Origens, Divisões e Definições de O que é Ecologia


Origens da Ecologia

A palavra ecologia foi criada em 1869 pelo biólogo alemão Ernst Haeckel, e deriva de duas palavras gregas: oikos, que significa casa e, num sentido mais amplo, ambiente, e logos, que quer dizer ciência ou estudo. A Ecologia tem suas raízes na Biogeografia, primeiramente na fitogeografia. Haeckel (1866) define a ecologia como ciência das relações dos organismos com o meio ambiente. Em 1868 amplia o conceito de ecologia abrangendo o estudo da distribuição geográfica dos organismos. A Ecologia pode ser ainda conceituada como a ciência que estuda os processos, interações e a dinâmica de todos os seres vivos com os aspectos físicos e químicos do meio ambiente.

origens divisoes e definicoes de o que e ecologia

DIVISÕES DA ECOLOGIA

Conforme o enfoque seja dirigido para organismos, populações, comunidades ou ecossistemas, são evidenciadas as seguintes divisões:

a) Auto-ecologia – estudo da ação dos fatores ecológicos sobre os organismos; estudo da ação dos fatores ecológicos limitantes; estudo das adaptações das espécies ao ambiente; denominado por alguns autores como ecofisiologia; também referido como Ecologia de organismos;
b) Demo-ecologia – estudo da dinâmica e dos processos adaptativos das populações, estudo das causas da abundância e distribuição das espécies; também referido como Ecologia de populações;
c) Sinecologia – estudo das relações das comunidades biológicas com o ambiente e das relações das populações entre si e dentro das comunidades vegetais, animais e de microrganismos; é também referido como Ecologia de comunidades;
d) Ecossistêmica – estudo da estrutura e dinâmica dos ecossistemas, levando em conta a ação dos fatores ecológicos sobre os organismos, as populações e as comunidades inseridas nos ecossistemas; também referido como Ecologia de Ecossistemas;
e) Ecologia aplicada – aplicação dos conhecimentos derivados de estudos e pesquisas ecológicas, na busca de solução de problemas ambientais tais como recuperação de áreas degradadas, avaliação de impacto ambiental, controle biológico de pragas, controle da poluição ambiental; implantação e
manejo de unidades de conservação; administração e manejo de recursos naturais.

Definições ecológicas

Ambiente: Conjunto de condições que envolvem e sustentam os seres vivos no interior da biosfera, incluindo clima, solo, recursos hídricos e outros organismos. Soma total das condições que atuam sobre os organismos: fatores físico-químicos, edáficos, climáticos, hídrico e biótico.

Vegetação: Conjunto de vegetais que existe em determinado local (decorrente de clima, solo, fauna, microrganismos, história geológica). Conjunto de plantas que são dependentes do ambiente e se influenciam mutuamente, modificando seu próprio ambiente.

Flora: Conjunto de entidades taxonômicas que ocorre em certa região, resultante de causas remotas e atuais, tais como alterações climáticas, modificações pedológicas, mudanças faunísticas, migrações e acidentes geográficos. Conjunto de plantas de uma determinada região ou período geológico, listadas por espécies e famílias e consideradas como um todo; grupos vegetais vinculados a um táxon botânico.

Fauna: Conjunto de animais que ocorre em uma área, habitat ou estrato geológico, num determinado ternpo, listados por espécies, com limites espacial e temporal arbitrários; grupos animais vinculados a um táxon zoológico.

População: Conjunto de organismos de uma mesma espécie que ocupa uma determinada área, mantendo intercâmbio de informação genética. Conjunto de organismos da mesma espécie que vive em um território cujos limites são em geral delimitados pelo ecossistema no qual a população está inserida.

Comunidade: Conjunto de populações que convive em um ecossistema e que usualmente interage de forma organizada. Conjunto de organismos ligados por dependência recíproca e que se mantêm reproduzindo-se em certo lugar de maneira permanente.

Ecótipo: População de uma mesma espécie que apresenta ampla distribuição geográfica, mas que está fisicamente separada; as variações podem ter base genética ou fisiológica.

Nicho ecológico: Papel ecológico de uma espécie em uma comunidade. Gama total de condições sob as quais o organismo ou a população vive e se reproduz, incluindo espaço físico e funções ecológicas.

Biótopo: Espaço (área ou volume) ocupado por uma comunidade biológica; lugar onde há vida.

Habitat: Ambiente que oferece um conjunto de condições favoráveis para desenvolvimento, sobrevivência e reprodução de determinados organismos; Ex. tronco caído na floresta habitado por insetos xilófagos, recifes de coral, ninho de aves.

Biota: Conjunto de plantas, animais e microrganismos de uma determinada região, província ou área biogeográfica. Ex. biota amazônica, biota fluvial, microbiota edáfica.

Sinúsia: Conjunto de espécies pertencentes ao mesmo tipo de forma de vida e com exigências ecológicas uniformes; conjunto de espécies com a mesma função ecológica no ecossistema.

Ecossistema: Sistemas naturais ou artificiais, limitados por um espaço físico, onde coexistem e interagem fatores bióticos e abióticos gerando ambientes característico. Conjunto integrado de fatores físicos, químicos e bióticos que caracterizam determinado lugar.

Bioma: Amplos conjuntos de ecossistemas terrestres e aquáticos (continentais e marítimos) caracterizados por tipo semelhante de vegetação ou de mesma fisionomia ambiental. Ex. florestas pluviais.

Formação: Conjunto vegetacional semelhante no aspecto fisionómico. Ex. floresta atlântica.

Biosfera: Conjunto integrado de organismos vivos e seus suportes, compreendendo o envelope periférico do planeta Terra com a atmosfera circundante, estendendo-se em altitude e profundidade até onde exista naturalmente qualquer forma de vida; a biosfera abrange desde as mais profundas fossas oceânicas até a atmosfera acima dos mais altos picos da Terra.