. São geralmente dióicos, com dimorfismo sexual; fecundação geralmente interna; ovíparos ou ovovivíparos (escorpiões); desenvolvimento direto ou indireto (com metamorfoses larvais); partenogênese (desenvolvimento sem fecundação) em alguns crustáceos, insetos (abelhas e pulgões) e escorpiões.

A característica mais marcante dos artrópodes e a grande responsável pelo sucesso ecológico do grupo é a presença de um exoesqueleto quitinoso que reveste todo o corpo do animal. Esse exoesqueleto é formado por placas que se articulam, propiciando movimentos do corpo e de seus apêndices, como é o caso das pernas. Aliás, foi a presença de pernas articuladas que deu origem ao nome do grupo (Arthro = articulação; poda = pé). Os artrópodes, assim como os anelídeos, são animais que apresentam metameria. Entretanto, verifica-se neles uma tendência à fusão de segmentos, formando unidades funcionais denominadas tagmas. São exemplos de tagmas, a cabeça, o tórax e o abdome dos insetos.

O exoesqueleto dos artrópodes é impermeável a gases e a líquidos, fato que permitiu a esses animais ocupar com sucesso o ambiente terrestre, inclusive regiões áridas. Um exoesqueleto impermeável evita a perda de água, um dos principais problemas que os animais enfrentam no meio terrestre. Entretanto, a presença de uma estrutura impermeável revestindo o corpo impede as trocas gasosas através da pele. Assim, nos artrópodes, existem estruturas especiais relacionadas com a respiração, sendo que elas variam de grupo para grupo, dependendo do ambiente onde os animais vivem.

Uma outra característica dos artrópodes relacionada ao exoesqueleto é o crescimento através de mudas ou ecdises. Os artrópodes trocam de exoesqueto várias vezes durante a vida. No gráfico, a curva em vermelho representa o crescimento descontínuo dos artrópodes. É possível encontrar um exoesqueleto vazio de cigarra preso a uma árvore. A cigarra o abandonou para crescer, em seguida formando outro exoesqueleto maior. As faixas em rosa apontadas pelas setas destacam os períodos pós-muda, onde o animal cresce antes que um novo exoesqueleto se consolide. A curva em azul representa o crescimento contínuo presente em muitas espécies de animais, incluindo a nossa.

Classe Insecta

Inserta – do latim in (interior, dentro) + secare (cortar, dividir) Hexapoda – do grego hexápous, odós (que tem seis pés). A maioria dos insetos é terrestre, embora existam algumas espécies que se adaptaram à vida no ambiente aquático. Apesar de a presença de asas ser uma característica importante do grupo, nem todos os insetos as possuem, como se verifica em traças-de-livros, pulgas, piolhos, formigas e cupins. Entre as formigas e cupins, existem grupos que desenvolvem asas na época da reprodução, perdendo-as novamente após a cópula.

A cabeça dos insetos forma uma peça única, com os segmentos que a compõem completamente fundidos. Nela estão presentes tipicamente um par de antenas, um par de olhos compostos (olhos formados por várias unidades denominadas omatídios), três olhos simples, além dos apêndices bucais, entre os quais se destaca um par de mandíbulas.

Os apêndices bucais dos insetos podem apresentar inúmeras modificações em função do hábito alimentar: existe o aparelho bucal mastigador, como o das baratas, gafanhotos e besouros, o sugador, como o das mariposas e borboletas, o picador, como o dos pernilongos e mosquitos, além de
outros tipos.

O tórax (3 segmentos) é um centro locomotor com 3 pares de patas articuladas (l par por segmento), e asas (2 pares, l ou nenhum); o primeiro segmento torácico nunca tem asas. São dióicos, com fecundação interna, geralmente ovíparos com desenvolvimento direto (mais raro) ou indireto; há casos de partenogênese.

Os principais órgãos excretores dos insetos são os tubos de Malpighi. Esses tubos possuem uma das extremidades em fundo cego e a outra abrindo-se na porção posterior do intestino. Neles, há filtração dos fluidos do corpo, reabsorção da água e concentração do ácido úrico. Esse excreta nitrogenado é conduzido para a porção final do sistema digestivo, juntamente com um pouco de água.

Os insetos têm três tipos de desenvolvimento:
• Direto, sem metamorfose: Ex.: traça-de-livro.
• Indireto, com metamorfose completa: Ex.: borboletas, moscas e pulgas.
• Indireto, com metamorfose gradual ou incompleta: Exs: gafanhoto, barata, percevejo.

Importância dos Insetos

• Produção de seda:
• Produtos de abelhas:
Polinização:
• Importância médica: