Permeabilidade Seletiva


Dentro da matéria de citologia, aprendemos o processo de permeabilidade seletiva. Esse procedimento caracteriza-se por ser um processo fisiológico que ocorre através da membrana plasmática de todas as células. Em resumo, esse é um processo que realiza uma passagem de substâncias para um meio intra ou extracelular através de um método seletivo.

Permeabilidade Seletiva

Precisamos discutir sobre membrana plasmática

Mas, antes de entrarmos no assunto do que realmente é permeabilidade seletiva e como ela ocorre, precisamos recordar o conceito de membrana plasmática. Essa membrana celular caracteriza-se por ser uma estrutura que está presente em todas as células vivas, sejam elas procarióticas ou eucarióticas.

A membrana é uma estrutura da célula que estabelece uma fronteira entre o citoplasma, o meio intracelular e também todo o ambiente extracelular, que pode ser a sede de diversos tecidos. Microscopicamente, a membrana se assemelha a duas linhas escuras que são separadas por uma faixa central clara com uma espessura aproximada a 6 nanômetros. Essa estrutura se faz presente em todas as membranas encontradas nas células, por isso é conhecida como membrana unitária ou unidade de membrana.

Esta estrutura celular tem por função ser um portão seletivo que a célula utiliza para captar substâncias e elementos que são necessários para manter o seu metabolismo. Ao mesmo tempo, a membrana também libera as substâncias que as células produzem e precisam ser conduzidas para o exterior.

A membrana plasmática apresenta em sua formação uma bicamada lipídica. Essa camada facilita a passagem de produtos lipossolúveis e ao mesmo tempo dificulta a entrada de substância que não são solúveis em lipídios. Podemos dizer, então, que grande parte das moléculas lipofílicas e gases como o oxigênio e o gás carbônico podem atravessar o portão facilmente.

Essa é a permeabilidade seletiva. É quando determinados itens e substâncias conseguem atravessar para o interior das células através da membrana plasmática. Íons, como o cloro, potássio, cálcio e sódio, podem transpor a membrana através de canais iônicos. Já as moléculas maiores, como a glicose e as pequenas proteínas, conseguem passar de um lado para o outro da membrana plasmática em virtude das proteínas carregadoras.

O transporte ativo e passivo

A permeabilidade seletiva da membrana plasmática pode ocorrer através de dois grandes processos: o transporte ativo e o transporte passivo. O primeiro ocorre quando se envolve o uso de energia na passagem, enquanto o segundo não necessita da utilização de energia. Mais abaixo nós vamos explicar cada um deles e como funcionam:

O transporte passivo não requer utilização de energia para a permeabilidade seletiva da membrana plasmática, e pode ocorrer de três maneiras diferentes: a difusão facilitada, difusão simples e a osmose. Mas como ocorre cada um dos processos?

No processo de difusão simples, os íons e as moléculas são transportados naturalmente de uma região com maior concentração para outra que se apresenta em menor quantidade. Podemos afirmar então que nesse processo há uma movimentação arbitrária dos componentes para as substâncias de maior concentração. Podemos citar como exemplo mais comum de difusão simples o transporte do gás carbônico e oxigênio.

Já o conhecido processo de osmose trata-se de um transporte em que o soluto não se move. Nesse processo o solvente, ou seja, á água, entra em movimento. Esse processo geralmente ocorre entre dois meios aquosos. Quando entram em contato separam-se por uma membrana semipermeável. Por isso, a água tende a se deslocar do meio de menor concentração para aquele onde há uma maior concentração. Esse processo é contínuo até que haja um equilíbrio entre ambas as partes. Existe também um outro método de a água permear a membrana, que é o caso de presença de canais aquaporinos. Um exemplo muito comum de osmose é a concentração de solutos nas águas do solo.

Por fim, a difusão facilitada caracteriza-se como o processo onde uma proteína da membrana atua como se fosse um carregador. Esse procedimento ocorre para favorecer o gradiente de maior contração. Nesse caso, há o envolvimento de substâncias impermeáveis faz-se necessário a ligação dessas a uma carreadora. Depois dessa fase, as substâncias sofrem algumas modificações para que possam ser levadas para ambos os lados. A difusão facilitada também pode ocorrer através de transportadores diferentes.

Como dissemos acima, o processo de transporte ativo apenas acontece quando há um excessivo consumo de energia durante a mudança de meio. Ele é realizado a partir de proteínas carregadoras. Em meio aos processos está o transporte de moléculas grandes através da membrana plasmática, ou até mesmo dos íons que lutam contra um gradiente de concentração, o que envolve muito gasto de energia. Ele pode ser distinguindo entre transporte primário e secundário.

Na verdade, assim como acontece na difusão facilitada, no transporte ativo há uma colaboração das proteínas carregadoras, que no processo são denominadas como bombas. Porém, ao contrário da difusão, o transporte vai contra a substância de maior concentração.