Ortografia: Emprego dos Porquês, Mau ou Mal, Onde e Aonde e Há ou A


Não há dúvidas de que a Língua Portuguesa é um dos idiomas mais belos que existem, no entanto, tanto é bonito, quanto complexo! Mesmo os falantes nativos podem “tropeçar” em algumas regras de ortografia que exigem um pouco mais de atenção, cometendo gafes na hora da escrita.

Confira agora alguns casos típicos da Língua Portuguesa que costumam gerar dúvidas e aprenda definitivamente, para não errar mais! Lembre-se de que escrever corretamente sempre gera uma boa impressão, seja em uma redação, um texto profissional ou até mesmo na informalidade das redes sociais.

Emprego dos Porquês, Mau ou Mal, Onde e Aonde e Há ou A

Aprendendo a ortografia do PORQUE

O primeiro passo é entender que “português não é bicho de sete cabeças”! Você lerá algumas regras agora e terá que aplicá-las na prática, assim, dentro de pouco tempo já terá dominado e não sofrerá mais para escrever nada!

Diferente de outros idiomas, como o inglês, por exemplo, a Língua Portuguesa tem quatro “porquês” diferentes, cada um deles possui um sentido próprio e deve ser usado no contexto correto. As quatro formas são: PORQUE, POR QUE,
PORQUÊ E POR QUÊ.

PORQUE: Essa é a forma utilizada para responder a um questionamento e para construir frases afirmativas. Analisando morfologicamente, ou seja, pensando em qual é a classe de palavras à qual pertence o termo “porque”, podemos dizer que ele é uma conjunção e que pode ser substituído por pois, já que, como, uma vez que, entre outras.

Veja alguns exemplos:

Eu não fui ao colégio hoje PORQUE estava doente.

Preciso ir ao supermercado PORQUE acabou o leite.

Ela caiu PORQUE estava correndo.

Você não vai à festa PORQUE está sozinha? (perceba que, nesse caso, mesmo havendo um ponto de interrogação, não é o “porque” que está fazendo a pergunta).

POR QUE: essa é a forma de usar essa palavra quando a intenção é fazer uma pergunta. Pode ser substituída por “por qual razão?”, “por qual motivo?”, “com qual objetivo?”.

Dependendo do contexto, o POR QUE também pode assumir a função de “pelo qual”, como você verá em um dos exemplos a seguir:

POR QUE você saiu tão cedo?

POR QUE você não foi à escola?

POR QUE ela vai ao mercado hoje?

POR QUE não fez a tarefa?

Esses são os motivos POR QUE lutamos (aqui, POR QUE poderia ser substituído por pelos quais).

PORQUÊ: essa palavra é um substantivo, sinônimo de “razão”, “causa”, “motivo” ou similares. Normalmente, ela vem acompanhada por um artigo definido ou indefinido. Observe:

Não posso entender o PORQUÊ disso.

Fique tranquilo, tudo tem um PORQUÊ

POR QUÊ: normalmente também é usado para questionamentos, mas quando aparece no final da frase e/ou imediatamente antes de um ponto (sobretudo ponto de interrogação). Na maior parte dos casos, é precedido de uma afirmação:

Percebi que não foi ao colégio hoje. Por quê?

A professora disse que a data da prova foi alterada. Por quê?

Mais ortografia!

• MAU/MAL

Agora que o uso dos “PORQUES” já está bem esclarecido, vamos a outro assunto de ortografia que também gera dúvidas: mau ou mal.

Basicamente, para saber empregá-los da forma correta, você deve pensar em seu oposto. MAL é o contrário de BEM, enquanto MAU é o contrário de BOM. Para memorizar, tente lembrar que a letra U e a letra O são levemente similares, é uma boa dica para não se perder na hora de escrever.

Vamos aos exemplos:

Você está se sentindo MAL? – Você está se sentindo BEM?

Ele é um homem MAU – Ele é um homem BOM

Hoje, acordei de MAU humor – Hoje, acordei de BOM humor

Esse texto está muito MAL feito – Esse texto está muito BEM feito.

• ONDE/AONDE

Você sabia que ONDE e AONDE tem usos diferentes? É mais um segredo da ortografia que vamos revelar agora!

A regra básica é: ONDE indica lugar e AONDE indica movimento. Você usará o ONDE para se referir a um lugar específico, mas quando houver a ideia de ir de um local para outro, o correto é utilizar o AONDE. Como nos exemplos abaixo:

ONDE está a minha caneta?

AONDE você vai amanhã?

A alegria está ONDE a família estiver.

• A/HÁ

Em termos de ortografia, esse é um dos casos que mais geram dúvidas, sobretudo nos estudantes. Para fazer referência a tempo, o correto é usar o A ou HÁ? Depende! Se você estiver falando de um tempo passado, usa-se o HÁ. Já se o caso for no futuro, o A é o correto. Observe:

HÁ dez anos não encontro minha melhor amiga

Vamos nos rever daqui A um mês

Isso deveria estar pronto HÁ duas horas

Quero esse relatório na minha mesa daqui A uma hora

Simples assim!

A melhor maneira de assimilar regras de ortografia e gramática é com a prática, ou seja, ler e escrever muito. Não tenha preguiça de ler um livro todo e nem de escrever uma redação!