Características, Reprodução e Organização Corporal dos Platelmintos e Nematelmintos


Filo Platyhelminthes – vermes achatados

O filo Platyhelminthes, ou dos platelmintos (platy, acha­tado; helminthe, verme), é composto de vermes que apre­sentam o corpo achatado dorso ventralmente, cujos órgãos internos estão mergulhados em um parênquima de células estreladas. Há espécies que apresentam um aspecto foliáceo ou filiforme. Seus representantes típicos são a Dugesia íigrina (planaria), da classe Turbellaria; o Schistosoma mansoni (verme da esquistossomose), da classe Trematoda; as tênias (vermes intestinais), da classe Cestoda.

Organização Corporal dos Platelmintos e Nematelmintos

Conquistas evolutivas desse filo em relação ao anterior:
•         o sistema nervoso é cefalizado e ganglionar; nos cnidários, é difuso, em rede;
•         a simetria é bilateral; nos cnidários, é radial;
•         são os primeiros triblásticos, ainda que acelomados, pois surge o mesoderma; os cnidários são diblásticos;
•         são os primeiros a apresentar um sistema excre­tor, ainda que protonefridiano, formado por uni­dades celulares (células-flama ou solenócitos) e duetos excretores, que se abrem em poros dorsais.

Reprodução nas planarias

Algumas planarias podem realizar reprodução as­sexuada por fragmentação do corpo. Verifica-se, nessa situação, uma grande capacidade de regeneração, pois cada fragmento do corpo pode originar um novo orga­nismo completo. Experiências em que planarias são frag­mentadas comprovam seu alto grau de regeneração.

Conforme foi visto, as planarias são monóicas ou her­mafroditas, ou seja, apresentam sistemas reprodutores de ambos os sexos. Na reprodução sexuada, organismos maduros sexualmente se unem por meio do poro genital e trocam espermatozoides, numa cópula dupla. Os parceiros se separam e, em cada planaria, os espermatozóides encon­tram os óvulos e os fecundam. Os zigotos formados são reunidos em um casulo que contém substâncias nutritivas e é expelido. No interior dos casulos, os embriões se desen­volvem e se transformam em pequenas planarias, que apre­sentam fecundação interna e desenvolvimento direto.

Filo Nematelminthes – vermes cilíndricos

Os vermes do filo Nematelminthes ou Aschelmintes, os nematódeos ou nematelmintos, apresentam o corpo em formato de fio (nemato, fio) ou cilíndrico (asquel, cilíndri­co). Há espécies de vida livre ou parasitas de animais e vegetais. Tradicionalmente, costuma-se estudar aquelas que são de interesse médico ou parasitas humanos, como Ascaris lumbricoides, a lombriga da ascaridíase; Ancylostoma duodenale e Necator americanus, os vermes do amarelão; Wuchereria bancrofti, a filaria da elefantíase; entre outros.

O tamanho dos nematódeos é variável: alguns têm apenas poucos milímetros e outros, mais de um metro de comprimento. Habitam o solo, a água doce ou o mar, havendo, no entanto, muitas espécies parasitas. Estima-se que, numa amostra de terra de jardim coletada com uma colher, podem-se encontrar mais de 10000 espécies desses vermes de tamanhos microscópicos. É provável que os nematódeos tenham se originado de um ancestral comum aos platelmintos e que apresen­tem como novidades evolutivas em relação a estes o sis­tema digestório completo e o pseudoceloma.

Organização corporal de um nematódeo

A parede do corpo de um nematódeo apresenta, so­bre a epiderme, uma cutícula resistente, que oferece uma proteção adicional ao verme. Abaixo da epider­me, há uma camada de células musculares com fibri­las contrateis, que permitem apenas movimentos de flexão. Conquistas evolutivas desse filo em relação ao anterior:
•         nele surgiu o pseudoceloma, cavidade localiza­da entre o endoderma e o mesoderma, preenchi­da por líquidos, que auxilia a distribuição de substâncias e fornece espaço para a instalação de órgãos internos;
•         os nematódeos apresentam o tubo digestório completo, com boca, intestino e ânus. O proces­so da digestão ocorre de forma contínua, permitindo um maior aproveitamento de nutrientes e em menos tempo.

Sistema Ausente/presente Observações

nervoso presente Ocorrem dois cordões nervosos – ventral e dorsal -, ligados a um anel perifaringeano.

digestório presente O tubo digestório é completo: apresenta boca, faringe curta e musculosa, intestino reto e ânus. A digestão é extra e intracelular.

excretor presente O sistema excretor é formado por estruturas especiais denominadas rene-tes. O renete mais comum é uma célula gigante em formato semelhante à letra “H”, que percorre todo o corpo do animal, formada por dois tubos laterais unidos transversalmente na região anterior e que se abre por um poro excretor.

respiratório ausente As trocas respiratórias se dão por difusão simples.

circulatório ausente Normalmente, a ausência de um sistema circulatório é compensada pela presença de um pseudoceloma preenchido por líquidos, que auxilia na dis­tribuição de gases e nutrientes.

Reprodução nos nematódeos

A reprodução é sexuada e a maioria das espécies é dióica, com dimorfismo sexual. A fecundação é interna e pode apresentar um ou mais estágios larvais. Nas lombrigas, o macho é menor que a fêmea e, na extremidade posterior do seu corpo, há um par de espículas penianas que facilitam a união sexual.