Conceito e Ramificações da Biologia


Uma ciência que se encarrega do estudo de todas as formas de vida e que se caracteriza por ser tão antiga quanto à própria civilização humana é. A Biologia tem suas raízes na pré-história, existindo desde o momento em que os homens começaram a prestar atenção nas plantas, percebendo que algumas produziam frutos em algumas épocas do ano, outras eram venenosas, algumas podiam ser consumidas, outras não.

Quando o homem começa a se relacionar com outras formas de vida, adquire conhecimentos a respeito delas a partir da observação e da experiência. Isso já pode ser considerado como um estudo biológico, ainda que muito primitivo se comparado ao que existe hoje.

Biologia

Embora costume ser mais conhecido como filósofo, o grego Aristóteles também era um naturalista e, já no século IV a. C., desenvolveu estudos importantes, entre eles, a evolução dos animais e vegetais.

Mas, afinal, o que é Biologia?

A palavra Biologia vem do grego e significa, na tradução ao pé da letra, “estudo da vida”. É uma das principais ciências naturais e, conforme já foi dito, tem como objeto de estudo todas as formas de vida, sejam elas animais ou vegetais.

Quem vai para esse campo de conhecimento, estuda sobre as características que definem cada tipo de ser vivo, suas origens, a forma como evoluíram, como interagem com outros seres vivos e com o ambiente em que vivem.

Assim, a Biologia se caracteriza por ser uma área ampla e abrangente, motivo suficiente para que tivesse sido subdividida em algumas correntes (que você vai conferir logo mais).

Mas o que caracteriza um ser vivo? O que faz com que ele seja diferente de organismos considerados não-vivos? Alguns elementos básicos são responsáveis por fazer essa diferenciação, como, por exemplo, a necessidade de respirar e se nutrir; a presença de moléculas de oxigênio, hidrogênio, carbono e nitrogênio em sua composição; capacidade de se reproduzir e de responder a estímulos internos e externos.

No entanto, embora os seres vivos possuam essas características em comum, existem inúmeras diferenças entre eles. É por isso que um dos primeiros passos da Biologia moderna foi dividi-los em grupos, que ficaram conhecidos como reinos. Os critérios considerados para fazer essa divisão foram:

• Forma de nutrição: autótrofos ou heterótrofos

• Número de células: unicelulares ou pluricelulares

• Organização das células: eucarióticos e procarióticos.

Sabendo quais foram os requisitos considerados, vamos conhecer agora os cinco reinos dos seres vivos e as características mais relevantes de cada um deles para a Biologia:

• Reino monera: é formado por seres vivos com uma única célula (unicelulares) e procarióticos, ou seja, não possuem uma membrana envolvendo o núcleo celular, de modo que seu material fica espalhado no meio do citoplasma. O exemplos são as algas e as bactérias.

• Reino protista: também é formado por organismos unicelulares, mas a diferença é que são eucarióticos. Isso significa que o material nuclear fica bem organizado, delimitado por uma membrana, normalmente na região central das células. Protozoários e algas unicelulares são representantes desse reino.

Reino fungi: é composto também por organismos unicelulares, eucarióticos e heterótrofos, ou seja, não são capazes de produzir o próprio alimento. Como exemplo, podemos citar os fungos e cogumelos.

Reino Plantae: aqui temos os seres com mais de uma célula (pluricelulares), eucarióticos e capazes de sintetizar o alimento necessário para sua sobrevivência. Exemplo: as plantas de modo geral.

Reino Animalia: por fim, o reino da biologia ao qual nós pertencemos! É formado por seres pluricelulares, eucarióticos e heterotróficos. Os representantes, obviamente, são todos os animais.

Ramificações da Biologia

Dissemos que a Biologia é uma área de conhecimento muito ampla. Por isso, para que os estudos pudessem ser feitos de forma mais detalhada, ela foi subdividida em algumas correntes. Veja quais são as principais.

• Citologia: estuda exclusivamente as células que compõem os seres vivos. As características, a estrutura, a função das organelas, o metabolismo, entre outros aspectos essenciais;

• Embriologia: dedica-se a compreender todo o desenvolvimento dos embriões, desde o momento da concepção até o nascimento;

• Zoologia: é uma parte da Biologia que estuda especificamente os animais, as características, evolução, como interagem uns com os outros, como se comportam no ambiente, como é a estrutura do organismo e muito mais. Mesmo sendo uma subdivisão, ainda é muito abrangente, portanto, é composta pela zoologia dos vertebrados e dos invertebrados;

• Histologia: preocupa-se com os tecidos que formam os órgãos animais (tecido epitelial, conjuntivo, muscular e nervoso);

• Botânica: se existe uma área para estudar os animais, também existe uma que fica encarregada das plantas, desde a morfologia até os mínimos detalhes sobre o seu metabolismo;

• Microbiologia: estuda apenas os micro-organismos, como vírus, bactérias, fungos, protozoários e outros;

• Genética: busca compreender em detalhes as leis da hereditariedade e como elas se aplicam na prática;

• Anatomia: entendimento sobre as estruturas dos corpos;

• Ecologia: se concentra na forma que os seres vivos se relacionam uns com os outros e com o ambiente.