Resumo sobre a bronquite asmática


A asma é uma condição crônica e inflamatória que afeta as vias aéreas. Ela também pode ser conhecida como bronquite asmática ou asma brônquica. O indivíduo com asma tem o pulmão mais sensível do que quando em comparação a um pulmão normal. Não à toa, ele está sempre inflamado e reage com facilidade a qualquer pequena irritação.

Resumo sobre a bronquite asmática

Um indivíduo sem asma ficará com falta de ar sempre que for exposto a uma grande irritação, como em um incêndio, por exemplo. Por outro lado, quem sofre com a condição ficará desta forma por conta de pequenos agentes, como é o caso de poeira. Nos dias de hoje a asma afeta mais de 230 milhões de indivíduos em todo o mundo, de acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde). No Brasil, algo como 10% da população a possui.

Mas afinal, o que será que você já sabe sobre a asma? A seguir, confira quais são os tipos de asma, suas causas, sintomas e tratamentos.

Tipos de asma e suas causas

A asma pode ser classificada de acordo com a sua gravidade. As categorias são:

  • Asma de primeiro grau: os sintomas neste caso são intermitentes e leves. Aparecem em média 2x por semana (durante o dia) e 2x por mês (durante a noite). Ela ataca mais no inverno.
  • Asma de segundo grau: os sintomas continuam leves, apesar de mais persistentes – de 3 a 7 dias na semana. Quando ataca, é apenas uma vez ao dia.
  • Asma de terceiro grau: os sintomas aqui são moderados e persistentes. Costumam ocorrer todos os dias e pelo menos uma noite semanalmente.
  • Asma de quarto grau: por fim, esse grau possui sintomas persistentes e graves. A condição ataca na grande maioria dos dias, além de também ser frequente no período noturno.

Falando agora sobre as causas, vale destacar que não existe apenas uma causa para a asma – mas várias. Cada indivíduo manifesta a condição com uma sensibilidade diferente. A seguir, confira quais são as principais delas.

Agentes ou componentes alérgenos

Mais de 80% dos indivíduos com asma têm crises após a exposição a substâncias ou agentes transportados por meio do ar – como é o caso de poluição, ácaros, mofo, poeira, pelos de animais, pólen de flores, pedaços de insetos e fumaça de cigarro. Além disso, até mesmo produtos de limpeza, tintas ou tinturas de cabelo também podem desencadear crises asmáticas para os indivíduos reagentes a tais alérgenos.

Prática de exercícios

Parece estranho, não é mesmo? Mas alguns asmáticos desencadeiam crises após a realização de exercícios físicos, sendo ela conhecida como ‘asma induzida por exercício’. A crise costuma ocorrer entre 5 a 20 minutos após o início das atividades, o que faz com que o indivíduo manifeste uma dificuldade enorme de manter o fôlego para continuá-las.

Alimentos

Alguns alimentos, quando consumidos, também podem causar crises em indivíduos asmáticos. Entre eles destacamos: leite de vaca, trigo, ovos, amendoim, camarão (e outros frutos do mar), soja, peixe e saladas ou frutas frescas. Outras causas para asma, apesar de mais raras, são:

  • Asma noturna: quando o indivíduo manifesta crises apenas em períodos noturnos, ou seja, durante as horas de sono;
  • Asma ocupacional: esse tipo de asma é resultado de ‘agentes’ presentes no trabalho. Não à toa, alguns profissionais que podem desencadear a doença são: cabeleireiros, veterinários, enfermeiros, marceneiros, pintores e outros que trabalham com forte exposição a agentes químicos;
  • Asma ocasionada por mudança de clima;
  • Asma causada por medicamentos (como Ibuprofeno, diclofenaco e ácido acetilsalicílico).

Sintomas e tratamentos asma

Assim como as causas, os sintomas da asma também podem ser bem variados. Na grande maioria dos casos, os principais são três:

  • Deficiência ao respirar que pode se agravar durante a prática de atividades físicas;
  • Retrações intercostais (repuxo da pele em meio as costelas quando respira);
  • Tosse com ou sem muco.

Além disso, respiração ofegante também está entre os sintomas mais agressivos da asma. Ela costuma ser pior no começo do dia ou noite; não acompanha outros sintomas; piora com azia, em meio a exercícios ou com ar frio; começa do nada e também pode desaparecer por si só. Já os sintomas que indicam uma situação emergencial são:

  • Rosto, lábios ou ponta dos dedos em tom azulado;
  • Dificuldade excessiva para respirar;
  • Sonolência grave ou confusão mental causadas por uma crise asmática;
  • Rápida pulsação;
  • Sudorese;
  • Grave ansiedade por dificuldade em respirar.

Já sobre o tratamento, muitas são as linhas seguidas para amenizar os sintomas – já que a doença é crônica e, neste sentido, não pode ser tratada.

Os medicamentos contínuos costumam ser os escolhidos para prescrição médica. Entre eles estão os corticosteroides inalados (como flunisoline, mometasona, budesonida, beclometasona e ciclesonida); modificadores de leucotrienos (como zileuton, zafirlucast e montelucaste); beta agonistas de longa duração, como o formoterol e salmeterol; e a teofilina, que age como broncodilatador.