Constituição dos Tecidos de Transporte nos Vegetais


Constituição dos Tecidos

Os tecidos de transporte são constituídos por células vivas ou mortas que produzem estruturas que conduzem a seiva. Com isso, a seiva bruta é levada por estruturas que formam o lenho ou xilema e a seiva elaborada é conduzida pelo floema ou líber.

Os tecidos são complexos, portanto, tem diversas células na formação que são responsáveis pela condução, armazenamento de substância de reserva e suporte mecânico. O tecido por ter origem primária ou secundária, pleroma ou câmbio respectivamente.

Xilema

O xilema transporta a água e os sais minerais para todas as partes da planta. Não somente o transporte, mas a garantia da sustentação do corpo vegetal é feito pelo xilema.

Este possui, ainda, células parenquimáticas e fibras.

Além disso, os elementos responsáveis pela condução podem ser elementos de vaso ou traqueídes. Estes elementos são possuem protoplasto vivo na maturidade, o que favorece o transporte de substâncias. As traqueídes não possuem perfurações e os elementos de caso contém placas de perfuração.

São elementos encontrados da gimnospermas e em alguns grupos de angiospermas mais antigos.

Floema

Já o floema é responsável pela condução de material orgânico e inorgânico como hormônios, aminoácidos, ácidos nucleicos e sacarose. O transporte é feito do órgão produtor para órgão consumidor.

Assim como o xilema, o tecido é complexo por conta de inúmeros tipos de célula.

Também possui as células parenquimáticas esclereídes além dos elementos de condução. Dentre as células parenquimática, estão as companheiras que tem relação com a distribuição de substância do tubo crivado.

Aa células de condução são as crivadas e elementos de tubo crivado. Os crivos, ou poros, são presentes nessas células vivas e não tem núcleo na maturidade.

Além disso, as células crivadas tem crivos em todas as suas paredes, já os elementos crivados possuem placas crivadas com poros maiores em paredes e áreas laterais.